11 descobertas que provam que gigantes existiram há 3 bilhões de anos

Criaturas colossais marcam a ficção dos mitos e histórias, mas será que na vida real os gigantes também já caminharam pela Terra?

Enquanto na mitologia grega os gigantes quase derrubaram os próprios deuses do Olimpo, nas escrituras sagradas, Davi conseguiu matar Golias utilizando um estilingue e uma mira certeira. Já, nos contos de fadas, João teve de cortar às pressas o pé de feijão para que seu adversário colossal não o devorasse.

Pois bem, histórias de gigantes existem em várias culturas pelo mundo a fora. Aliás, quase toda cultura tem ao menos uma história de pessoas gigantes andando pela Terra. De acordo com a definição encontrada no Michaelis, Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, gigantes são: seres extraordinariamente altos.

No entanto, eis a dúvida que, provavelmente, te trouxe até essa matéria: afinal, gigantes existem? Bom, nos últimos 200 anos, desde o início do século XX, têm surgido alegações sobre achados de restos de esqueletos ou pegadas fossilizadas de até 3 bilhões de anos atrás. Portanto, acabou-se sugerindo que e as histórias de gigantes são muito mais que ficção.

Ainda não acredita? Era de se esperar. Como resultado disso, logo abaixo você pode conferir descobertas que podem provar a existência de gigantes no nosso mundo.

Ossos gigantes do Lago Delavan Wisconsin, 1912

Fonte: Toluna

De acordo com um relatório publicado no The New York Times em 4 de maio de 1912, 18 esqueletos gigantescos, enterrados em carvão e argila cozida, foram encontrados no Lago Delavan, em Wisconsin. A descoberta foi feita pelos irmãos Phillips durante a escavação de um túmulo.

Em seguida, ele presumiram que as ossadas pertencessem à uma raça desconhecida de pessoas que habitaram o local. Embora fossem muito semelhantes aos esqueletos humanos, havia algumas diferenças notáveis. ​​Além de seu tamanho muito maior, é claro.

Dessa forma, as diferenças encontradas foram:

  • osso acima da cavidade ocular inclinado para trás;
  • nariz de aparência muito maior do que as maçãs do rosto;
  • crânio “incrivelmente semelhante com uma cabeça do macaco”.

Embora tenha sido sugerido que as evidências seriam cientificamente analisadas, não houve nenhum relatório divulgado sobre o achado. Sendo assim, um século depois seguimos sem novidades.

Os gigantes de 80.000 anos do Vale da Morte, 1947

Gigantes: descobertas que podem provar sua existência
Fonte: Off the Beaten Path

Em 1931, F. Bruce Russell, ex-médico de Cincinnati, anunciou que havia descoberto uma série de túneis e cavernas sob o Vale da Morte da Califórnia, no deserto de Mojave. Em seguida, com seu colega Daniel S. Bovee, Russell resolveu explorar as cavernas extensivamente.

De acordo com a história que Russell contou a Howard E. Hill, eles encontraram vários esqueletos humanos, cada um com cerca de 2,7 metros de altura. Posteriormente, Hill contou a história em uma reunião do Clube de Transporte de Los Angeles, e a descoberta foi relatada no The San Diego Union em 4 de agosto de 1947.

Além disso, informações sugerem que os restos esqueléticos foram mumificados. Bovee afirmou que a idade dos esqueletos era de aproximadamente 80.000 anos. Curiosamente, também afirmaram ter encontrado hieróglifos muito parecidos com aqueles que estiveram ligados à civilização perdida da Atlântida.

Restos gigantes encontrados em Varna Bulgária, 2015

Fonte: Archaeology in Bulgaria

Varna, na Bulgária, na antiguidade já foi a cidade grega de Odessos. Há 7.000 anos atrás, ali foi um importante polo comercial. Além disso, a mitologia de Odessos era abundante e marcada por histórias de gigantes. Então, quando um esqueleto humano aparentemente gigante foi descoberto em janeiro de 2015, pontos foram ligados.

Aliás, a descoberta foi um acidente. Na verdade, escavadoras estavam cavando a área por outros motivos, porém  encontraram uma jarra do século V. Em seguida, descobriram uma parede de uma fortaleza desconhecida. Logo, continuaram a escavar e encontraram restos gigantes.

O esqueleto foi encontrado com as mãos colocadas na cintura e a cabeça virada para o leste. Escavadores e investigadores acreditam que ele foi colocado nessa posição de propósito, indicando que ele tinha alguma importância no momento de sua morte e enterro.

Enormes restos encontrados no Equador, 1964

Gigantes: descobertas que podem provar sua existência
Fonte: Ruud Luijten

Em 1964, no Equador, o Padre Carlos Vaca, sacerdote que também trabalhava em hospitais, foi convidado pelos moradores a conferir alguns ossos estranhos que haviam sido descobertos. O diferencial desses ossos era seu tamanho, surpreendentemente acima da média.

Surpreendido, o padre Vaca tirou alguns dos ossos da montanha e os levou para sua casa. Ali eles permaneceram até a morte do sacerdote. Em seguida, alguns anos depois, o pesquisador austríaco Klaus Dona recebeu permissão para levar os ossos de volta com ele para a Áustria a fim de serem examinados e expostos.

Klaus afirmou que vários especialistas examinaram os ossos e que eles parecem ser de humanos. Pelo tamanho dos ossos, Klaus estima que a pessoa a que pertenciam possuía 7,6 metros de altura.

Múmias gigantes encontradas em túneis do Rio Colorado, 1909

Fonte: Gert Boers

De acordo com um artigo do The Arizona Gazette, em abril de 1909, enquanto explorava o Rio Colorado, o explorador GE Kinkaid fez várias descobertas notáveis. Ele afirmou ter visto um túnel que o levou quase 1,6 quilômetros abaixo do solo.

Além disso, Kinkaid encontrou também uma área protegida fortificada no fim do túnel. Ali haviam armas e ferramentas de cobre, uma estátua grande (que Kinkaid disse parecer Buddha), hieróglifos estranhos, e o mais fascinante, diversas múmias com 2,7 metros de altura, todas envolvidos em sudários escuros.

Por fim, Kinkaid ainda declarou que o governo tinha propositadamente selado e fechado a área para que o público não encontrasse sua descoberta. A manchete do Arizona Gazette também afirmou que os achados eram uma indicação de que pessoas antigas e altas haviam migrado da Ásia para os Estados Unidos há milhares de anos atrás.

Dedo gigante encontrado no Egito, 2012

Gigantes: descobertas que podem provar sua existência
Fonte: Mysteriesrunsolved

Em março de 2012, fotografias de o que parecia ser o restos mumificados de um dedo gigante, foi supostamente descoberto no Egito. O dedo tinha 38 centímetros de comprimento, o que significa que, caso fosse autêntico, o indivíduo a quem pertencia teria um tamanho equivalentemente gigantesco.

No entanto, apesar da alegada evidência fotográfica, a autenticidade do dedo ainda tem de ser verificada. Afinal, a pessoa que tirou a fotografia não possui o dedo. De acordo com a história original, que apareceu no site da Bild (um jornal alemão), as fotos foram tiradas em 1988 por Gregor Sporri.

Ele pagou US$300 a um homem desconhecido que garantiu ser de uma “dinastia de ladrões de covas” pelo privilégio de tirar as fotos. O homem desconhecido também apresentou à Sporri um raio X e um certificado para provar que era um dedo humano, algo que ele tinha obtido na década de 1960.

Sporri voltou ao Egito em 2009 com a esperança de rastrear o homem com quem falou, mas não conseguiu fazê-lo. Pelo menos até então, o paradeiro do enorme dedo é desconhecido.

O mistério da Caverna de Lovelock 1911-1929

Fonte: Mystery Wire

Em 1911, dois mineiros, David Hart e James Pugh, foram à Caverna Lovelock em busca de guano. Dessa forma, eles acabaram se deparando com resquícios arqueológicos. Em seguida, contataram Alfred Kroeber, fundador do Departamento de Antropologia da Universidade da Califórnia.

Como resultado disso, estabeleceram o primeiro projeto arqueológico na caverna. Ao longo das escavações, milhares de artefatos antigos foram descobertos, incluindo cerca de 60 múmias humanas de altura média, bem como inúmeros ossos e armas.

Ademais, eles também disseram ter encontrado o que pareciam ser sandálias que tinham cerca de 38 centímetros de comprimento, uma pegada de tamanho gigante que parecia ter sido incorporado na parede da caverna, e mais múmias – só que desta vez, eles pareciam ter de 2,5 a 3 metros de altura.

Os gigantes das montanhas do Cáucaso Geórgia, 2014

Gigantes: descobertas que podem provar sua existência
Fonte: Watchers.NEWS

Em 2008, o pastor do Cáucaso tropeçou em um suposto túmulo de gigantes. A suposta cripta aparentou ser construída com pedras e, depois de entrar nela, o pastor descobriu dois enormes esqueletos sentados em uma grande mesa.

Em seguida, pesquisadores se aventuraram no local isolado, montanhoso e densamente florestado para confirmar os relatos. Eles chegaram à cripta de que o homem tinha falado, mas a mesma havia desmoronado. No entanto, sob a sujeira e os escombros, uma pilha de ossos foi encontrado.

A ossada realmente parecia ser de humanos. Aliás, muito além disso, os ossos eram muito maiores que os de um humano normal. Posteriormente, as amostras da descoberta foram investigadas pelo professor Vekua, um cientista muito respeitado. Ele declarou que se eles forem ossos humanos, então o indivíduo teria entre 2,5 e 3 metros.

A descoberta nas Ilhas Aleutas, 1940

Fonte: PIXNIO

De acordo com Ivan T. Sanderson, um renomado zoólogo, ele recebeu uma carta de um engenheiro que trabalhava em Shemya nas Ilhas Aleutas em 1940 durante a Segunda Guerra Mundial. A região está entre Alasca e a parte oeste da Rússia e divide o Pacífico norte e o mar de Bering.

Os EUA estavam usando as ilhas como uma base para o potencial (e eventual) conflito com o Japão e estava no processo de construção de pistas de pouso quando fizeram uma descoberta bizarra: um cemitério de ossos humanos. No entanto, esses restos eram quase três vezes maiores que um adulto padrão.

Só para ilustrar, os crânios mediam entre 56 a 61 centímetros de cima para baixo. Em contrapartida, a média de crânios comuns é de 20 centímetros. Sanderson declarou que recebeu uma segunda carta de outro membro da unidade que confirmou o achado e corroborou a primeira carta.

Curiosamente, um estudo do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, pontuou que há mais de 100 anos vem sendo observado animais de tamanhos maiores na Antártida, ainda mais se comparados à estatura de seus parentes de regiões não polares. Sendo assim, será que esse gigantismo se estendeu aos humanos das Ilhas Aleutas?

Gigantes de 5.000 mil anos, encontrados na China, em 2017

Gigantes: descobertas que podem provar sua existência
Esqueletos humanos gigantes encontrados na China

Esqueletos de, pelo menos, 5 mil anos foram encontrados por arqueólogos chineses, em julho de 2017. Segundo informações da agência de notícias do governo Xinhua, os fósseis gigantes foram encontrados durante uma escavação no leste da China, mais exatamente na província de Shandong.

O mais alto deles, seria seria um homem, de 1,90 m. Os demais, entretanto, tinham uma média de 1,80 m de altura. Embora isso não parece muito, para os padrões de hoje em dia, os cientistas garante que eles eram muito mais altos que a média da população da região naquela época.

Uma boa base de comparação, aliás, são os europeus que viveram neste mesmo período. A média dos homens, afinal, era de 1,65 m, por exemplo.

Sobre os fósseis e relíquias encontradas na escavação, os cientistas dizem ser dos povos Longshan. Eles se tratavam de uma civilização neolítica, típica da região do meio e do baixo Rio Amarelo. Isso, aliás, também mostra que os chamados Estados “arcaicos” já estavam operantes no período.

Sobre o tamanho dessas pessoas, os especialistas dizem ser resultado da rica alimentação que tinham instalados naquele território. Isso, inclusive, também era um diferencial de força àquela civilização.

Outro ponto importante que os cientistas perceberam, a partir da descoberta, é que os supostos gigantes, muito provavelmente, se tratavam de pessoas mais abastadas financeiramente. Sobretudo porque tinham muito mais acesso a alimentos de boa qualidade. Mas, também porque foram encontrado com eles peças refinadas de cerâmica e argila, que denotam status social elevado.

Pegadas gigantes de até 3 bilhões de anos pelo mundo

Em suma, houveram várias supostas pegadas gigantes fossilizadas encontradas em todo o mundo. Talvez, a mais conhecida seja a “Pegada de Goliath”, em Mpaluzi, na África do Sul; uma cidade próxima à fronteira com a Suazilândia. A pegada, aliás, tem 1,2 metros de comprimento e parece combinar perfeitamente com um pé humano.

Embora haja um debate, as estimativas dizem que a pegada tem 200 milhões e três bilhões de anos. Ademais, outras pegadas fossilizadas de tamanho semelhante também foram relatadas. Em 1925, uma pegada de 2,5 metros foi descoberta perto de San Jose, no rancho John Bunting.

Em seguida, no ano de 1926, The Oakland Tribune publicou uma história sobre pegadas de 1,5 metros em cima de um penhasco em San Jose, Califórnia. Então, se essas pegadas forem genuínas, elas forçariam a história da humanidade na Terra a ser reavaliada e reescrita. Pois confirmaria a existência dos chamados “gigantes”.

E então, o que achou dessa matéria? Se gostou, confira também: Extinção dos dinossauros: como ocorreu e causas.

Bibliografia:

  • Porto Editora – Gigantes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-06-26 00:40:57]. Disponível em 
  • GIGANTE. In: MICHAELIS, Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Editora Melhoramentos Ltda, 2021. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/gigante.
  • TIMES, Special To The New York. STRANGE SKELETONS FOUND.: indications that tribe hitherto unknown once lived in wisconsin. The New York TimesNew York. 4 maio 1912. Disponível em: https://www.nytimes.com/1912/05/04/archives/strange-skeletons-found-indications-that-tribe-hitherto-unknown.html.
  • WARREN, Frank. Trace Of Giants Found In Desert. The San Diego Union.San Diego. 4 ago. 1947. Disponível em: https://rense.com/general15/hiss.htm.
  • SPERA, Amanda Mattosinhos; TRUJILLO, Carlos Alberto Bertoldi; LINS, Claudio Gomes; ALMEIDA, Cristiano de Salles; ANDRADE, Flávio Cristiano Leopoldo de; BOTELHO, Marina Tenório; CHUQUI, Mateus Gustavo. XXIII. Os gigantes da Antártida. 2015. Disponível em: https://www.io.usp.br/index.php/oceanos/textos/antartida/740-xxiii-os-gigantes-da-antartida.html.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.