Principal » Física & Química » Álcoois – Características, nomenclatura, classificação e principais álcoois

Álcoois – Características, nomenclatura, classificação e principais álcoois

Os Álcoois são compostos químicos que tem como principais representantes o etanol e o metanol. Entenda o que é, e suas principais características.

Álcoois – Características, nomenclatura, classificação e principais álcoois

Os álcoois são substâncias que tem o grupo hidroxila (OH) interligado a um átomo de carbono saturado. Você com certeza está familiarizado com os principais álcoois presentes no nosso dia a dia, que são o etanol e o metanol.

Sendo assim, os álcoois podem ser considerados ácidos fracos, isso porque o oxigênio presente neles é eletronegativo. Ou seja, ele atrai os elétrons da ligação para si, deixando o hidrogênio ácido. Portanto, os álcoois são capazes de realizar várias reações distintas.

Desse modo, para entender todo esse processo melhor, hoje vamos falar sobre os álcoois, enfatizando suas características e os principais exemplos.

Características do Álcoois

Os álcoois possuem diversas características que os diferenciam das demais substâncias. Sendo assim, vamos conhecer cada uma delas a seguir:

  • Ácido;
  • Cheiro característico;
  • Densidade mais baixa do que da água;
  • Incolor;
  • Inflamável;
  • Líquido, quando tem até 11 carbonos. Contudo, acima de 11 carbonos, sólido;
  • Molécula polar;
  • Ponto de ebulição alto;
  • Tóxico.

Nomenclatura dos Álcoois

Quanto a nomenclatura dos álcoois, como as das demais substâncias do tipo, seguem a mesma regra da IUPAC. Desse modo, os nomes das substâncias é formada por um prefixo, uma palavra intermediária e um sufixo.

Sendo assim, confira o que cada um deles significa:

  • Prefixo – indica o número de carbonos: 1 met, 2 et, 3 prop, 4 but, 5 pemt, 6 hex, 7 hept, 8 oct, 9 non, 10 dec;
  • Intermédio – indica o tipo de ligação química: an para ligações simples, dien para 2 duplas , in para 1 tripla, diin para 2 triplas, enin para 1 dupla e 1 tripla;
  • Sufixo – indica a função orgânica. Portanto, nesse caso, ol é o sufixo para os álcoois.

Portanto, o nome será definido assim: Prefixo + tipo de ligação + OL

Contudo, existem ainda algumas regras fundamentais para entender a sua nomenclatura:

  • Quando se trata de estruturas que possuem mais de um grupo hidroxila, a contagem deve ser a que proporciona a menor numeração para estes grupos. Ou seja, deve-se usar os prefixos di, tri, tetra para designar a quantidade de hidroxilas. Como mostrado na fórmula abaixo:
Hexan-1,4-diol
  • Já em cadeias ramificadas, valem as regras na IUPAC. Portanto, sendo a contagem da cadeia principal a que contenha a ramificação na menor numeração a partir da hidroxila. Como nesse exemplo:
4-metil-hexan-2-ol
  • No caso de álcoois insaturados, em seus nomes devem constar as posições do grupo funcional, das insaturações e das ramificações, seguindo a ordem de prioridade. Veja o exemplo abaixo:
2-metil-pent-3-enol
  • Por fim, no caso dos monoálcoois, há a possibilidade de utilizar uma nomenclatura usual, na qual o radical ligado ao grupo hidroxila é nomeado seguindo os prefixos. Além disso, deve ser utilizado a terminação ÍLICO.
Álcool Etílico

Classificação dos Álcoois

Como outras substâncias químicas, os álcoois também podem ser classificados de diversas formas. Sendo assim, diante da posição da hidroxila, eles podem ser:

  • Primários: quando ligados a apenas um átomo de carbono;
  • Secundários: quando ligados a dois átomos de carbono;
  • Terciários: quando ligados a três átomos de carbono.

Os álcoois também podem ser classificados de acordo com o número de grupos hidroxilas presentes na estrutura:

  • Monoálcool: quando possuem apenas uma hidroxila;
  • Diálcool: quando possuem duas hidroxilas;
  • Triálcool: quando ligados a três hidroxilas.

Alguns Álcoois Importantes

Álcool Metílico (metanol)

O metanol (CH3OH) é um líquido inflamável de chama invisível, que é conhecido por ser muito utilizado como combustível para carros de corrida. Sendo também muito usado em solventes nas indústrias farmacêuticas.

Sua produção em escala industrial acontece a partir de carvão e água. Contudo, apesar de ser muito usado em diversas aplicações necessárias, é um composto químico altamente tóxico. Sendo assim, a sua ingestão pode gerar danos graves à saúde, podendo levar até a morte.

Álcool Etílico (etanol)

O etanol (C2H5OH) muito conhecido por ser usado como combustível, encontrado principalmente em países mais tropicais. Isso porque ele pode substituir a gasolina, uma vez que é mais barato e não produz dióxido de enxofre, o que faz dele também uma opção menos poluente.

Aliás, o Brasil só perde para os Estados Unidos quanto a produção de etanol em uma escala mundia. Sendo assim, aqui a principal matéria-prima do etanol é a cana de açúcar.

Glicerol

O glicerol por sua vez é um líquido xaroposo, incolor e adocicado. Ele é resultado de uma saponificação dos ésteres que constituem óleos e gorduras. Sua principal aplicação é na fabricação de tintas, cosméticos e na produção de nitroglicerina (explosivo).

Colesterol

Por fim, o colesterol (C27H45OH) que é um esteroide que forma as membranas celulares de todos os mamíferos, e é transportado pelo plasma sanguíneo.

Portanto, um álcool policíclico de cadeia longa, insolúvel em água e no sangue. Sendo assim, ao ser transportado, ele se liga a proteínas hidrossolúveis.

Por fim, o que você achou dessa matéria? Que tal entender mais sobre o álcool em gel?

Fontes: Toda Matéria, Brasil Escola, InfoEscola

Fonte Imagem Destaque: Chem MAP

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.