Bactérias: características, tipos, reprodução

Bactérias são seres unicelulares do Reino Monera, que vivem em diversos ambientes, como no ar, na água, no solo e em outros seres vivos.

Bactérias são organismos unicelulares, compostos apenas por uma célula, que não possuem núcleo nem organelas. Geralmente estão associadas às doenças ou complicações causadas nos seres humanos, por exemplo.

Entretanto, as bactérias são importantes, pois atuam na decomposição de matéria, auxiliam no Ciclo do Nitrogênio, são utilizados para a produção de antibióticos e atuam até na fabricação de alimentos, como é o caso do iogurte.

As bactérias eram agrupadas dentro do Reino Monera, até a classificação extinguir este reino. A partir daí, então, as bactérias e outros organismos procariontes foram divididos em dois novos grupos: o domínio Archaea e o domínio Bacteria.

Estrutura das bactérias

De forma geral, as bactérias são seres unicelulares e procariontes. Ou seja, são formadas apenas por uma célula e não possuem membrana nuclear – material responsável por envolver o material genético. Dessa forma, existem alguns tipos que podem causar doenças, mas esses seres também são importantes nos processos ecológicos.

Como a bactéria não possui membrana nuclear, o material genético, formado por uma molécula de DNA denominada nucleóide, fica localizado no citoplasma. Em alguns tipos de bactérias, moléculas adicionais DNA também são encontradas, sendo classificadas como plasmídeos. No caso do citoplasma, existem ribossomos responsáveis pela produção de proteína.

Bactérias, o que são? Definição, estrutura e principais características
Estrutura deste organismo.

O material que reveste a célula bacteriana é denominado membrana plasmática. No caso, a membrana é responsável por delimitar o citoplasma. Como parte da formação estrutural está a parede bacteriana, localizada na parte mais externa da membrana plasmática. Assim, a parede bacteriana protege a célula contra a entrada de água por meio do processo de osmose.

A parede bacteriana possui peptídeos ou lipídios que formam uma espécie de rede. Essas biomoléculas ficam ligadas a polissacarídeos, denominado de LPS, sendo o principal componente da parte externa da membrana bacteriana. Em alguns tipos de bactérias também são encontradas camadas ainda mais externas denominadas cápsula. As cápsulas protegem a bactéria da fagocitose e de possível desidratação.

Locomoção, nutrição e reprodução

Uma bactéria consegue se locomover por meio do batimento flagelar, também chamado de flagelo. Ou seja, o flagelo é formado por um longo filamento de proteínas, denominadas fibrila. Além do flagelo, as bactérias também se locomovem por meio de pili – pelos ou fímbrias, chamadas de estruturas anexas.

O flagelo auxilia no processo de locomoção.

Em relação à nutrição, no geral, as bactérias não conseguem produzir seu próprio alimento. Isso significa que são seres heterótrofos que precisam de outros seres vivos para se alimentar. Porém, existem alguns tipos de bactérias que são classificadas como autótrofas, ou seja, conseguem produzir o próprio alimento.

Dentre os tipos autótrofos está a aeróbia, que usa o oxigênio para produção do próprio alimento. As anaeróbias facultativas, neste caso, são aquelas que podem produzir o próprio alimento com ou sem a presença do oxigênio. Por fim, as anaeróbias obrigatórias não conseguem viver com oxigênio. Assim, morrem quando entram em contato com o elemento.

Já a reprodução das bactérias ocorre de maneira assexuada, ou seja, sem a conjunção de material genético. O processo ocorre por meio da divisão binária quando o cromossomo da bactéria se duplica e a célula é dividia gerando, assim, uma segunda bactéria idêntica. Além da divisão binária, a bactéria também se reproduz por meio da esporulação.

Formatos possíveis de serem encontrados.

Neste caso, o processo consiste na interrupção do metabolismo bacteriano. Quando o metabolismo é interrompido ocorre o surgimento do endósporo, capaz de viver inativo por muitos anos. Esse processo acontece quando este organismo se encontra em condições críticas, como a falta de nutriente e água para se alimentar.

Recombinação genética

De forma geral, as bactérias se produzem de forma assexuada. Entretanto, esses seres unicelulares também conseguem realizar um processo denominado recombinação genética. Ou seja, a bactéria produz novas bactérias, porém, com características que se diferem da bactéria original.

Visto isso, existem três processos diferentes de recombinação genética realizada pelas bactérias, sendo eles:

1. Conjunção bacteriana

Aqui ocorre a transferência de DNA por meio de fímbrias sexuais. A transferência é direta de uma para outra;

2. Transdução Bacteriana

O processo é realizado por meio da transferência de fragmentos do material genético. Neste caso, a transferência ocorre através de bacteriófagos, vírus que infectam bactérias;

3. Transformação Bacteriana

Neste caso, as moléculas de DNA são absorvidas e incorporadas pela DNA bacteriano. Vale lembrar que qualquer tipo de DNA pode ser incorporado, caso haja semelhança genética.

Principais tipos de bactérias

As bactérias são classificadas de acordo com o formato que possuem. Ou seja, uma bactéria pode ser encontrada na forma esférica (cocos), em bastão (bacilos), espiraladas, chamadas de espirilo e no formato de vírgula, denominadas de vibrião.

1. Bactérias esféricas

No caso das bactérias esféricas, a classificação engloba uma subdivisão, sendo as cocos, diplococos, tétrades, sarcina, estreptococos e as estafilococos. O que difere cada tipo é o formato, como no exemplo da tétrades que possui a forma de quatro cocos em conjunto.

Tipos diferentes, que variam de acordo com o formato.

2. Bactérias bacilos

Já as bactérias bacilos possuem o formato de bastão. Assim, são divididas em: bacilos, diplobacilos, estreptobacilos e cocobacilos. As bacilos possuem formado curto ou longo, sendo em bastão ou cilíndrico. As diplobacilos são formadas por bacilos unidos. As estreptobacilos possuem os bacilos em cadeia e, por fim, as cocobacilos são formadas por bacilos menores que se assemelham ao coco.

3. Bactérias espiraladas

As bactérias espiraladas, como o próprio nome sugere, são constituídas em forma de espiral. Além disso, existem os espirilos, que são formadas por espiral e que locomovem por meio de flagelos. Já as espiroquetas são os tipos que se locomovem por meio de contrações citoplasmáticas. Por fim, a bactéria vibrião é aquela que possui o formato parecido com uma vírgula.

Importância das bactérias

Ao contrário do que a gente costuma pensar, nem sempre as bactérias são maléficas. Muitas, aliás, são essenciais para nossa saúde, por as que ficam em nosso intestino, por exemplo. Nesse caso, elas formam o que chamamos de microbiota intestinal, a auxiliam no funcionamento do órgão e na absorção correta de nutrientes.

1. Auxiliam na absorção de nutrientes
2. Produz vitaminas
3. Evitam a proliferação de agentes patogênicos
4. São usadas na produção de vinagre e iogurte
5. Proporcionam a toxina botulínica, usada no tratamento de prevenção de rugas e linhas de expressão
6. Permitem a fabricação de vários tipos de antibióticos
7. Junto com os fungos, atuam na decomposição orgânica, papel de suma importância ecológica
8. As bactérias também estão presentes no ciclo do nitrogênio

Doenças causadas por bactérias

Mas, claro, não dá para dizer que elas também são responsáveis também por boa parte de doenças graves. Algumas delas, por muitos anos, levaram boa parte de seus infectados ao óbito.

Hoje em dia, no entanto, também por causa das bactérias, esses mesmos males podem ser tratados com antibióticos.

1. Sífilis
2. Cólera
3. Hanseníase
4. Tuberculose
5. Difteria
6. Tétano
7. Coqueluche
8. Pneumonia bacteriana
9. Meningite

O que achou da matéria? e gostou, aproveita pra conferir o que são Vírus e quais as características do Tecido Sanguíneo. 

Fontes: Beduka, Brasil Escola e Toda Matéria

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.