Física & Química

Descoberta recente com o bóson W pode revolucionar a Física

Uma recente descoberta de cientistas nos EUA sobre o bóson W, pode revolucionar a física e a compreensão do universo.

Continue lendo após a publicidade

Uma recente descoberta de cientistas nos EUA, sobre o bóson W, pode revolucionar a física e a compreensão do universo. Isso porque eles descobriram que a massa de uma partícula subatômica não é o que deveria ser.

A medição é o primeiro resultado conclusivo de um experimento que não está de acordo com as teorias mais importantes da física moderna.

Além disso, essa medição de alta precisão é cerca de 2 vezes mais precisa do que a melhor medição anterior.

Em resumo, a equipe descobriu que a partícula, conhecida como bóson W, possui mais massa do que as teorias acreditavam.

Continue lendo após a publicidade

Essa descoberta pode resultar no desenvolvimento de uma nova e mais completa teoria do funcionamento do universo. 

Os cientistas do CDF, Fermilab Collider Detector ou Detector do Colisor no Fermilab, encontraram somente uma pequena diferença na massa do bóson W em comparação com o que a teoria diz que deveria ser.

Essa diferença é de apenas 0,1%. Apesar de pequena, as implicações que podem surgir, caso confirmado, são enormes.

Acontece que o Modelo Padrão da física de partículas indicou o comportamento e as propriedades das partículas subatômicas sem erros por 50 anos.

Continue lendo após a publicidade

Em resumo, o Modelo Padrão da física de partículas é uma estrutura teórica que descreve a natureza no nível mais fundamental.

O que é bóson W?

O bóson W é a partícula mensageira da força nuclear fraca. Ela é uma das forças fundamentais da física. Isso porque ela é responsável pelos processos nos núcleos dos átomos.

Desse modo, a massa bóson W é um parâmetro dentro do arcabouço teórico do modelo padrão. Sendo que ele é limitado por outros parâmetros observáveis, tais como as massas das outras partículas e a carga do elétron.

Sendo assim, a medição precisa da sua massa pode possibilitar uma avaliação rigorosa da consistência das previsões da teoria. O bóson W ocupa um espaço central no modelo padrão.

Continue lendo após a publicidade

É por isso que os físicos estão sempre em busca de medir a sua massa com a maior precisão possível.

Enfim, depois de quase uma década de análise de dados coletados do acelerador de partículas Tevatron, uma equipe internacional com 400 pesquisadores relatou a medição mais precisa até o momento do bóson W.

De acordo com os dados, a massa do bóson W é de 80,4335 gigaelectronvolts. A massa que era aceita para o bóson W era de 80,379 gigaelectronvolts.

Sendo que a diferença do novo valor para o que era aceito antes, tem uma significância estatística de cerca de 5 sigmas.

Continue lendo após a publicidade

Isso significa uma probabilidade de cerca de 1 em 3,5 milhões de que essa diferença apareça devido a um acaso estatístico.

Mudanças na física

A descoberta foi uma verdadeira surpresa para os cientistas. Inclusive, eles analisaram de forma meticulosa os resultados procurando erros, mas não havia nenhum.

A conclusão dos cientistas, publicada na revista científica Science, pode estar ligada com as pistas de outros experimentos no Fermilab e no Grande Colisor de Hádrons, na fronteira suíço-francesa.

Essas conclusões, mesmo sem terem sido confirmadas, também sugerem desvios do Modelo Padrão. É possível que isso seja o resultado de uma 5º força da natureza que ainda não foi descoberta.

Continue lendo após a publicidade

Os físicos já sabiam há um tempo que a teoria precisava de uma atualização. Isso porque o conceito não consegue explicar a presença de material invisível no espaço, conhecido como Matéria Escura.

Também não explica a expansão acelerada do Universo por uma forma conhecida como Energia Escura. Por fim, ela também não explica a gravidade.

Portanto, se houver a comprovação das recentes descobertas, é possível que surjam novos resultados que podem provocar uma grande mudança na forma com que o universo é compreendido.

De fato, essa seria a maior mudança em relação ao entendimento do Universo desde as teorias da relatividade de Einstein, há mais de 100 anos.

Continue lendo após a publicidade

Mitesh Patel, da Universidade Imperial College de Londres, no Reino Unido, explica que:

“A esperança é que essas rachaduras se transformem em abismos e, eventualmente, veremos algum sinal espetacular que não apenas confirma que o Modelo Padrão caiu por terra como uma descrição da natureza, mas também nos dá uma nova direção para nos ajudar a entender o que estamos vendo e como é a nova teoria da física.”

Aceitação

A comunidade física está cautelosa. O resultado do Fermilab é a medida mais precisa da massa do bóson W até hoje.

Porém, ele não está de acordo com duas das próximas medidas mais precisas de dois experimentos separados que estão de acordo com o Modelo Padrão.

Continue lendo após a publicidade

Agora o foco está no Grande Colisor de Hádrons, que deve reiniciar os experimentos depois de uma reforma de 3 anos.

Sendo assim, a esperança é que esses testes tragam resultados que servirão como bases para uma nova teoria da física mais completa. 

Enfim, no texto acima você conferiu as recentes descobertas sobre o bóson W, tendo como fontes os sites BBC e Inovação tecnológica. Aproveite para conferir outros textos aqui no site que podem te interessar.

Por exemplo, você pode gostar de saber quais são os tipos de forças, o que é polaridade e ainda o que são elétrons.

Continue lendo após a publicidade

Além disso, você pode gostar de conferir o que são condutores e isolantes e como funciona a propagação do calor. Por fim, você pode ainda descobrir o que é a teoria do octeto.

Bibliografia:

Ghosh, Pallab. A descoberta que pode desencadear ‘maior revolução na Física desde as teorias de Einstein’. BBC. Acesso em: 13 de abril de 2022.

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments