Como ensinar uma criança a ler? 7 passos básicos

Existem várias maneiras de como ensinar uma criança a ler, sendo a diferenciação do que é símbolo e palavra uma das primeiras técnicas.

Ler, com certeza, é uma das práticas mais prazerosas que existem. Isso porque, por meio da leitura, é possível viajar para lugares distantes, imaginar cenários fantasiosos e mergulhar em diversos tipos de conhecimento. Porém, a leitura é um hábito adquirido, e as práticas de como ensinar a ler devem vir logo cedo, ainda na fase infantil.

Ou seja, a alfabetização infantil é crucial para tornar a leitura um hábito prazeroso. Alfabetizar não é tarefa fácil, mas existem diversas técnicas e maneiras de deixar os pequenos interessados em aprender a ler e escrever. Assim, para que o aprendizado seja feito de forma eficiente, é necessário que alguns pontos sejam destacados.

A leitura, neste caso, pode ser ensinada por meio de comportamentos e diversas atividades. Nesse sentido, o comportamento diz respeito ao ambiente onde a criança está e às formas com que os pais auxiliam no processo de aprendizado.

Ao auxiliar uma criança a ler, por exemplo, técnicas simples podem tornar o desenvolvimento da leitura prazeroso. Assim, não é forçar o aprendizado, mas sim aprender formas de tornar o caminho mais agradável para os pequenos.

Mas, afinal, quais são as técnicas para ensinar a ler? Vamos te contar!

Como ensinar a ler?

O primeiro passo para auxiliar uma criança como ensinar a ler é a alfabetização. Com isso, é necessário mostrar para a criança os benefícios que ela terá com a leitura. Sendo assim, um dos primeiros caminhos, nesse sentido, é relacionar a escrita com objetos visuais. Mas por quê? A resposta é simples!

Imagine que você esteja aprendendo uma nova língua. Ali, nos primeiros dias de aprendizado, você não consegue entender o que está escrito numa frase sem a ajuda de imagens que se associem à escrita. Isso acontece porque as letras que formam a frase não passam de símbolos. Com as crianças, a situação é a mesma.

Então, o primeiro passo da alfabetização infantil é ensinar a diferença existente entre letras, desenhos e símbolos. O importante dessa técnica é mostrar para a criança que letras e símbolos possuem distinção e que podemos registrar o que falamos por meio da escrita.

Outro passo importante é ensinar a ordem como a leitura funciona, ou seja, da esquerda para a direita. Assim, vale ler junto da criança com o dedo sobre as palavras, ensinando como é a estrutura da leitura. A partir do entendimento das letras e da ordem de leitura, o próximo passo é ensinar as letras iniciais do alfabeto.

Para isso, é recomendado o uso de atividades lúdicas, como músicas, livros com histórias curtas e brincadeiras na internet, por exemplo. Esse tipo de prática ajuda a criança a entender como o alfabeto é montado. Assim, para iniciar o processo de alfabetização, as vogais e fonemas devem ser ensinados, mostrando que as letras podem formar palavras.

Contando histórias

A partir do entendimento das vogais e fonemas, o próximo passo de como ensinar a ler é ensinar a criança a escrever o próprio nome. Isso porque, o nome representa um sentimento profundo, ou seja, a identidade. A questão do nome também pode ser aplicada com o nome dos pais e de amigos próximos à criança.

Contar histórias, com certeza, é uma técnica infalível. Depois de todo o processo de conhecimento do alfabeto, entendimento das vogais e da formação das palavras, a criança vai se apaixonar ainda mais pela leitura.

Provavelmente, nesta fase, os pequenos já estarão lendo por conta própria. A partir disso, o processo de aprendizado passa, então, para a fase do ritmo e da frequência de leitura.

 

O ritmo de leitura, neste caso, é o entendimento da criança sobre pontuação, pausas na leitura e entonação, por exemplo. Com a leitura frequente de histórias, a compreensão textual, com certeza, aumentará.

O que pode ser feito a partir disso é incentivar a produção de textos. Além do mais, a criança poderá aumentar o vocabulário já aprendido, além de compreender a estrutura das histórias com início, meio e fim.

A diferença entre alfabetização e letramento

Embora pareçam sinônimos, alfabetização e letramento são dois processos diferentes. Por exemplo, enquanto a primeira está associada ao aprendizado de uma outra tecnologia de representação da linguagem humana, a escrita alfabético-ortográfica, o segundo é um pouco mais amplo.

De acordo com a professora e pesquisadora Magda Soares, o letramento surgiu de uma ampliação progressiva do conceito da própria alfabetização. Sendo assim, uma pessoa considerada alfabetizada é aquela que domina as habilidades básicas de leitura e escrita. Em contrapartida, alguém letrado sabe aplicar essas habilidades no exercício da prática social.

Dito isso, a imersão no mundo da leitura e escrita exige mais do que as habilidades básicas de compreensão e aplicação, o denominado alfabetismo funcional. Isso significa que, por exemplo, muito além de conseguir ler um texto, é necessário saber interpretá-lo.

Em suma, nas palavras de Soares, não adianta nada aprender uma técnica e não saber usá-la. Sendo assim, alfabetização e letramento caminham lado à lado, sem que nenhuma anteceda a outra.

Nunca é tarde para aprender

Segundo um levantamento realizado pelo escritor e educador Jonathan Kozol em seu livro Illiterate America, em 1985, a taxa de analfabetismo estadunidense era gritante. Só para ilustrar, mais de sessenta milhões de norte-americanos eram analfabetos ou funcionalmente analfabetos.

Pois bem, apesar de muitos anos terem se passado desde então, em 2011, os Estados Unidos ainda estavam entre os países com maior índice de analfabetismo do planeta, mesmo sendo a maior potência mundial. Infelizmente, essa não é uma realidade muito distante aqui no Brasil.

Em 2018, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou 11,3 milhões de pessoas analfabetas com 15 anos ou mais de idade. Grande parte desses números é resultado de um raciocínio equivocado no qual a alfabetização e letramento devem ser concentrados na parcela mais jovem da população.

Entretanto, a educação de jovens e adultos no Brasil tem sido construída por dois movimentos específicos: o próprio grupo reivindicador desse conhecimento, o qual não pôde ter acesso à escolarização regular por n motivos e os educadores que se preocupam com essa demanda social.

Dessa forma, graças a pessoas que almejam alfabetização e letramento e àqueles que estão dispostos a ensiná-las, é possível ressiginificar a educação brasileira. Afinal, nunca é tarde para aprender e ensinar a ler, e isso abre universos de possibilidades.

Atividades para ensinar a ler

Cada fase da alfabetização infantil exige atividades diferentes, o que compõe os processos de como ensinar a ler. Isso porque, o nível de aprendizado vai aumentado conforme a idade. Então, nos primeiros momentos quando as vogais estão sendo ensinadas, por exemplo, é possível utilizar atividades como:

  • “A palavra ____ começa com que letra?”
  • “Qual a palavra que começa com a letra _____?”
  • Jogos na internet;
  • Livros pontilhados;
  • Músicas do alfabeto;
  • Caça-palavras;
  • Palavras cruzadas.

A partir da introdução das sílabas, as brincadeiras podem passar para um nível mais avançado, como a formação das palavras. Neste caso, brincadeiras como n+a forma na; n+e, forma ne e assim por diante. Por fim, o incentivo à leitura pode ser, também, mostrado com elementos cotidianos. Por exemplo, mostrar outdoors, placas, desenhos com escrita, etc.

E então, o que achou da matéria? Se gostou, confira também o que é Intertextualidade e quais são os tipos de Variação Linguística. 

Fontes: Home Schooling Brasil, Leiturinha, Gravidez Online, Ceale, Presença Pedagógica, Época,

Bibliografia:

  • SOARES, Magda. Alfabetização e letramento: caderno do professor / Magda Becker Soares; Antônio Augusto Gomes Batista. Belo Horizonte: Ceale/FaE/UFMG, 2005. 64 p. – (Coleção Alfabetização e Letramento).
  • SOARES, Magda. A reinvenção da alfabetização. Presença Pedagógica, [S.L], v. 9, n. 52, p. 15-21, jul. 2003.
  • FREIRE, Paulo. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra / Paulo Freire, Donaldo Macedo, tradução Lólio Lourenço de Oliveira. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.
  • PORTALBRASIL. Estados Unidos da América. [20–]. Disponível em: https://www.portalbrasil.net/americas_estadosunidos.htm. Acesso em: 08 jul. 2021.
  • DURANTE, Marta. Alfabetização de adultos [recurso eletrônico]: leitura e produção de textos / Marta Durante. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed, 2007.

Imagens: Outras PalavrasQuindimColégio Gênesis e WR Educacional.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.