Geografia

Crosta da terra, o que é? Partes, características e camadas terrestres

A camada mais externa do planeta é a crosta da terra, ou seja, a parte superior da litosfera, sendo que a terra é formada por três camadas.

Continue lendo após a publicidade

A camada mais externa do planeta é a crosta da terra, ou seja, a parte superior da litosfera. Basicamente, a Terra é formada por três camadas e estas camadas possuem suas subdivisões, sendo a crosta, manto e núcleo. O manto se subdivide em manto superior e inferior. Já o núcleo se subdivide em externo e interno.

Para a conclusão e análise desses dados se fez vários tipos de sondagens na Terra. Neste sentido, foram feitas análises por sondagem sônica no oceano e por leitura de ondas sísmicas (sismologia). Assim, nas leituras das ondas sísmicas, as velocidades das ondas indicaram a presença de camadas na constituição terrestre.

Nas leituras de ondas sísmicas descobriu-se que a 2.900 km encontra-se o manto, abaixo da crosta da terra, com sua parte superior ou litosfera a 70/100 km de profundidade nos oceanos e 100/150 km em regiões continentais designada de astenosfera.

Características da crosta de terra

Basicamente, a crosta da terra, em relação às outras camadas, é fina e varia sua espessura entre 5 e 70 km. Além disso, são 40 km na camada continental e 7 km na camada oceânica. Em síntese, a crosta de terra se divide em crosta oceânica e crosta continental.

Continue lendo após a publicidade
Crosta da terra, o que é? partes, características e camadas terrestres
canaltech

No entanto, a crosta continental possui constituição félsica (silicatos) e é rica em silício, alumínio e potássio. Ademais, também é constituída por silicato aluminoso (antigamente chamado de sial).

Assim, sua composição global é constituída majoritariamente por granito. Em relação à sua espessura, a crosta continental possui aproximadamente de 20 a 70 km.

A crosta oceânica ou marítima tem constituição máfica (magma, rocha ígnea), minerais ricos em ferro e magnésio. Porém, majoritariamente é constituída por basalto e tem espessura de 7 a 10 km.

No entanto, em análises sismológicas foi detectada uma descontinuidade composicional abaixo da crosta terrestre, isso foi concluído por causa da velocidade das ondas sísmicas (movimentos das partículas das rochas) aumentarem até 8 km/s.

Continue lendo após a publicidade

A esta descontinuidade foi dado o nome de descontinuidade Mohorovicic, nesta análise se detectou a separação entre a crosta e o manto.

Partes da crosta

Primeiramente, em relação às partes da crosta terrestre, ela se divide em duas camadas, sima (crosta inferior), formada majoritariamente por basalto com predominância dos elementos silício e magnésio. Por outro lado, a camada sial (crosta superior) é formada basicamente por rochas causadas por sedimentos e granitos.

A propósito, o nome sial vem do fato desta camada ser composta também de silicatos aluminosos. Porém, outro fator importante relacionado à crosta terrestre é somente a costa superior tem contato com os oceanos

Basicamente, a crosta terrestre sofre muitas modificações em sua estrutura, por ações diversas.  Porém, essas transformações ocorrem por dois tipos de agentes: internos (endógenos) e externos (exógenos):

Continue lendo após a publicidade

Em relação aos ventos, águas e clima, são fatores que alteram a composição química e física das rochas provocando erosão, sedimentação e outras transformações.

A descontinuidade da crosta de terra

Uma característica importante da crosta terrestre é o fato dela não ser contínua e ser formada por inúmeros fragmentos chamados de placas tectônicas.

Contudo, essas placas estão sempre em movimento, devido à ação contínua do magma situado abaixo da crosta. As placas tectônicas possuem três tipos de tensões tectônicas:

  •  Convergência por obducção (spreding)
  •  Divergência (lateral sliding)
  •  Convergência por subducção (subduction)
Crosta da terra, o que é? partes, características e camadas terrestres
Freepik

Há 250 bilhões de anos, a crosta total formava um só continente chamado pangeia (todas as terras em grego), em algumas centenas de milhões de anos esse grande continente foi se fragmentando dando origem aos continentes atuais. 

Continue lendo após a publicidade

Sendo assim, as camadas tectônicas flutuam ainda sobre o manto, mais especificamente sobre a astenosfera. Sendo assim, nessa flutuação se dá o deslocamento de alguns centímetros.

Manto, litosfera e astenosfera

Basicamente, a presença de camadas na terra foi indicada pelas descontinuidades das velocidades das ondas sísmicas.  Assim, uma dessas descontinuidades é chamada de mohorovicic (moho).

Por outro lado, atingindo uma profundidade de 2900 km, encontra-se uma camada composta por silicatos, denominada de manto, formada a 3,8 bilhões de anos. Contudo, esse manto é dividido em duas partes, o manto superior (litosfera) e o inferior (mesosfera).

Porém, existe uma camada entre as duas, chamada de astenosfera, que possui 870°C e baixa velocidade, responsável pelo equilíbrio isostático. A camada superior varia de 70 a 100 km de profundidade nos oceanos, e de 100 a 150 km nas regiões continentais, tem uma temperatura de 100°C e velocidade de ondas sísmicas de 8 km/s.

Continue lendo após a publicidade

Mesosfera

A camada inferior ou mesosfera é composta de óxido de ferro, magnésio e silicatos ferromagnesianos. Em síntese, esta parte se apresenta em estado semi-sólido (comportamento plástico) e é homogênea em sua maior parte. Além disso, ela possui temperatura de 2200°C e velocidade sísmica de 13,5 Km/s.

O motivo da mudança de velocidade sísmica está relacionado com a variação na composição química das rochas. Neste sentido, o manto é composto de grandes porcentagens de ferro e magnésio, onde se destacam os piroxênios e as olivinas.

Nesse sentido, esta porção da terra possui rochas, diferentemente da crosta, pobres em silício e alumínio, como:

  • Peridotitos: grupo de rochas ultramáficas (teor muito baixo de sílica), rochas ígneas.
  • Eclogitos: rochas metamórficas de altas densidades
  • Dunitos: periódico composto por olivina

O núcleo

Em síntese, o núcleo pode ter sido formado por migração dos elementos mais densos para o interior terrestre. No entanto, os silicatos menos densos ficaram na superfície.

Continue lendo após a publicidade
Crosta da terra, o que é? partes, características e camadas terrestres
Veja

Basicamente, o núcleo se divide em duas partes: a parte sólida interna e a parte externa. A parte externa tem uma espessura de até 5.150 km de profundidade e é constituído de 90% de ferro, 10% de níquel e pequenas quantidades de silício e enxofre.

No entanto, possui uma viscosidade semelhante à água. A interface do manto com o núcleo está separada pela descontinuidade de Gutenberg a qual fica a 2.700/2890 km de profundidade.

O núcleo interno, ao contrário do externo, é sólido. Nele predomina os elementos: ferro, níquel, silício, enxofre e oxigênio.

Alguns estudiosos aludem à não solidez total do núcleo, alegando uma mistura de fases sólidas e líquidas a condição de temperatura e pressão muito próxima da necessária para solidificação.

Continue lendo após a publicidade

Então, gostou da matéria? Se gostou, leia também: Superfície terrestre, o que é? Composição e camadas da terra

Fontes: Brasil Escola, Mundo Educação, CPRM, Escola Kids

Imagens: Pexels, Canal Tech, Freepik, Veja

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments