Cultura africana: uma das principais raízes da cultura brasileira

A cultura africana é bem vasta e diversificada. Dessa forma, ela tem uma enorme riqueza imaterial, tanto por causa da diversidade de etnias na África, quanto pela influência que povos do Oriente Médio e europeus.

A cultura africana é bem vasta e diversificada. Dessa forma, ela tem uma enorme riqueza imaterial, tanto por causa da diversidade de etnias na África, quanto pela influência que povos do Oriente Médio e europeus.

Diversidade da cultura africana

É possível dividir o continente africano em:

  • África saariana (região norte);
  • África subsaariana (região sul).

As duas regiões têm uma grande diversidade cultural. No entanto, a região sul tem uma diversidade maior. É nela que está a maior parte da população.

Por outro lado, a região norte manteve, ao longo da história, contatos forçados e espontâneos com vários povos. Como por exemplo, com os povos fenícios, turcos, árabes, romanos, gregos e do extremo oriente.

Essa região da África é composta por países como:

  • Egito;
  • Marrocos;
  • Tunísia;
  • Líbia;
  • Argélia.

Cerca de 30% da população do continente habita nessa região. Sendo que, em sua grande parte, essas pessoas cultuam o islamismo. Mas existe também uma minoria que é cristã.

A África subsaariana é composta por povos de várias etnias que levavam um modo de vida tribal. Sendo que, dentre as várias etnias, temos os povos Bantos, Nagô e Jeje. Esses povos foram trazidos para o Brasil no Período Colonial.

Muitas tribos tinham diferentes religiões. Mas todas com uma matriz parecida, tendo como base o culto aos orixás.

Em resumo, os orixás são entidades que têm um contato espiritual com a natureza. Eles representam a ligação e a proteção dos elementos naturais ou dos seres humanos.

Hoje em dia, uma grande parte da população do sul da África mantém as suas raízes e cultua as religiões tradicionais. Contudo, existe também um grande número de muçulmanos e cristãos na região.

Contudo, por causa de preconceitos, isso causa conflitos religiosos. Isso ocorre, sobretudo, entre os muçulmanos e os cristãos.

Vale destacar que, diferente do que muitas pessoas pensam, a fome, a miséria, as doenças não fazem parte da história antiga da África.

Enfim, as mazelas que atingem o povo africano nos dias de hoje, são resultantes da colonização em dois ciclos:

1- Colonialismo

No período do colonialismo, países liderados por Portugal e Espanha, buscaram na África subsaariana pessoas para serem escravizadas nas colônias.

A intenção era satisfazer as necessidades de mão de obra agrícola e da mineração. Nessa época, os países europeus também confiscaram riquezas naturais africanas.

Além disso, a colonização foi o acirramento intencional, por parte dos europeus, de conflitos internos entre as tribos africanas.

Isso com o objetivo de conseguir, por meio de acordos com as tribos vencedoras, a captura dos escravos vencidos na guerra para que fossem enviados para as colônias.

Isso porque era um costume comum entre as tribos que os vencedores capturassem os vencidos como escravos. No entanto, esse sistema de escravidão era bem diferente da escravidão de viés europeu.

Acontece que na escravidão comum entre as tribos, senhor e escravo era iguais. Por outro lado, na escravidão de viés europeu, os africanos eram vistos como inferiores.

2- Neocolonialismo

O neocolonialismo é também chamado de imperialismo. Na prática, ele foi uma 2º onda de colonização. Em resumo, ela serviu para dividir a África subsaariana e alguns países da Ásia e Oceania entre as principais potências europeias.

Com isso, a maior parte do continente africano ficou sob o domínio da Inglaterra. Alguns países também ficaram sob os domínios português e francês.

Desse modo, houve a divisão de fronteiras e formação de Estados nacionais na região. No entanto, os Estados abrigavam várias etnias e tribos diferentes, com religiões e culturas diferentes, e que eram inimigas.

O resultado disso foi vários conflitos internos e guerras civis. Dessa forma, o continente ficou marcado por conflitos o que contribuiu para a pobreza da população local.

Além disso, outros fatores que ocasionaram a miséria, foram a retirada desenfreada de recursos naturais oriundos da mineração, como por exemplo, o ouro.

Isso porque essa retirada causou o esgotamento dos recursos naturais em vários locais do continente.

Tradições culturais da África

A África é um continente com uma cultura bem vasta e diversificada:

1- Hábitos e costumes na África

No norte do continente, destacam-se os hábitos e costumes tradicionais islâmicos. Isso porque, nessa região, o islamismo é a religião predominante.

Dessa forma, é comum nas sociedades, principalmente a egípcia e a marroquina, o uso do véu para as mulheres muçulmanas. Existe também a instituição de um modelo patriarcal de família.

Por outro lado, os povos do sul contam com uma cultura mais vasta e diversificada. Em certos lugares, a religião dominante é a cristã. Mas existem outros lugares onde prevalece o modo de vida tribal.

2- Artes plásticas

Os povos africanos do sul desenvolveram várias formas artísticas ligadas, sobretudo, às suas religiões.

Sendo assim, as artes envolvem artefatos, como máscaras, trançados de corda, estatuetas e outros, esculpidos em madeira, pedra ou confeccionados com tecidos.

O simbolismo dessa arte, remete às divindades ou a elementos do cotidiano. Podendo ter diferentes significados para cada povo.

Por exemplo, as esculturas em marfim dos povos Bakongo evidenciam a tradicional caça de elefantes, animais que já foram abundantes em alguns lugares da África, para a alimentação.

Em síntese, as presas desses animais são feitas de um material denso e calcificado, o marfim, e eram utilizadas para fazer esculturas e adornos, como colares.

Por fim, os povos d as regiões de Savana (bioma presente em grande parte da África subsaariana) conheciam a metalurgia, fundindo metais para fabricar armas de caça e de guerra, além de artefatos de decoração.

3- Música e dança na África

A música e a dança fazem parte das culturas tribais africanas. Como têm um ritmo marcado por instrumentos de percussão, as danças africanas geralmente têm ritmo e compasso rápidos.

Tanto a música quanto a dança, muitas vezes, têm conotações religiosas. Sendo assim, elas são usadas em cultos tradicionais, sendo elementos que atraem e agradam os orixás (ou os bons espíritos) e afastam os maus espíritos.

Além disso, ambas as artes são usadas nas tribos em comemorações e festivais.

Um exemplo de ritmo de origem africana é a capoeira, que é uma mistura de arte marcial e dança. Outros exemplos de ritmos são: batuque, lundu e coco.

Vale destacar que muitos ritmos musicais ocidentais tiveram como origem a música africada. Alguns exemplos disso são:

Alguns instrumentos típicos da cultura africana são:

1- Atabaque

Trata-se de um instrumentos de percussão fabricado com madeira e couro de animais. Geralmente, toca-se este instrumento com as mãos.

Mas também pode ser tocado com baquetas finas de madeira. Hoje em dia, o atabaque é usado na capoeira, no samba, no axé e no maracatu e em outros ritmos.

2- Berimbau

Em resumo, o berimbau é um instrumento de origem angolana. Ele é composto por um arco de madeira, uma corda de arame e uma caixa de cabaça, que amplifica o som que resulta da vibração da corda.

Ele é tocado com uma vareta, feita de algum graveto de madeira resistente.

Além disso, ele costuma ser acompanhado por um chocalho, que movimenta a vareta, e uma pedra, que segura o berimbau e serve para interromper a vibração da corda.

Enfim, o berimbau é usado, desde a sua criação, na capoeira. O intuito é produzir os sons típicos que entoam a dança dos capoeiristas.

3- Agogô

Trata-se de um instrumento de metal. Ele tem duas ou mais campânulas de metal. Elas são de tamanhos diferentes e são presas por uma haste de metal.

Sendo que, para vibrar as campânulas, é usado uma baqueta de metal ou de madeira.

4- Afoxé

Por fim, o afoxé é um tipo de chocalho feito com uma cabaça e uma rede trançada com linhas e sementes.

A rede cobre a cabaça, mas fica solta. Com isso, ela possibilita um atrito entre as sementes e a cabaça quando movimentadas, o que gera o som amplificado pela cabaça.

Cultura afrodescendente no Brasil

A cultura africana chegou ao Brasil por meio dos africanos que foram trazidos para serem escravos. Desse modo, a cultura brasileira é o resultado da fusão entre a cultura africana e os vários elementos da cultura indígena e europeia.

1- Candomblé e Umbanda

O candomblé e a umbanda, são religiões que nasceram no Brasil. No entanto, elas tiveram com base elementos religiosos africanos.

Em resumo, o candomblé consiste no culto aos orixás da cultura iorubá. Já a umbanda é uma forma sincrética entre o candomblé, o catolicismo e o espiritismo kardecista.

2- Culinária

A culinária brasileira é cheia de pratos e ingredientes originários da cultura africana ou que foram criados por africanos no Brasil. Alguns exemplos são:

  • Acarajé;
  • Vatapá;
  • Abará;
  • Caruru.

3- Dança

Por fim, várias danças brasileiras foram trazidas por africanos ou surgiram com base em elementos culturais dessas pessoas que viviam no Brasil. Alguns exemplos disso são:

  • Capoeira;
  • Samba;
  • Axé;
  • Coco;
  • Maracatu.

Enfim, gostou de aprender sobre a cultura africana? Então aproveite para ler outros textos aqui no site que você pode gostar.

Por exemplo, você pode descobrir quantos países tem na África. Além disso, você pode aprender sobre a mitologia africana. E por fim, descubra como o apartheid dividiu a África.

Fontes: Wikipédia; Culinária; Culinária no Mundo; Cidadania e Cultura; Afreaka; Cultura Afro-brasileira; Educação Geledés; Significados; Brasil Escola; IFG; Portal da Cultura Afro-brasileira.

Bibliografia:

  • PORFÍRIO, Francisco. “Cultura africana”; Brasil Escola .
  • SANTOS, Camila Leopoldina Batista dos; PEREIRA, Elcimar Dias; SILVA, Adailton da. Cultura Africana e Afrobrasileira a partir da Capoeira Angola. Jataí: IFG, 2018.
  • AFRO-BRASILEIRA, Portal da Cultura. A Cultura Africana. [20–].

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.