Principal » Geografia » Desastres naturais, o que são? Definição, principais tipos e como prevenir

Desastres naturais, o que são? Definição, principais tipos e como prevenir

Desastres naturais são acontecimentos que estão além do controle humano. Causados pela natureza, geralmente provocam grandes estragos.

Desastres naturais

Os desastres naturais são fenômenos que acontecem na terra e são ocasionados por forças da natureza, podendo ser atenuados pela ação humana.

Dessa forma, esses eventos de ordem catastrófica acabam trazendo prejuízos materiais e outros tipos de danos às cidades e países por onde passam.

Muitos destes desastres naturais podem ter seus danos reduzidos com a tecnologia que o ser humano desenvolveu ao passar dos anos.

Entretanto, sua natureza imprevisível ainda causa incertezas à população mundial, tornando assim quase que impossível evitar mortes, ferimentos e destruição de casas.

Estes acontecimentos estão ligados às mudanças no planeta. Fatores como o aumento no aquecimento global e o efeito estufa acabam contribuindo para que tempestades, ciclones, furacões, tsunamis e inundações aconteçam com maior frequência em tempos atuais.

Classificação dos desastres naturais

A dinâmica dos desastres naturais permite que eles sejam classificados da seguinte forma:

1. Tempestades: a quantidade de água despejada das nuvens traz os raios, as chuvas de granizo e causam inundações e assoreamentos. Além disso, estão aqui relacionadas as chuvas de areias nos desertos e, com pouca ocorrência, as chuvas de meteoros.

furacão irma
Imagens de satélite do furacão Irma

2. Secas: a ausência de água no planeta provoca a desertificação do ambiente. Como resultado disso, os desastres naturais que acontecem  são os incêndios, que também trazem consequências no consumo de água, além de prejudicar o nível da água nos reservatórios.

3. Furacões: com ventos fortes que variam entre 120km/h a 300km/h, os furacões se formam sobre os oceanos, como resultado das elevadas temperaturas da água do mar. A evaporação das águas acaba formando desastres naturais, como tempestades, que devastam áreas por onde passam e só perdem a força quando chegam ao continente.

4. Vulcões, terremotos e tsunamis: causados pela movimentação das placas tectônicas, que acabam pressionando o magma até a superfície. Essa movimentação tectônica pode acontecer com movimentos divergentes ou convergentes.

Como fazer a prevenção dos desastres naturais?

Normalmente, países frequentemente atingidos, como Japão e Estados Unidos, possuem uma rotina específica em caso de desastres naturais.

Como medidas de prevenção, há nestes países a presença de prédios construídos para resistir a abalos, além de abrigos subterrâneos que abrigam as pessoas.

Todavia, desastres naturais que acontecem a partir da movimentação e encontro de placas tectônicas não podem ser prevenidos. Mas a prevenção a outros tipos de desastres pode ser feita com uma certa regulação do meio ambiente.

Desastres naturais, o que são? Definição, principais tipos e como prevenir
O Globo

Por exemplo, árvores presentes nas laterais dos morros são primordiais para prevenir avalanches e deslizamentos. Elas ajudam a manter a neve e o solo no lugar correto.

Por outro lado, enchentes são evitadas quando as margens dos rios são reforçadas, com construção de barragens que dão um novo fluxo à agua, levando para longe de grandes centros.

Igualmente, o crescimento desordenado das cidades também ocasiona os desastres naturais. Todavia, uma boa medida seria respeitar as leis ambientais de cada país, favorecendo assim o planejamento mais eficaz, sem construções em áreas de proteção ambiental ou lugares com riscos de erupções, inundações e coisas do tipo.

Dessa forma, sistemas de alerta emitidos pelos meios de comunicação (rádio, televisão, internet) e planos de evacuação de terrenos atingidos por catástrofes também podem ajudar na redução de danos. Em caso de qualquer ocorrência do tipo, a população recebe as orientações, a fim de tomar providências necessárias.

Curiosidades ou a força dos eventos naturais

Em dezembro de 2004, a costa oeste de Sumatra, na Indonésia, foi atingida por um terremoto de magnitude 9. A região também presenciou o terceiro maior maremoto do mundo, que deixou mais de 230 mil pessoas mortas.

Um ano depois, em 29 de agosto de 2005, os Estados Unidos conheciam a fúria do furacão Katrina. De categoria 5, e com ventos de 280 quilômetros por hora, esse desastre natural destruiu boa parte da costa sul do país e deixou cerca de duas mil pessoas mortas.

Da mesma forma, em 2010, Porto Príncipe teve que lidar com um terremoto de magnitude 7. A capital do Haiti ficou completamente destruída e mais de 200 mil pessoas morreram.

Desastres naturais, o que são? Definição, principais tipos e como prevenir
A cidade de Porto Príncipe após o terremoto

Em 2011, foi registrado um abalo de 9 graus, seguido de um tsunami no Japão. Na ocasião, o país contabilizou cerca de 19 mil mortos e outros danos estruturais, como um acidente nuclear na usina de Fukushima. Esse foi um dos desastres naturais mais sérios dos últimos tempos.

O que achou da matéria? Se gostou, leia também: Círculo de Fogo do Pacífico – O que é, países e curiosidades sobre a área.

Fontes: Escola Britannica, Toda Matéria, Info Escola, Portal São Francisco

Imagens: Jornal Gazeta, Veja, O Globo, Agência Brasil

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.