Biologia

Glândula, o que? Conceito, principais tipos, funções e exemplos

O corpo humano possui várias glândulas. A função delas é a produção de substâncias necessárias para o funcionamento do organismo.

Continue lendo após a publicidade

A princípio, a glândula é uma estrutura constituída a partir do tecido epitelial do tipo glandular, o qual realiza a síntese e liberação das substâncias. O corpo humano é bem complexo e necessita de várias substâncias. Por isso, há a presença de diversas glândulas para colaborar.

Dessa forma, o funcionamento do corpo depende dessas estruturas que possuem a função secretora. A secreção, característica do epitélio da glândula, tem a função de revestir todo o corpo.

As glândulas podem ser classificadas como unicelulares ou pluricelulares, quando são formadas por uma única célula ou várias células agrupadas, respectivamente. Nesse interim, pode-se citar a célula caliciforme, que tem como função secretar o muco nas vias respiratórias, como unicelular.

Por outro lado, as glândulas pluricelulares são divididas em grupos. Vamos ver a seguir.

Continue lendo após a publicidade

Tipos de glândulas pluricelulares

Ao contrário das unicelulares, as estruturas pluricelulares se formam através da proliferação das células e se aproximam do tecido conjuntivo. Além disso, elas são encontradas mais vezes no organismo do que as unicelulares.

Tais glândulas são divididas em três grupos, conforme a liberação/saída da secreção ocorre. Sendo assim, as estruturas são conhecidas como: endócrinas, exócrinas e mistas. 

Endócrinas

Endócrinas
Exemplos de glândulas endócrinas

Partindo da afirmação de que tais glândulas eliminam a secreção na corrente sanguínea de forma direta, então uma de suas características é não possuir ducto glandular, pois não é necessário. Sendo assim, elas seguem sem impedimento para o órgão-alvo.

Além disso, o sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, que geram, como produto para secreção, o hormônio. Como exemplo, podemos citar a tireoide, o testículo, a hipófise, a paratireoide, o ovário, a adrenal, a suprarrenal e entre outros.

Continue lendo após a publicidade

Por último, as glândulas endócrinas podem se diferenciar, pela aparência, entre cordonal e folicular. Na cordonal as células ficam em fileiras e se fundem. Já na folicular, que também pode ser chamada de vesicular, as células se unem em um formato de uma vesícula.

Exócrinas

Tipos de exócrinas
Fonte: Universidade Federal de Alfenas

A grande diferença entre as exócrinas das endócrinas é que, diferentemente da anterior, essas glândulas liberam a secreção na superfície, seja do corpo ou da estrutura de órgãos.

Dessa forma, elas são divididas em porção secretora e ductos glandulares. Assim, são ligadas ao epitélio por ductos específicos, que servem para eliminar as substâncias produzidas.

Além disso, pela morfologia pode-se dividir em três tipos de glândulas, que são diferenciadas pela porção secretora. A primeira é a tubular, a qual a porção secretora é em forma de tubo. A segunda é chamada de Alveolar ou Acinosa e seu formato é mais arredondado. Por último, as compostas ou tuboacinosa são a mistura das duas anteriores.

Continue lendo após a publicidade

Por outro lado, o modo como essas células eliminam a secreção também se diverge entre elas. Portanto, há uma classificação com três tipos, sendo eles: merócrinas, apócrinas e holócrinas. A primeira a secreção é liberada de forma que não haja perda citoplasmática e a célula secretora permaneça inteira.

Já a segunda, além da eliminação da secreção, há um pouco de perda do citoplasma. Por fim, as holócrinas eliminam tudo, inclusive a célula. Em relação a secreção, ela pode ser mais serosa (aquosa),  mucosa (viscosa) ou seromucosa (mista).

Em suma, alguns exemplos de glândulas exócrinas são: sudorípara, sebácea, mamárias, salivares e entre outras.

Glândulas Mistas

Glândula, o que? Conceito, quais são os tipos e funções e exemplos
Biologia Net

Em conclusão, como o nome já diz, as glândulas mistas são as que possuem uma parte da endócrina e uma parte da exócrina. O exemplo mais comum é o Pâncreas, pois, além de liberar suco pancreático para o intestino, também libera hormônios e outros na corrente sanguínea.

Continue lendo após a publicidade

O que achou da matéria? Tenho certeza que você vai gostar da próxima leitura: Sinapse – O que é, onde, como e por que acontece?

Fontes: Brasil Escola, Brasil Escola, e Biologia Net

Imagens: Switube, Universidade Federal de Alfenas, Todo Estudo, Biologia Net, e Brainly

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments