Outros assuntos

Globalismo – O que é, contextos sociais e caminhos para o futuro

O globalismo está ligado às práticas de efetivação da globalização e envolve conceitos como nacionalismo, negacionismo e conspiração

Continue lendo após a publicidade

Você já ouviu falar nesse termo? Comumente, o seu significado é atrelado ao da globalização, todavia existem diferenças entre eles. O globalismo funciona como uma teoria da conspiração que busca unificar, em prol de um mesmo objetivo, visões que seriam de interesse de muitas nações ou povos.

Tomemos como exemplo a pandemia do coronavírus. Não é incomum encontrar autoridades, sejam brasileiras ou de quaisquer outros países, que questionem diariamente o poder destruidor do vírus ou mesmo a eficácia do uso de máscaras e até mesmo da vacina como solução para que a doença se prolifere.

Nesse texto, iremos tentar explicar mais a fundo o que significa o globalismo e como ele pode impactar as sociedades pós-modernas.

O que é?

Não existe uma definição exata sobre o que é o globalismo. Contudo, ele é sinônimo de globalização.

Continue lendo após a publicidade

Na visão de muitos estudiosos, não há uma definição adequada ao termo. Isso porque ele aparece, com força, de tempos em tempos para reforçar diferentes visões e formas de conduta.

Globalismo: o que é, contextos sociais e caminhos para o futuro
Agência Brasil

Na atualidade, reforçado pelas redes sociais, o termo costumeiramente é associado ao que deu errado no fenômeno da globalização. Ele é utilizado como estratégia política de ascensão de governos nacionalistaspopulistas em contramão às pautas progressistas defendidas pelo campo da esquerda.

Isso quer dizer que questionamentos como a produção de vírus chinês em laboratório ou a existência do aquecimento global são temas compartilhados a nível mundial e que, por conterem “brechas” situacionais, acabam sendo estrategicamente colocados em debate público para fundamentar e até mesmo justificar determinados comportamentos.

Globalismo é o mesmo que Negacionismo?

Em meio a pandemia do coronavírus, que atinge todo o mundo desde o início de 2020, o termo negacionismo tem sido bastante utilizado para definir o comportamento de líderes políticos em negar a gravidade enfrentada pelo caos na saúde.

Continue lendo após a publicidade

Contudo, não podemos reduzir os conceitos de ambos os termos a um só. O globalismo, configura uma vertente bem mais aprofundada, ao defender aspectos como a defesa de certas ideologias e a oposição ao patriotismo, isto é, ao valor da pátria determinado ao cidadão que tem orgulho de seu país.

Globalismo: o que é, contextos sociais e caminhos para o futuro
Congresso em Foco

A ascensão de líderes associados ao campo da extrema direita, como no Brasil e nos Estados Unidos, acabou por padronizar a visão acerca da influência do globalismo sobre as sociedades e sobre as pessoas.

De acordo com especialistas, a defesa de que existe um projeto de manipulação das grandes máquinas de comunicação não é inteiramente equivocada.

Segundo eles, a crise de 2008 foi um fator que elevou o pessimismo mundial acerca da eficácia da economia adotada pelas maiores potências mundiais. Muitas pessoas se questionaram do porquê de muitos estarem falindo enquanto só os maiores estavam prosperando.

Continue lendo após a publicidade

O globalismo como estratégia de ascensão política

Um exemplo atual sobre a eficácia do globalismo seria o processo de manipulação dos algoritmos utilizados para “prender” a atenção dos usuários de redes sociais.

Sobretudo durante a pandemia, o uso de internet disparou e representa um maior risco de haver dependência emocional e necessidade desenfreada de uso do Instagram e do Twitter, por exemplo.

Superinteressante

Nesse sentido, a defesa entre muitos teóricos é a de que o globalismo existe sim, contudo ele é utilizado em prol de interesses particulares de certos grupos que buscam reiterar ideias equivocadas sobre o sentido real da corrente.

Por outro lado, a descredibilização das instituições científicas e da imprensa soam como estratégias eficazes de reiteração desse aspecto conspiratório por instituições políticas, que não atuam em protesto contra um globalismo neoliberal, mas sim contra sistemas de poder particulares dominados por elites individuais e estratificadas.

Continue lendo após a publicidade

Logo, esses momentos de legitimação de ideais deturpados sobre o fenômeno da globalização, não à toa, vigoram em épocas de crise, promovendo o reforço de discursos rasos e contrários a pautas sociais, como racismo, intolerância e homofobia.

Esses ideais intensificam a sensação de que “tudo está perdido” ou de que estamos perdendo as nossas tradições e o nosso modo de ser.

Outros significados para globalismo

O globalismo pode assumir diferentes significados, a depender da época.

Alguns entendem que, a partir de 1960, com a ascensão de líderes globais como Gandhi, a ideia do mundo como sistema interconectado já prosperava.

Continue lendo após a publicidade
Aventuras na História

Isso porque os ideais compartilhados por essas autoridades acabavam se assemelhando a contextos vivenciados por diferentes nações ao redor do mundo, o que promovia um sentimento de identificação.

Dessa forma, havia a ideia de que o contato entre diferentes culturas era benéfico ao impor respeito e promover aspectos de benevolência e igualdade fraterna. O globalismo, portanto, era visto como um alcance necessário.

Tais ideais também vigoraram entre o final do século XX e o fim da primeira década do século XXI.

Um pouco antes, após a Segunda Guerra Mundial, havia a concepção de que o mundo deveria atuar em harmonia a fim de evitar o retorno de sistemas totalitários e ditatoriais, o que exigiria a interconexão entre diferentes nações e, portanto, a ideia de globalização de valores como igualdade, justiça e democracia.

Continue lendo após a publicidade

Afinal, o que podemos pensar sobre esse termo?

A visão sobre globalismo, como já informado, é bastante variável. No Brasil, ela ecoa de diferentes maneiras desde o século XX, com o Barão de Rio Branco.

Naquela época, já havia um interesse em direcionar a política externa para os Estados Unidos, em um claro aceno ao fortalecimento do sistema econômico americano. Ele só viria a se tornar globalismo na década de 1960.

Globalismo: o que é, contextos sociais e caminhos para o futuro
Guia do Estudante

Contudo, ele nada tem a ver com o conceito trabalhado ao longo desse texto. Está relacionado mais especificamente a abertura ao diálogo internacional, no sentido de diversificar as parcerias e fortalecer relações.

Em suma, o saldo final acerca desse assunto é que, apesar da afronta contra o sistema democrático e contra os fatos historicamente comprovados pelas diversas instituições cidadãs, nunca estivemos tão bem equiparados quanto a possibilidade de exercer a nossa opinião pública e a lutar a favor da efetivação de uma democracia efetivamente justa e eficaz.

Continue lendo após a publicidade

E então, o que você aprendeu sobre o globalismo? Se gostou, confira também: Revoluções burguesas – Surgimento, influências e principais movimentos

Fontes: Mundo Educação, BBC Brasil, UOL Notícias, El País Brasil

Imagens: Diário do Comércio, Agência Brasil, Congresso em Foco, Superinteressante, Aventuras na História, Guia do Estudante.

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments