História

Guarda Nacional, qual era seu papel no Brasil Império?

A criação da Guarda Nacional foi uma forma do Governo Imperial se resguardar do Exército Nacional, só que acabou criando a figura do coronel.

Continue lendo após a publicidade

A Guarda Nacional foi criada no Brasil em agosto de 1831 durante o Período Regencial. Visava-se ter grupos armados para contrabalançar o poder do Exército e aumentar a autonomia das províncias.

Com isso os ricos proprietários de terras locais ganharam status, surgindo assim a famosa figura do “coronel”. Aos poucos foram se formando pequenas tropas pelo país, no intuito de garantir a segurança nacional.

Com a Proclamação da República, a Guarda começa a perder força. Os militares não viam esse grupo para-militar com bons olhos, tendo aos poucos absorvido seus componentes remanescentes.

A Guarda Nacional aumentou o poder das províncias e criou os coronéis

Continue lendo após a publicidade

Origem da Guarda Nacional

Depois que Dom Pedro I abdicou, diversos grupos políticos tentaram fazer prevalecer seus ideais, posto que se tratava da Regência Trina.

Podemos citar os conservadores, liberais e absolutistas, bem como o próprio Exército. Com medo da volta dos Portugueses, os militares reivindicaram:

  • a promulgação de uma nova constituição
  • a criação de um novo governo
  • a suspensão da imigração portuguesa no Brasil
  • a destituição de portugueses de cargos públicos

O 26º Batalhão de Infantaria e o Corpo de Polícia do Rio de Janeiro se rebelam. Foi necessário buscar soldados em Minas Gerais e São Paulo, com a finalidade de sufocar o levante.

A Guarda Nacional aumentou o poder das províncias e criou os coronéis

Continue lendo após a publicidade

Criação da Guarda Nacional

A partir desses acontecimentos, o governo ficou em alerta, posto que notou que não poderia confiar inteiramente no Exército.

Foi então criada a Guarda Nacional, a propósito, uma força armada formada pela elite. Seus membros eram os cidadãos com direito a voto, assim sendo, eram dispensados de servir ao Exército.

O governo fornecia armas, munição e instrução, só que o inscrito não receberia salário e tinha que comprar o próprio uniforme. Ela era subordinada ao Juiz de Paz, em seguida ao Juiz de Direito, ao presidente de província, e finalmente, ao Ministro da Justiça.

A maior patente que um civil alcaçaria era a de coronel e o título ficou reservado aos grandes proprietários de cada região. É assim que a Guarda Nacional vai gerar o fenômeno do “coronelismo”, que muito influenciou a política no Brasil.

Continue lendo após a publicidade

A Guarda Nacional aumentou o poder das províncias e criou os coronéis

A extinção da Guarda Nacional

Depois da Proclamação da República, feita pela maioria do Exército, a Guarda Nacional vai perdendo importância.

O Exército não via com bons olhos esse corpo armado, por isso ela foi sendo absorvida por diferentes batalhões.

A Guarda Nacional foi extinta na República, em 1922, pelo presidente Artur Bernardes.

Continue lendo após a publicidade

Você gostou de ler sobre a Guarda Nacional no Brasil? Pois então não pode deixar de conhecer curiosa matéria sobre a Revolução Praieira, mais uma revolução do Império.

Fonte das imagens: WikipédiaWikipédiaWikipédia, Wikipédia.

Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments