Guerra dos farrapos – O que foi, origem e como aconteceu

Guerra dos Farrapos foi como ficou conhecida a revolução regional do Sul, de caráter republicano, contra o governo imperial do Brasil.

A Guerra dos Farrapos aconteceu em 1835 e 1845 na região sul do Brasil na antiga província de São Pedro no Rio Grande do Sul. Foram 10 anos seguidos de conflitos, o tempo de duração é o marco desse momento histórico. A guerra se sustentou, porque as pessoas que organizaram as estratégias já tinham experiência com lutas fronteiriças.

Toda a situação foi gerada para ir de encontro ao Império pelas elevadas cobranças de impostos. A revolta provincial tomou grandes proporções deixando várias pessoas mortas e feridas. A elite gaúcha não deixou passar barato as medidas do governo e só se rendeu mais tarde com o Tratado do Poncho Verde.

Motivos da guerra dos farrapos

Guerra dos farrapos - Como ocorreu
Fonte: Gestão educacional

As estancias sulistas estavam muito insatisfeitas com os valores cobrados de impostos das fazendas do Rio Grande do Sul. O forte da produção na região era a carne-seca, o couro e o sebo, erva-mate, graxa, . A carne seca compunha como prato principal a alimentação dos escravos no Brasil. A alta na cobrança afetou diretamente no comércio dos donos das grandes terras.

Em resumo, suas inclinações políticas também influenciaram para tomada de decisão. Buscando uma autonomia, a elite se encaixava aos ideias republicanos, o que dificultou bastante na conciliação.  Para tentar resolver a insatisfação, Antônio Rodrigues Fernandes Braga foi nomeado presidente da província e, sem sucesso, acabou gerando mais revolta entre os gaúchos.

A revolução Farroupilha

Guerra dos farrapos - Como ocorreu
Giuseppe Garibaldi – Fonte: Revista Galileu

Primeiramente, tudo começou no dia 20 de setembro de 1835 quando os fazendeiros resolveram obrigar a nomeação de um novo presidente. Porto Alegre foi tomada pelos ruralistas e os militares do exército expulsos da cidade. Bento Gonçalves chegou a cidade proclamando a República do Piratini.

Logo, a rejeição do governo imperial veio ao encontro da revolta e para puni-los pelo ato prendeu o então presidente nomeado pelos sulistas. Mas, era tarde demais para manter as coisas sobre controle, o movimento já estava consolidado entre os fazendeiros.

O General Antônio Souza Netto, David Canabarro e o italiano Giuseppe Garibaldi tomaram a frente da revolta e conseguiram muitas vitórias. Transferindo a guerra para Santa Catarina, instaurou-se a republica de Juliana confederada a República Rio-grandense no ano de 1839.

Dados da Guerra

Guerra dos farrapos - Como ocorreu
Fonte: Blog professor Edir

O imperial tomou de volta as rédeas de Santa Catarina no mesmo anos de 1839. Os conflitos diretos foram muito poucos durante os 10 anos de conflito. Migrando para outras regiões do sul do país, o objetivo maior da Guerra dos Farrapos era se desmembrar do Brasil. Tornar-se então independente.

Durante esse tempo, ao total, foram 3 mil mortos. Não foram todas as pessoas moradoras da região que apoiaram a revolta. Porto Alegre, por exemplo, foi completamente contra a decisão, a falta de apoio foi importante para o enfraquecimento da luta. Mesmo assim os embater continuaram.

As combates de cavalaria eram os principais meios de enfrentamento dos farroupilhos. A batalha mais importante destacada foi a Batalha de Seival, somando uma grande vitória. Porém, a tendência ao enfraquecimento foi grande. Percebendo, enfim, que não ganhariam o jeito era partir para a guerra da guerrilha.

O fim da guerra dos farrapos

Guerra dos farrapos - Como ocorreu
Fonte: Wikipedia

Logo após, com o fim da guerra já premeditada, o Império mandou a campo 12 mil homens que conseguiram deter os farroupilhos. Com a vinda de Dom Pedro II para o Brasil e nomeação do novo presidente imperial um tratado de paz foi selado.

Para por fim a revolta o Tratado do Poncho Verde trouxe medidas que o sulistas não puderam negar devido sua derrota. A taxação ficou em 25% para estrangeiros, foi concedida anistia para o guerrilheiros e alguns homens tiveram de fazer parte do exército imperial.

Por fim, outra decisão importante conquista pelos anos de conflito foi que agora poderiam escolher livremente o presidente da província. Além disso, os escravos que estiveram ao lodo dos sulistas durante o conflito seriam alforriados.

 

Por fim, leia também nossa matéria sobre a Cabanagem: a história da mais sangrenta revolta brasileira

Fonte: Brasil escola, História do mundo, Toda matéria, Revista Galileu. Galileu,

Imagem de destaque: Beduka

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.