Principal » Matemática » História dos números – Contagem, evolução do homem e matemática

História dos números – Contagem, evolução do homem e matemática

A necessidade de contagem dos povos primitivos deu origem à história dos números, estes acompanharam a evolução do homem.

História dos números

A história dos números é um marco na evolução do homem, visto que a necessidade de contagem surgiu na vida dos povos primitivos há mais de 30.000 anos. De modo geral, quem nunca contou nos dedos ou desenhou pauzinhos no papel?

Nossos antepassados deram o jeito deles para controlar a quantidade de animais, contar o tempo ou, simplesmente, fazer trocas de mercadorias. Ao passo que, usamos os números em quase tudo que fazemos. Eles estão presentes nos preços, telefones, endereços e no relógio.

Dessa forma, os povos das cavernas e grutas praticavam a matemática, mesmo antes dela existir. De fato, a história dos números envolve muitos povos, culturas e uma evolução longa, até chegar nos algoritmos que temos hoje.

História dos números

A história dos números começou com os caçadores e pescadores, que marcavam com riscos, cada animal que matavam ou frutos colhidos, com pedaços de ossos ou madeira.

Em outras palavras, eles faziam uma contagem da caça feita num determinado período, como também serviam para contar o tempo.

História dos Números
Matemática Legal

Ao passo que, o homem deixou de ser nômade para se fixar em um só lugar, daí começou a trabalhar com o cultivo de plantas e criação de animais.

No entanto, a forma de contagem utilizada se tornou ultrapassada, pois precisavam aprender a controlar o rebanho e prever as épocas de chuva, frio e calor.

Dessa forma, os povos antigos utilizam as pedras para representar cada animal. Assim, quando o seu rebanho entrava no cercado, as pedras dentro do saco eram retiradas, conforme a quantidade que entrava. A saber, caso sobrasse alguma pedra, o dono saberia que o animal se perdeu no caminho ou morreu.

Após formarem aldeias, foi necessário usar mais do que pedras, gravetos ou os próprios dedos para contagem. Agora não eram somente plantas, animais e terras, vieram o impostos, as guerras e, consequentemente, a necessidade de administrar o dinheiro que passou a circular entre os grupos primitivos.

Sobretudo, a palavra cálculo surgiu da prática de contagem do rebanho, visto que o nome derivado do latim significa “contas com pedras”.

Evolução do homem

Conforme a necessidade de registrar trocas do comércio e as transações financeiras, os povos sumérios inventaram a escrita. Nesse meio tempo, elaboraram símbolos para indicar quantidades, mais conhecidos como sistema numérico da Mesopotâmia.

Escrita em argilas
Folha

Todavia, os registros eram feitos em tabletes de argila, mas isto não impediu que eles desenvolvessem tabuadas e uma representação posicional dos números com agrupamento de 60. Isto é, um considerável avanço para a história dos números.

Ademais, você já parou para imaginar como os egípcios construíram as pirâmides? A saber, eles tinham o sistema de numeração com sete números-chave, são eles: 1, 10, 100, 1.000, 10.000, 100.000 e 1.000.000.

Por conseguinte, os Maias criaram apenas três símbolos para escrever todos os números, eram: uma concha, um ponto e uma barrinha. Semelhantemente aos egípcios, esses povos usavam desenhos para representar cada número. No entanto, há uma única diferença dos Maias, porque eles usavam a base vinte e um símbolo para o zero.

Ainda mais, os gregos utilizavam os números com as letras do alfabeto, como por exemplo: α, β e γ. Estes símbolos representam o 1, 2 e 3. Interessante, não é?

Nesse ínterim, os pauzinhos também eram utilizados pelos chineses para fazer contagens, visto que os arqueólogos encontraram escritos orientais em cascos de tartaruga datados em cerca de 3 mil anos atrás. Isto prova mais uma vez que a história dos números é uma mistura de tradição, conhecimento e povos.

História dos números romanos

A história dos números não faz sentido sem os símbolos romanos, já que são muito utilizados até hoje. Nesse sentido, os números romanos possuem sete letras, são elas: I (1), V (5), X (10), L (50), C (100), D (500) e M (1000).

Números romanos
Stoodi

De modo geral, as regras de contagem são de forma ordenada, definido pela posição do número. Atualmente, os números romanos são utilizados para indicar os séculos, capítulos de livros, nomes antigos e ponteiros dos relógios.

Escola de Pitágoras

O grego Pitágoras foi  primordial para a história dos números, visto que ele os considerava sagrados. Assim, quando chegou em sua idade adulta, fez uma longa viagem pelo Egito, Arábia, Babilônia e Índia.

Pitágoras
Toda Matéria

Ao retornar para a Grécia, criou a famosa Escola de Pitágoras, onde os participantes não podiam revelar o que era ensinado e deveriam desistir de todas as suas posses.

Os alunos de Pitagóricos inventaram a raiz de dois, mais conhecida como raiz quadrada de dois: √2. Depois disto, fizeram outra descoberta importante para a história dos números, criaram os números irracionais.

Além de Pitágoras, existiram grandes pensadores da matemática, como Tales de Mileto, Euclides, Eratóstenes e Arquimedes.

O que achou dessa matéria sobre a história dos números? Se gostou, confira também: Conjuntos Numéricos – O que são, classificação e tipos de conjuntos

Fontes: Mundo Educação, EBC, Sou Matemática e GCF Global

Imagens: Outras Palavras, Matemática Legal, Folha, Stoodi e Toda Matéria

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.