O estranho caso do homem que acreditava ser controlado por seu dente

Um indiano de 58 anos chegou ao centro de psiquiatria ambulatorial com uma queixa estranha, de acordo com o relatório: Nos últimos meses, ele tinha sido influenciado por alguma força estranha à realizar ações que ele não controlava.

Um indiano de 58 anos chegou ao centro de psiquiatria ambulatorial com uma queixa estranha, de acordo com o relatório: Nos últimos meses, ele tinha sido influenciado por alguma força estranha à realizar ações que ele não controlava. “Eu posso ver minhas mãos se movimentarem”, disse ele aos médicos, “mas eu sei que não sou eu que as controlo”

Inicialmente, o paciente havia achado essa experiência muito assustadora e acreditava estar sob o controle de algum espírito; Mas posteriormente “percebeu” que foi depois de uma tratamento de canal que teve há 30 anos, onde seus irmãos implantaram um dispositivo dentro de seu dente.

Então, com a ajuda desse dispositivo, podiam ouvir tudo o que dizia e controlavam todas as suas ações. Ele disse que podia sentir uma sensação de formigamento dentro de sua boca toda vez que ele experimentava tais ações forçadas, e simultaneamente ouvia um som semelhante a uma máquina.

Ele estava convencido de que seus irmãos estavam controlando-o para adquirir sua propriedade, e acabaria por forçá-lo a se matar.

Obviamente não existia nenhum dispositivo, mas os médicos encontraram algo muito incomum nos exames.

Na ressonância magnética os médicos encontrara um alteração física incomum no córtex insular, a parte que controla a autoconsciência, entre outras coisas, se atrofiou.

Esse era o verdadeiro motivo de seu estado mental. A parte atrofiada provavelmente perturbou os sentidos de propriedade do corpo dele, fazendo com que seus movimentos parecessem ser impostos por algo externo.

Eles escreveram: “Em resposta à “alienação do seu livre arbítrio “, o paciente desenvolveu uma explicação delirante para essa experiência incomum”. Em outras palavras, seu próprio cérebro ainda era o condutor, manipulando-o para acreditar que não era, bizarro!

Você pode ler o relatório completo aqui.

 

(Com informações de Revista Galileu e Science of Us).
Imagem: CRAFTY_DAME/ FLICKR

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.