História

O que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo?

A Inconfidência Mineira queria transformar o Brasil numa república, e isso ainda no século XVIII. Só não conseguiu porque foi traída.

Continue lendo após a publicidade

A Inconfidência Mineira (ou Conjuração Mineira) foi uma tentativa de revolta abafada por Portugal em 1789, em pleno ciclo do ouro, na Capitania de Minas Gerais, contra, entre outras razões, a execução da derrama e o domínio português.

No final do século XVIII, o Brasil ainda era colônia de Portugal e padecia com a cobrança de altas taxas e impostos. Sem contar que Lisboa havia decretado leis que prejudicavam o desenvolvimento industrial e comercial do Brasil.

No início, era grande a extração de ouro em Minas Gerais. E os brasileiros não tinham dificuldade em pagar o imposto chamado quinto, que consistia em 20% de todo ouro encontrado.

Ideias iluministas e os insurgentes

Continue lendo após a publicidade

Ocorre que, com o tempo, o ouro começou a diminuir. Mas, ainda assim, os impostos não baixavam. E, como os mineradores não conseguissem mais pagar, Portugal criou a Derrama, um outro imposto.

Basicamente, a Colônia estipulou que cada região de exploração de ouro deveria pagar 100 arrobas de ouro (1500 quilos) por ano. Quando a região não conseguia, soldados da coroa entravam nas casas das famílias para retirarem os pertences até completar o valor devido.

Com isso, cresceu a insatisfação popular. Fazendeiros e mineradores queriam pagar menos impostos e ter mais participação na vida política do país. Alguns membros da elite brasileira que estudaram na Europa, influenciados pelas ideias do iluminismo, começaram a tramar a independência do Brasil. Nascia, então, a Inconfidência Mineira.

Os inconfidentes planejavam transformar o Brasil numa república

O grupo era liderado pelo alferes Joaquim José da Silva Xavier, conhecido por Tiradentes. Também faziam parte os poetas Tomas Antonio Gonzaga e Cláudio Manuel da Costa, o mineiro Inácio de Alvarenga, o padre Rolim, entre outros representantes da elite mineira.

Continue lendo após a publicidade

A ideia do grupo era conquistar a liberdade definitiva e implantar o sistema de governo republicano no Brasil. Como resultado, uma bandeira foi feita para a nova nação. Ela consistia em um triangulo vermelho, num fundo branco, e a inscrição em latim: Libertas Quae Sera Tamen (Liberdade ainda que Tardia). Mais tarde, essa bandeira foi adotada por Minas Gerais.

A revolta, então, foi marcada para o dia da derrama em 1788. Mas, os planos dos inconfidentes foram frustrados porque três participantes da conspiração: coronel Joaquim Silvério dos Reis, o tenente coronel Basílio de Brito Malheiro do Lago e o mestre de campo (militar) Inácio Correia Pamplona. Eles procuraram o governador, Visconde de Barbacena e delataram o movimento.

Tiradentes, que estava no Rio de Janeiro para adquirir armas,acabou sendo preso no dia 10 de maio de 1789. Ele foi apontado como o cabeça da Inconfidência.

Continue lendo após a publicidade

O longo processo durou três anos. Ao final, todos os participantes foram perdoados ou condenados ao degredo. Apenas Tiradentes foi condenado à morte e enforcado no dia 21 de abril de 1792, no campo de São Domingos, no Rio de Janeiro. Após o cumprimento da sentença, o corpo dele foi esquartejado e ficou exposto para servir de exemplo.

Curiosidades sobre a Inconfidência Mineira

Na primeira noite em que a cabeça de Tiradentes ficou exposta em Vila Rica, foi furtada e nunca mais encontrada. Por ser uma condenação por traição à coroa, os sinos das igrejas não poderiam tocar durante sua execução. Ainda assim, um deles soou cinco badaladas.

No final, a casa de Tiradentes foi destruída e o local foi salgado para que mais nada ali nascesse.

O que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo?

Continue lendo após a publicidade

Outra curiosidade interessante diz respeito à imagem de Tiradentes. Ela, basicamente, foi idealizada para que ele se parecesse com Jesus. Entretanto, ele jamais teve barba e cabelos grandes. Tiradentes, na verdade, era militar e só poderia deixar um bigode.

E mais, durante o tempo que passou na prisão, ele e os demais presos tinham os cabelos e a barba aparados. Isso evitava, por exemplo a evitar a proliferação de piolhos.

Nem mesmo durante sua execução ele tinha a aparência com a qual foi eternizado nas ilustrações. Era costume raspar os cabelos e a barba dos condenados à forca, para que os pelos não amortecessem a corda.

Interessante saber da história dos inconfidentes mineiros, não é? Então você não pode deixar de conhecer o iluminismo e suas ideias inovadoras.

Continue lendo após a publicidade

Fonte: Só Historia,Toda Matéria, História do Mundo, Brasil Escola.

Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

[…] Achou interessante conhecer a Revolta de Vila Rica? Pois então vai gostar de ler sobre o que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo. […]

[…] Achou interessante conhecer a Revolta de Vila Rica? Pois então vai gostar de ler sobre o que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo. […]

[…] Achou interessante conhecer a Revolta de Vila Rica? Pois então vai gostar de ler sobre o que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo. […]

[…] Conhecimento Científico  Super Hora do Povo var quads_screen_width = document.body.clientWidth; if ( […]

[…] Conhecimento Científico  Super Hora do […]

[…] Você curtiu ler sobre a Conjuração Baiana? Então não deixe de ler também sobre o que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo. […]

[…] de Portugal não agradou a população, que se rebelou. Assim, o movimento político chamado de Inconfidência Mineira foi o mais conhecido da história do […]

[…] Você curtiu ler sobre a Confederação do Equador? Então não deixe de conhecer também sobre o que que foi Inconfidência Mineira e qual era seu objetivo. […]

[…] assim como a Conjuração Baiana e a Inconfidência Mineira, foi um movimento com caráter separatista e republicano. Porém, há uma grande diferença entre […]

[…] Pombal manteve-se no poder até a morte de D. José I, em 1777. Contudo, foi demitido por Maria I, filha e sucessora do rei. Inegavelmente, as reformas pombalinas aumentaram a dominação da metrópole sobre a colônia americana. Decerto, isso desencadeou movimentos contra essa dominação, como a inconfidência Mineira. […]

[…] Ele estudou na Universidade de São Marcos, na capital do Peru. Inegavelmente obteve uma formação permeada pelas ideias iluministas, de forma semelhante àquela que os intelectuais mineiros da Inconfidência mineira tiveram. […]