Pesquisa revela porque os músculos doem após exercícios

Nova pesquisa da Universidade de Queensland revelou a forma como os músculos humanos se recuperam após um exercício. O Dr. Bradley Launikonis da Escola de Ciências Biomédicas da UQ diz que a maioria das pessoas conhece muito

Nova pesquisa da Universidade de Queensland revelou a forma como os músculos humanos se recuperam após um exercício.

O Dr. Bradley Launikonis da Escola de Ciências Biomédicas da UQ diz que a maioria das pessoas conhece muito bem a sensação de dor muscular após exercício, mas até agora ninguém tinha descrito fundamentalmente a fisiologia celular do processo de recuperação.

” Descobrimos que o próprio músculo tem um mecanismo protetor que impede que um indivíduo se danifique mais nos dias seguintes ao exercício”, disse o Dr. Launikonis.

“Testamos fibras musculares humanas de biópsias da coxa em três pontos em um ciclo de exercícios.

“Nós mapeamos a estrutura muscular antes de um indivíduo exercer, e também  24 e 48 horas depois.”

O estudo constatou que o sistema da membrana do músculo poderia mudar a sua estrutura drasticamente.

“Quando uma pessoa não habituada pratica exercícios, os níveis de cálcio sobem e os músculos ficam propensos a danos”, disse o Dr. Launikonis.

“É graças a pequenas cavidades dentro das fibras musculares onde o cálcio se acumula – chamado vacúolos – que os danos causados pelos altos níveis de cálcio não ocorrem”

Este processo acontece enquanto o corpo avisa para aliviar o estresse.

“A dor que uma pessoa sente é o corpo dizendo que está exausto, que os músculos estão fadigados, e então é hora de descansar.”

Dr Launikonis diz que os vacúolos desaparecem em seguida, até a próxima rodada de exercício ocorrer.

“Antes disso, ninguém tinha ideia de que esse mecanismo estava acontecendo.

“Diz-nos que os músculos humanos são muito adaptáveis ​​e podem proteger-se.”

O Dr. Launikonis diz que agora esse mecanismo protetor é fundamental para entendermos as doenças que atingem e atrofiam os músculos.

“Se pudermos analisar mais este mecanismo, ele poderia ser usado para proteger grupos de pacientes com músculos vulneráveis, como aqueles com distrofia muscular, mas mais pesquisas são necessárias”.

 

Fonte: MedicalXpress.
Crédito da imagem: Zeppfeed.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.