Geografia

Placas tectônicas, o que são? Teoria, principais tipos e movimentação

A crosta terrestre é formada pelos blocos rochosos das placas tectônicas, que se movimentam de forma lenta e contínua no interior do planeta.

Continue lendo após a publicidade

Quando se fala em placas tectônicas, podemos imaginar que são pedaços da crosta terrestre e formam 14 principais blocos rochosos. Em outras palavras, essas divisões se movimentam causando terremotos, tsunamis, fossas oceânicas e criando montanhas.

Em geral, a Terra se divide em camadas internas e externas, sendo que a litosfera representa a última. Neste caso, as placas tectônicas deslizam, colidem, se separam, ou migram junto com os blocos em movimento.

A partir disso, Alfred Wegener criou a Teoria da Deriva Continental, em 1913, afirmando que as massas da Terra formam um único supercontinente chamado Pangeia.

Ao passo que, a Teoria das Placas Tectônicas diz que os blocos abrangem os continentes e o fundo oceânico. Por isso, vamos aprender um pouco mais sobre as placas tectônicas, seus principais tipos e movimentação.

Continue lendo após a publicidade

O que são as placas tectônicas?

Como dito anteriormente, as placas tectônicas são blocos externos do planeta Terra, que se movimentam de forma lenta e contínua.

Nesse sentido, são divididos em 52 partes, sendo apenas 14 delas consideradas principais por serem grandes e as outras 38 por serem pequenas.

Placas tectônicas, o que são? Teoria, principais tipos e movimentação
Minas Jr

Dito isto, ainda existem 3 tipos de placas, sendo elas: Oceânicas, Continentais e Oceânicas continentais. A primeira se encontra no assoalho oceânico.

Já a segunda está situada sob os continentes e a terceira situa-se em ambas. A seguir, listamos quatro placas tectônicas que representam localidades expostas e exemplares de fenômenos.

Continue lendo após a publicidade
  • Sul-Americana: Situa-se na América do Sul até a Dorsal Mesoatlântica;
  • Nazca: Localizada à esquerda da placa Sul-Americana. A saber, o atrito entre as duas formou a Cordilheira dos Andes;
  • Pacífico: Faz parte do Oceano Pacífico, limitando-se com a placa Norte-Americana, que resultou na falha de San Andres;
  • Euro-Asiática: Abrange a Eurásia e limita-se a placa Africana e a placa índia.

A propósito, as altas temperaturas no interior da Terra acabam refletindo na movimentação da placas tectônicas. Por outro lado, esse deslocamento leva bastante tempo, considerando os fenômenos e transformações, como a formação de montanhas e vulcões, terremotos e a separação do continentes.

A saber, o Brasil está localizado no centro da placa Sul-Americana, movendo-se para o oeste e afastando-se da Dorsal Mesoatlântica.

Dessa forma, a área possui 43,6 milhões de quilômetros quadrados e quase 200 quilômetros de espessura. Como resultado, o Brasil não sofre grandes abalos, visto que fica exatamente no centro da placa.

Limites das placas tectônicas

Em suma, as placas tectônicas possuem limites. Isto significa que há zonas de confronto entre elas, ou seja, existem fronteiras ou margens.

Continue lendo após a publicidade

Neste caso, quando são violadas, ocorrem movimentação intensa, atividades sísmicas e vulcanismo. Dessa forma, vamos conhecer quais são os limites, como funcionam e suas características.

Placas tectônicas
Curso Enem Gratuito

Divergente

Antes de tudo, as placas tectônicas se distanciam umas das outras, momento em que formam fendas e rachaduras na crosta terrestre.

Posteriormente, quando ocorre o movimento, o magma do interior da Terra atravessa as fendas, direcionando-se para a superfície. Assim, o magma se une às placas, aumentando o tamanho do bloco.

Convergente

Neste limite, as placas se aproximam e chocam entre si, assim a placa oceânica retorna ao manto e a placa continental forma dobras na rochas.

Continue lendo após a publicidade

No entanto, quando esse atrito acontece, apenas a placa mais densa afunda. Por outro lado, quando ocorre o choque com duas placas continentais, estas não afundam, visto que a densidade das duas tem a mesma proporção.

Transformante

Placas tectônicas, o que são? Teoria, principais tipos e movimentação
Arenas, marcas e patentes

Primeiramente, este limite se dá quando as placas deslizam entre si, provocando rachaduras na crosta terrestre. Ao passo que, não se cria novas placas ou sequer causa destruições, no máximo algumas falhas.

No caso, um movimento transformante pode ser definido como a falha de San Andres, na Califórnia, nos Estados Unidos. Em geral, as placas tectônicas são essenciais na Terra. Isto porque, elas sustentam os continentes e os oceanos.

Por isso, vamos citar os nomes das principais, são elas: Placa Eurasiática, Placa das Filipinas, Placa Australiana, Placa Juan de Fuca, Placa do Pacífico, Placa Norte-Americana, Placa de Cocos, Placa de Nazca, Placa do Caribe, Placa Sul-Americana, Placa Africana, Placa de Scotia, Placa Antártica, Placa Arábica, Placa Indiana, Placa do Irã e Placa Indo-Australiana.

Continue lendo após a publicidade

Por fim, o que achou dessa matéria sobre placas tectônicas? Se gostou, confira também: Eurásia, o que é? Mapa, países transcontinentais e características

Fontes: Brasil Escola, InfoEscola e Mundo Educação

Imagens: G1, Minas Jr, Curso Enem Gratuito e Arenas, marcas e patentes 

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments