Plano Cruzado, o que foi? História, principais causas e consequências

O governo de José Sarney criou o Plano Cruzado para conter a inflação desenfreada, essa medida econômica brasileira durou apenas três anos.

O Plano Cruzado foi criado no governo de José Sarney em 1986, como uma das medidas do plano econômico brasileiro. A princípio, foi denominado de Plano de Estabilização Econômica (PEE) pelo ministro da Fazenda da época, Dilson Funaro e os economistas João Sayad, Edmar Bacha, André Lara Resende e Persio Arida.

Dessa forma, o governo pretendia frear a inflação que avançava fortemente no Brasil. Ao passo que, o Plano Cruzado foi instituído pela Lei N° 2.283, divulgado com o slogan “inflação zero”. A situação era mais agravada pela recente morte do presidente eleito Tancredo Neves em 1985.

Por isso, vamos conhecer um pouco mais sobre o Plano Cruzado, suas principais causas e consequências. Este foi um período em que a população fazia estoque de alimentos em casa. Ademais, o governo tomava medidas perigosas visando somente as eleições futuras.

O que foi o Plano Cruzado?

Em síntese, o cenário econômico brasileiro na década de 80 favorecia as empresas competitivas no mercado, visto que a inflação era fruto de uma especulação financeira. Isto é, os altíssimos preços eram baseados na incerteza do mercado ou previsões que poderiam ou não acontecer.

Plano Cruzado
Um Blog Qualquer

O Plano Cruzado foi implantado em 28 de fevereiro de 1986 para conter o cenário da inflação no país. A ideia era reagir com a “desindexação da economia”, impedindo os reajustes de preços durante um período.

Estas foram as principais medidas do Plano Cruzado:

  • Preços do varejo congelados durante um ano, baseados nos valores de 27 de fevereiro de 1986;
  • Troca da moeda Cruzeiro para o Cruzado, que valia mil vezes mais;
  • O salário tinha correção automática e congelamento ao atingir 20% de inflação;
  • A taxa de câmbio foi congelada;
  • Pagou-se 33% de adiantamento do salário mínimo;
  • O Fundo Nacional de Desenvolvimento (FND) foi criado para organização de insumos básicos e infraestrutura econômica;
  • Quem fosse demitido pelas empresas em falência ou sem justa causa recebia o seguro-desemprego.

Os índices de inflação eram de 230% ao ano, entre os anos 1983 e 1985. No entanto, a previsão era subir para até 400% em 1986.

Mesmo assim, as exportações e importações no Brasil continuavam estáveis. Como também, as contas públicas se mantinham favoráveis, o que possibilitava uma reforma econômica mais intensa.

Consequências

Basicamente, o Plano Cruzado manteve a inflação controlada nos primeiros meses, provocando a sensação de equilíbrio. No entanto, a estratégia de diminuir o consumo e incentivar a poupança causou efeito contrário, provocando o aumento de saques e consumos de bens.

Plano Cruzado
Milton Parron

A princípio, as medidas foram bem recebidas pela população, tanto que os próprios consumidores denunciavam os comerciantes que violavam as normas. Por outro lado, os produtores diminuíram a produção por causa da queda de rentabilidade, visto que não podiam reajustar os preços.

Ainda mais, os mantimentos começaram a faltar nos supermercados, provocando enormes filas. Isto é, o consumo continuava alto e a produção caia. Como resultado, o governo percebeu falhas em seu plano econômico.

Outro fator é que o Brasil teve prejuízo nas reservas monetárias internacionais, visto que a taxa de câmbio se manteve congelada. Além disso, o Plano Cruzado teve seu fracasso reconhecido após as eleições de 15 de novembro de 1986, quando a crise econômica estava desenfreada.

Plano Cruzado II

O governo Sarney tentou corrigir as falhas do Plano Cruzado em novembro de 1986, foi a última tentativa de fazer as medidas funcionarem. 

Na época, a gasolina subiu 60% em apenas um dia, já as contas de luz saltaram para 120%. Além disso, o controle de gastos públicos apontava dívidas exorbitantes, principalmente externas.

Plano Cruzado
Memorial da Democracia

Com a pressão da população por mudanças, o governo descongelou os preços no Plano Cruzado II. Como também, autorizou o aumento dos impostos indiretos e reajustes de bens e serviços. Mesmo assim, a inflação permaneceu no Brasil por causa de interesses políticos.

Dessa forma, Sarney declarou moratória da dívida externa em 1987, ou seja, o país suspendeu os pagamentos internacionais. Em outras palavras, o governo pagaria as contas quando pudesse. Por último, a moeda nacional Cruzado foi substituída pelo Cruzado Novo em janeiro de 1989.

Por fim, o que achou dessa matéria sobre o Plano Cruzado? Se gostou, confira também: Plano Collor – O que foi, quando surgiu e quais foram seus impactos.

Fontes: Toda Matéria, InfoEscola, Mais Retorno e Todo Estudo

Imagens: Fernando Melo, Um Blog Qualquer, Memorial da Democracia e Milton Parron

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.