Primeira geração do Romantismo: características, obras, resumo

A primeira geração do Romantismo é o período que corresponde de 1836 a 1852. Saiba quais são as suas características e principais autores

A primeira geração do Romantismo é o período que corresponde de 1836 a 1852. Dessa forma, ela surgiu em um contexto de intensa mudança na estrutura social, política e administrativa do Brasil.

Isso porque a família real veio para o Brasil em 1808. Desse modo, várias mudanças ocorreram no país. Por exemplo, o Brasil deixou de ser uma colônia de exploração e se tornou um reino unido a Portugal.

Sendo assim, com todas as mudanças que estavam ocorrendo na sociedade, a 1ª geração do romantismo nasceu como uma resposta poética às questões identitárias que surgiram.

Sendo que o marco inicial desse período, foi a publicação de “Suspiros Poéticos e Saudades” (1836) de Gonçalves de Magalhães (1811 – 1882).

A 1ª geração tinha características como: indianismo, nacionalismo, exaltação à natureza e, por fim, a idealização do amor e da mulher.

Dessa forma, os temas mais abordados giraram em torno dessas características. Por outro lado, entre os autores mais relevantes podemos citar: Gonçalves de Magalhães, Gonçalves Dias e Porto Alegre.

Resumo sobre a primeira geração do Romantismo

  • A vinda da família real para o Brasil causou várias mudanças na estrutura social, política e administrativa, fazendo com que o Brasil fosse visto como uma nação.

  • No contexto de tantas mudanças no país, a 1ª geração do romantismo nasceu como uma resposta poética às questões identitárias que surgiram.

  • Algumas das principais características da 1ª geração são: indianismo, nacionalismo, exaltação à natureza e a idealização do amor e da mulher.

  • Por fim, alguns dos principais autores da 1ª geração do romantismo foram: Gonçalves de Magalhães, Gonçalves Dias e Porto Alegre.

Contexto histórico

O marco inicial do romantismo, foi a publicação do livro de Gonçalves de Magalhães: Suspiros poéticos e saudades.

Em resumo, a chegada da família real portuguesa ao Brasil, em 1808 foi essencial para a consolidação do movimento.

Isso porque a transferência da corte imperial lusitana para o Brasil resultou em várias reformas. Por exemplo, o Brasil deixou de ser uma colônia de exploração e se tornou um reino unido a Portugal.

Além disso, houve a criação da imprensa local, que antes era proibida. Desse modo, ocorreu também a consolidação do Rio de Janeiro como sede administrativa da Corte portuguesa.

Por fim, ocorreu ainda a fundação de locais como Banco do Brasil, Museu Nacional e Casa de Suplicação do Brasil.

Sendo assim, todas as mudanças na estrutura social, política e administrativa fizeram com que o Brasil passasse a ser visto, de fato, como uma nação.

Desse modo, neste contexto de modernização do Estado brasileiro, a 1ª geração do romantismo nasceu como uma resposta poética às questões identitárias que surgiram.

Ou seja, a intenção era responder questões como: “qual é a origem mitológica do Brasil?” e “o que é ser brasileiro?”.

Características da primeira geração do Romantismo

As características principais da 1ª geração são:

1- Indianismo

Em síntese, o indianismo é a busca do indígena como o elemento que representa o passado do povo brasileiro, é a nossa raiz.

Portanto, o indígena ocupa a imagem do herói medieval, trazido pelas influências europeias. Portanto, os indígenas é um dos temas mais presentes na 1ª geração.

2- Nacionalismo

Como o país estava recém-independente, o sentimento de nacionalismo era expresso de maneira exagerada.

Ou seja, eram exaltados somente os pontos positivos do país e existia uma certa idealização sobre o Brasil.

3- Idealização do amor e da mulher

Nessa época, os textos eram cheio de idealização sobre o amor e sobre a mulher. Além disso, os textos eram caracterizados pelo egocentrismo.

4- Exaltação à natureza na 1ª geração do Romantismo

Por fim, temos ainda o fato de que os românticos exaltavam a natureza e a liberdade. No entanto, o problema disso é que existia uma idealização sobre a nação, ignorando os problemas econômicos e sociais.

Principais autores e obras da primeira fase do Romantismo

Os principais autores românticos foram:

1- Gonçalves de Magalhães

Primeiramente, Domingos José Gonçalves de Magalhães (1811-1882), é tido como o fundador do Romantismo Brasileiro.

Em resumo, Gonçalves de Magalhães foi poeta, professor, ensaísta, diplomata, político e médico brasileiro. Enfim, algumas de suas principais obras são:

  • “Suspiros Poéticos e Saudades” (1836)

  • “O poeta e a Inquisição” (1839)

  • “A Confederação dos Tamoios” (1857)

  • “Os indígenas do Brasil perante a História” (1860)

Enfim, confira abaixo a poesia A fantasia de Gonçalves de Magalhães:

A Fantasia

Para dourar a existência
Deus nos deu a fantasia;
Quadro vivo, que nos fala,
D’alma profunda harmonia.

Como um suave perfume,
Que com tudo se mistura;
Como o sol que flores cria,
E enche de vida a natura.

Como a lâmpada do templo
Nas trevas sozinha vela,
Mas se volta a luz do dia
Não se apaga, e sempre é bela.

Dos pais, do amigo na ausência,
Ela conserva a lembrança,
Aviva passados gozos,
E em nós desperta a esperança.

Por ela sonho acordado,
Subo ao céu, mil mundos gero;
Por ela às vezes dormindo
Mais feliz me considero.

Por ela, meu caro Lima,
Viverás sempre comigo;
Por ela sempre a teu lado
Estará o teu amigo.

2- Gonçalves Dias

Em resumo, Antônio Gonçalves Dias (1823-1864) foi um poeta, jornalista, professor, etnógrafo, advogado e teatrólogo maranhense.

Dessa forma, as principais obras de Gonçalves Dias na 1ª geração romântica são:

  • “Segundos Cantos” (1848)

  • “Últimos Cantos” (1851)

  • “Os Timbiras” (1857)

  • “Cantos” (1857)

Enfim, confira abaixo um poema muito famoso de Gonçalves Dias:

Canção do exílio

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que disfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

3- Porto Alegre

Manuel José de Araújo Porto Alegre (1806-1879) foi escritor, jornalista, pintor, caricaturista, arquiteto, crítico, historiador, professor, diplomata e, por fim, político brasileiro.

Algumas das suas principais obras são:

  • “A destruição das florestas” (1846)

  • “Brasilianas” (1863)

  • “Colombo” (1866)

Por fim, confira um trecho do poema Colombo:

(…)

De um salto juvenil pisa Colombo
A nova terra, e com seguro braço,
A bandeira real no solo planta.
Beija a plaga almejada, ledo e chora:
Foi geral a emoção! Disse o silêncio
Na mudez respeitosa mais que a língua.
Ao céu erguendo os lacrimosos olhos,
Na mão sustendo o Crucifixo disse:
“Deus eterno, Senhor onipotente,
A cujo verbo criador o espaço
Fecundado soltou o firmamento,
O sol, e a terra, e os ventos do oceano,
Bendito sejas, Santo, Santo, Santo!
Sempre bendito em toda parte sejas.
Que se exalte tua alta majestade
Por haver concedido ao servo humilde
O teu nome louvar nestas distâncias.
Permite, ó meu Senhor, que agora mesmo,
Como primícias deste santo empenho,
A teu Filho Divino humilde of’reça
Esta terra, e que o mundo sempre a chame
Terra de Vera-cruz! E que assim seja”.
Ergue-se e o laço do estandarte afrouxa:
Sopra o vento, desdobra-o, resplandecem
De um lado a imagem do Cordeiro, e do outro
As armas espanholas. Como assenso
Da divina mansão, esparge a brisa
Um chuveiro de flores sobre a imagem,
Flores não vistas da européia gente!

Curiosidades sobre a primeira geração do Romantismo

Algumas curiosidades sobre a 1ª geração do Romantismo são:

1- Poema mais famoso da 1ª geração do Romantismo

Um poemas brasileiros mais conhecidos no Brasil, foi escrito na 1ª geração do Romantismo: Canção do exílio, de Gonçalves Dias. Confira esse poema:

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que disfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

2- Quando foi escrito

Por fim, como você já sabe, o poema Canção do exílio é um dos poemas mais conhecidos no Brasil. Além disso, uma curiosidade sobre ele, é que este poema realmente foi escrito no exílio.

De acordo com pesquisadores da vida de Gonçalves Dias, é provável que o autor tenha escrito este poema na cidade de Coimbra em Portugal.

Em resumo, o escritor tinha sido mandado para Portugal para estudar direito.

Desse modo, com saudade da sua terra natal, ele escreveu Canção do exílio em 1843. Sendo assim, este texto nasceu para exaltar a exuberância brasileira em comparação com Portugal.

Exercícios sobre a primeira fase do Romantismo

Por fim, teste seus conhecimentos com as questões abaixo:

Enem (2001)

No trecho abaixo, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmente um outro estilo de época: o romantismo.

“Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça, e, com certeza, a mais voluntariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o rosto nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Jackson,1957.

A frase do texto em que se percebe a crítica do narrador ao romantismo está transcrita na alternativa:

  1. … o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas …
  2. … era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça …
  3. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, …
  4. Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos …
  5. … o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.

Enem (2009)

No decênio de 1870, Franklin Távora defendeu a tese de que no Brasil havia duas literaturas independentes dentro da mesma língua: uma do Norte e outra do Sul, regiões segundo ele muito diferentes por formação histórica, composição étnica, costumes, modismos linguísticos etc. Por isso, deu aos romances regionais que publicou o título geral de Literatura do Norte. Em nossos dias, um escritor gaúcho, Viana Moog, procurou mostrar com bastante engenho que no Brasil há, em verdade, literaturas setoriais diversas, refletindo as características locais.

CANDIDO, A. A nova narrativa. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 2003.

Com relação à valorização, no romance regionalista brasileiro, do homem e da paisagem de determinadas regiões nacionais, sabe-se que

  1. O romance do Sul do Brasil se caracteriza pela temática essencialmente urbana, colocando em relevo a formação do homem por meio da mescla de características locais e dos aspectos culturais trazidos de fora pela imigração europeia.
  2. José de Alencar, representante, sobretudo, do romance urbano, retrata a temática da urbanização das cidades brasileiras e das relações conflituosas entre as raças.
  3. O romance do Nordeste caracteriza-se pelo acentuado realismo no uso do vocabulário, pelo temário local, expressando a vida do homem em face da natureza agreste, e assume frequentemente o ponto de vista dos menos favorecidos.
  4. A literatura urbana brasileira, da qual um dos expoentes é Machado de Assis, põe em relevo a formação do homem brasileiro, o sincretismo religioso, as raízes africanas e indígenas que caracterizam o nosso povo.
  5. Érico Veríssimo, Rachel de Queiroz, Simões Lopes Neto e Jorge Amado são romancistas das décadas de 30 e 40 do século XX, cuja obra retrata a problemática do homem urbano em confronto com a modernização do país promovida pelo Estado Novo.

Enem (2012)

“Ele era o inimigo do rei” , nas palavras de seu biógrafo, Lira Neto. Ou, ainda , “ um romancista que colecionava desafetos azucrinava D. Pedro II e acabou inventando o Brasil” . Assim era JOSÉ DE Alencar (1829-1877) , o conhecido autor de O guarani e Iracema, tido como o pai do romance no Brasil. Além de criar clássicos da literatura brasileira com temas nativistas, indianistas e históricos, ele foi também folhetinista, diretor de jornal, autor de peças de teatro, advogado, deputado federal e até ministro da Justiça. Para ajudar na descoberta das múltiplas facetas desse personagem do século XIX, parte de seu acervo inédito será digitalizada.

(História Viva, n.99,2011.)

Com base no texto, que trata do papel do escritor José de Alencar e da futura digitalização de sua obra, depreende-se que:

  1. A digitalização dos textos é importante para que os leitores possam compreender seus romances.
  2. O conhecido autor de O guarani e Iracema foi importante porque deixou uma vasta obra literária com temática atemporal.
  3. A divulgação das obras de José de Alencar , por meio da digitalização, demonstra sua importância para a história do Brasil imperial.
  4. A digitalização dos textos de José de Alencar terá importante papel na preservação da memória linguística e da identidade nacional.
  5. O grande romancista José de Alencar é importante porque se destacou por sua temática indianista.

Gabarito sobre a 1ª geração do Romantismo

1- Enem (2001): O certo é a opção A)

2- Enem (2009): O correto é a alternativa C)

3- Enem (2012): Por fim, o certo é a opção D)

LEIA MAIS

Romantismo: fases e contexto histórico

O que é prosa? Definição e exemplos de prosa

O que é Literatura? Origem, função e gêneros literários

O que é Poesia? Origem e tipos de poemas

Poemas de forma fixa: tipos e exemplos de textos

Qual a diferença entre poema e poesia?

O que é e como se faz um Acróstico?

Ditongos: o que são, tipos e 100 exemplos para fixar

Fontes; Português, Só literatura; Toda matéria; Brasil escola, Mundo educação; e, por fim; Projeto agatha edu.

Bibliografia

  • Romantismo. Projeto agatha edu. Acesso em 26 de dezembro de 2022.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.