História

Revolução Puritana – Definição, causas e consequências

Revolução Puritana foi um conflito na Inglaterra, no século XVII. Na ocasião, o parlamento e o rei se enfrentaram em busca do poder do país.

Continue lendo após a publicidade

Revolução Puritana foi um conflito acontecido na Inglaterra do século XVII, em que o parlamento e a monarquia entraram em conflito. A revolução se desenvolveu após uma divergência política e é considerado como o primeiro episódio da Revolução Inglesa.

O parlamento impôs uma petição ao rei Carlos I, com uma série de imposições que deveriam passar primeiro pelo próprio parlamento. O rei aceitou a petição, porém acabou não cumprindo o combinado, gerando insatisfação.

Todavia, a Revolução Puritana foi um momento histórico da Inglaterra. Durante o século XVII, a também conhecida Guerra Civil Inglesa revolucionou a forma que o poder era distribuído no país, fazendo com que a monarquia desse espaço a um estado liberal.

O que foi a Revolução Puritana?

A Revolução Puritana foi um conflito na Inglaterra, durante o século XVII, envolvendo a monarquia e o parlamento. O rei Carlos I discordava politicamente do parlamento e governava de forma autoritária, conservadora e absolutista.

Continue lendo após a publicidade
Revolução Puritana – Definição, causas e consequências
Carlos I era conservador e defendia o poder absoluto do rei.

Todavia, naquele tempo a Irlanda era economicamente independente da Inglaterra, que na figura do rei, tinha como objetivo aumentar os impostos como forma de arrecadação maior. Entretanto, o rei precisava de uma aprovação do parlamento, que exigiu uma petição.

Nesse sentido, problemas relacionados a impostos, prisões, julgamentos e convocações do exército dependiam de autorização dos parlamentares. Contrariado, o rei acatou as medidas, mas fechou o parlamento por 11 anos, dando início à Revolução Puritana.

Causas

A Revolução Puritana estourou em 1642, após tentativa de retomada do poder por parte do rei. Conservador, Carlos I tinha como aliados os católicos e os anglicanos, que lutavam contra presbiterianos e puritanos, representando o parlamento.

Estado de Minas.

Contudo, as divergências políticas tiveram início com a morte de Jaime I. Posteriormente ao seu falecimento, Carlos I assumiu o trono em 1625. A dinastia dos Stuart era responsável por implantar mudanças conservadoras, aliando-se à Igreja Católica.

Continue lendo após a publicidade

Todavia, algumas atitudes reais causaram revoltas, como os protestos na Escócia após imposição do anglicanismo aos presbiterianos e puritanos. Além do conservadorismo católico, Carlos I também apreciava o fato dos fiéis nunca questionarem o poder real.

Desenvolvimento da Revolução Puritana

Os conflitos entre o rei Carlos I e o parlamento resultaram na criação de uma milícia que deveria garantir a existência do parlamento britânico. Esse fato fez com que Carlos I organizasse um exército que lutasse em seu nome.

Nesse sentido, a Revolta Puritana foi o embate entre as tropas reais e o exército popular financiado pelo parlamento. Os populares eram em sua maioria puritanos (calvinistas) e foram liderados por Oliver Cromwell.

Oliver Cromwell foi líder do exército formado pela frente popular.

Esses mesmos populares se dividiram entre os diggers e os levellers. Enquanto os primeiros eram a favor da reforma agrária, garantindo terra para os camponeses, os últimos lutavam por igualdade jurídica e liberdade de religião.

Continue lendo após a publicidade

Cromwell foi responsável por vitórias que garantiram conquistas democráticas para os ingleses. Em uma última batalha, capturaram o rei Carlos I, que terminou decapitado em janeiro de 1649.

Consequências da revolução

Com o fim da Revolução Puritana, a monarquia inglesa chegou ao fim e deu lugar a um governo republicano. Oliver Cromwell ganhou o título de Lorde Protetor da República em um período conhecido como Commonwealth, que acabou fracassando com a ditadura excludente imposta por Oliver Cromwell.

Por fim, após um breve período governado pelo filho de Cromwell, Richard, o parlamento restaurou a monarquia em 1658. Nesse sentido, a monarquia parlamentar foi instaurada e, após acordos políticos, Charles II assumiu o trono inglês.

Então, o que achou da matéria? Se gostou, leia também: Estados Nacionais Modernos – Formação, características e modelos.

Continue lendo após a publicidade

Fontes: História do Mundo, Toda Matéria, Infoescola, Brasil Escola

Imagens: Brainly, Politize, Trota Mundos Blog, Estado de Minas, Diário Causa Operária,

Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments