Tempestade Solar, o que é? Consequências físicas e biológicas

A tempestade solar  é causada por diversas reações que ocorrem no núcleo do sol, o que proporciona uma grande produção de energia.

A tempestade solar  é causada por diversas reações que ocorrem no núcleo do sol, o que proporciona uma produção abundante de energia via fusão nuclear.

Durante esse processo, ocorre a liberação de prótons e elétrons, causando esta tempestade. A explosão dessas partículas superaquecidas, faz com que a radiação solar atinja o campo magnético e a atmosfera terrestre.

Porém, as consequências desse fenômeno podem ser muito danosas para os satélites artificiais e também podem interferir em outros aparatos eletrônicos.

Ou seja, pode provocar a queda de energia elétrica e interferências nos serviços de telefonia. Portanto, essas tempestades podem ocorrer a cada onze anos nos períodos conhecidos como “Máximo solar”.

Em síntese, este evento proporciona belos espetáculos luminosos como as auroras boreais e austrais. Vale lembrar que as tempestades solares podem liberar grandes números de partículas que se espalham pelo Sistema Solar, atingindo até planetas mais distantes, como Plutão.

Consequências da Tempestade Solar

Basicamente, as consequências da tempestade solar são muito amplas, podendo atingir serviços de saúde, transporte e abastecimento de água. 

Tempestade Solar, o que é? Consequências físicas e biológicas
Hypescience

Portanto, essa abrangência se dá pelo fato das tempestades produzirem o efeito de desativar a rede elétrica da terra. A propósito, em 1989, um apagão ocorrido no Canadá foi provocado por alterações do campo magnético induzidas pelas partículas liberadas na tempestade.

Apesar de ter gerado espetáculos de luzes no céu, esse fenômeno tirou a eletricidade de milhares de pessoas, e também tirou do ar toda comunicação via rádio, fato que causou muitos problemas de segurança, logística e saúde.

A propósito, o fenômeno colocou em perigo voos comerciais, causando apagões na comunicação, principalmente nas rotas mais próximas dos polos sul e norte, onde se tem mais concentrações de partículas solares.

Vale lembrar, que os programas espaciais são muito prejudicados, pois as naves podem sofrer danos em componentes eletrônicos, nos painéis solares e nos sistemas ópticos, como câmeras e sensores estelares. Outro fator de extrema gravidade é o fato de os astronautas ficarem expostos à radiação em poucos minutos.

Fatos históricos

Em 1859, por conta de uma tempestade solar, os telégrafos foram rompidos e os telegrafistas recebiam choques elétricos. Contudo, nesse mesmo evento, os postes urbanos produziam faíscas. Assim, este evento ficou conhecido como  evento Carrington, em homenagem ao astrônomo inglês Richard Carrington.

Tempestade Solar, o que é? Consequências físicas e biológicas
Olhar Digital

A propósito, essa tempestade solar proporcionou um grande espetáculo por conta da aurora boreal, sendo visto por pessoas do sul da Europa e da América do Norte. 

Contudo, em relação aos fatos históricos, os efeitos de uma tempestade solar nos dias de hoje podem ser mais graves, por causa da dependência dos satélites em relação ao armazenamento de dados.

Outro evento histórico marcado pela tempestade solar foi durante o conflito da Guerra Fria. Neste evento, as comunicações militares dos EUA foram interrompidas e se levantou suspeitas sobre ações soviéticas, em que os americanos denominaram “ações maliciosas”. Porém, mais tarde a força aérea dos EUA, descobriu tratar-se de uma tempestade solar.

Fases

 Basicamente, as fases ocorridas no processo da tempestade solar são:

  • Diversas reações no núcleo do sol;
  • Produção de grande energia por fusão nuclear;
  • Liberação de prótons e elétrons;
  • Atração e acumulação em outros campos magnéticos;
  • Explosão de partículas superaquecidas, pelo grande acúmulo de prótons e elétrons;
  • Os efeitos na terra são parciais devido ao escudo magnético (magnetosfera).

Vento solar

Os ventos solares são detectados pela NASA e estão relacionados às atividades do ciclo solar que se processa a cada 11 anos.

Basicamente, esses ventos são rajadas de partículas no espaço com velocidade de 3,2 milhões de Km/h. Além disso, estes ventos são 1 bilhão de vezes mais fraco que o vento normal.

A tempestade solar e os seres vivos

Tempestade Solar, o que é? Consequências físicas e biológicas
olhar Digital

Basicamente, vimos até aqui que a tempestade solar, afeta o campo magnético da terra, provocando toda essa gama de fenômenos. Contudo, esta tempestade também pode afetar nosso corpo. Por outro lado, nós também temos campo magnético que nos cercam. Assim, essas tempestades, afetam as ondas cerebrais e os níveis de hormônios, causando uma série de reações diferentes.

A propósito, partículas de alta energia, liberadas pelas erupções solares, podem ser muito prejudiciais ao seres humanos. Contudo, a atmosfera e a magnetosféra da terra em geral, permitem a proteção adequada dentro de certos limites. Porém, os astronautas no espaço, estão sujeitos a doses potencialmentes letais de radiação.

Neste sentido, a penetração de partículas nos os seres vivos pode causar danos ao cromossomos, cancer e muitos outros problemas de saúde. Existem evidências que apontam, que mudanças ocorridas no campo geomagnético afetam sistemas biológicos. Assim, afetam a orientação dos pombos e outros animais migratórios, como baleias e golfinhos, que possuem bússulas internas compostas de magnetita.

Monitoração

A princípio, no que diz respeito a prevenção e monitoração, existem vários equipamentos que medem a variação do campo geomagnético, instalados na terra e no espaço. As transmisssões de alertas geofísicos decorrentes do  monitoramento, são muito importântes, para decidir sobre que ações e  providências devem ser tomadas, um exemplo disso é a sonda solar Parker.

Assim, um aviso com antecedência de uma tempestade solar, permite que as distribuidoras de energia elétrica, evitem danos em sua rede e que satélites , naves espaciais, e astronautas possam ser protegidos. Neste sentido, os magnetômetros, são práticos e versáteis instrumentos de medida de campo magnético. Eles são aptos em medir campos magnéticos de inensidade mínima e monitorar suas variações.

Contudo, outros instrumantos são utilizados nessa prevenção como os sensores na terra e no espaço. Estes sensores,  medem continuamente porções específicas de espectro de energia solar para monitorar seu níveis. Neste sentido, um desses sensores é o Soho, que atua na posição intermediária entre a terra e o sol e detecta explosões na superfície solar.

Erupção solar

Basicamente, a tempestade solar é causada, pelas erupções e explosões solares, causadas por mudanças repentinas no campo magnético do sol, o que pode causar altos níveis de radiação no espaço sideral. No entanto, essa radiação, pode vir como partículas (plasma) ou radiação eletromagnética (Luz). Neste sentido, o sol  libera porções de energia eletromagnética, quando uma gigantesca quantidaede de energia, explode.

Assim, essa explosão produz um forte pulso de radiação que abrange um espectro eletromagnético que abarca as ondas de rádio até os raios X e raios gamas. A liberação de gases pelo sol é ouro fator que influi na terra. Neste sentido, 10 bilhões de toneladas de gás eletrizado atingem aterra superando a velocidade de um milhão de quilômetros por hora.

Quando esses gazes atinge aterra, a magnetosfera do planeta desvia a maior parte de radiação, mas uma parte pode chegar à atmosfera causando a tempestade geomgnéticas, conhecida como tempestade solar.

Porém, o vento solar  também lança no espaço plasma e descargas eletromagnéticas, que são oriundos da tempestade solar.

Assim, as causas dessa tempestade são visualizadas em manchas solares que se configuram em regiões de redução de temperatura e zonas de pressão de massas gasosas.

Sendo assim, a NASA consegue visualizar e detectar uma erupção solar pela liberação de fótons, essa identificação é possível por conta de sensores mecânicos, lançados no espaço.

Tempestade solar na atualidade

Em 2016, uma tempestade solar preocupou muito o governo Obama. O fenômeno levou o presidente Barack Obama a baixar um decreto determinando a obtenção de um plano por parte das secretarias e das várias agências governamentais, para enfrentar o que é chamado de “evento climático espacial”.

Pexels

Em síntese, a previsão era de uma tempestade solar de grande magnitude, segundo estudo da Universidade de Denyer, publicado na revista científica Space Weather.

Obama pediu aos órgãos governamentais que criassem estratégias a serem adotadas durante quatro meses, antes e depois da ocorrência de tal fenômeno.

Atualmente, uma tempestade solar atingiu a Terra, os efeitos só foram percebidos em altas latitudes. Com efeito, o sol lançou uma poderosa explosão solar (flare), na direção da terra.

Por fim, as partículas foram liberadas como uma ejeção de massa coronal (CME), uma grande expulsão de plasma e campo magnético liberado desde a superfície do sol.

Então, o que achou da matéria? Se gostou, leia também: Movimento da Água – Ondas, marés e correntes marítimas

Fontes: Brasil Escola, BBC, Gizmodo e Ecycle 

Imagens: Super Interessante, Hypescience, Olhar Digital, Olhar Digital e Pexels

Gostou da matéria? Se gostou, leia também, Radiação solar, o que é? como funciona e quais seus efeitos no planeta.

Fontes: Brasil Escola, Ecycle, BBC, Gizmodo

Imagens:  Pexels , Hypescience, Olhar Digital,  Super Interessante

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.