Tipos de Relevos do Brasil: classificação e composição do solo

Os tipos de relevos do Brasil mais abrangentes, são planícies, planaltos e depressões. Portanto o conceito de relevo abrange outras formas.

Os tipos de relevos do Brasil mais abrangentes, são planícies, planaltos e depressões. Portanto, o conceito de relevo está ligado às formas variadas da parte superficial da litosfera.

Neste sentido, vivemos e construímos cidades e estradas, vemos que essa parte superficial terrestre apresenta formas variadas. Portanto, é denominado de relevo o conjunto de variações terrestres da superfície da terra.

Assim, o relevo é constituído de partes mais altas, baixas, terras planas e acidentadas. Logo, todas essas variações dão forma à paisagem da superfície da terra. Além disso, vale lembrar que o relevo se manifesta desde os fundos dos oceanos.

Formas gerais de alguns relevos

Tipos de Relevos do Brasil - classificação, agentes e composição do solo
Geografia Relevo
  • Montanhas: Grande elevação natural do relevo
  • Planaltos: Parte do relevo elevada, mais ou menos plana, delimitada por declives.
  • Depressão absoluta: Porção do relevo terrestre, situada abaixo do nível do mar.
  • Depressão relativa: situada abaixo do nível das regiões próximas
  • Planícies: Terrenos mais ou menos planos, geralmente em baixas altitudes, compostos por rochas sedimentares e delimitadas por aclives.
  • Cordilheiras: Alinhamento de várias montanhas. Contudo, são também denominadas, cadeia de montanhas.

Basicamente, em relação aos tipos de relevos do Brasil, as formações como vulcões não existem no país. Contudo, já existiu em uma época geológica muito distante no tempo.

Transformações dos relevos

Em síntese, os relevos se transformam por dois tipos de agentes: internos e externos. Por exemplo, dentre os agentes internos, se destacam o movimento de placas tectônicas. Portanto, esse agente é o responsável por fenômenos que acontecem no interior da terra.

Neste sentido, fazem parte desse agente interno os terremotos, as erupções vulcânicas e os dobramentos.

Dessa forma, o erguimento e o dobramento dos terrenos que se dá no contato entre as placas, deu origem às grandes montanhas que conhecemos hoje. Por outro lado, as atividades vulcânicas deram origem aos relevos chamados de planaltos vulcânicos.

Tipos de Relevos do Brasil - classificação, agentes e composição do solo
Cruzeiro do Sul

Os agentes externos são fenômenos que causam mudanças das formas terrestres de maneira externa a ela. Neste sentido, as variações climáticas, como a temperatura, o vento e chuva causam alterações físicas e químicas nas rochas.

Dessa forma, nos tipos de relevo do Brasil acontecem muitas formas de transformações terrestres por agentes externos. Assim, a essa atuação dos agentes externos é dado o nome de intemperismo.

Tipos de intemperismo:

  • Intemperismo químico: É predominante nas áreas de alta pluviosidade. Portanto, desgasta as rochas pela modificação dos minerais por oxidação e outras reações com água.
  • Intemperismo físico: É mais predominante nas áreas com menor pluviosidade (chuvas), como o sertão nordestino e o centro-oeste. Contudo, se caracteriza pela dilatação e contração das rochas e pela oscilação de temperatura causando a sua fragmentação.
  • Intemperismo biológico: resultado da ação dos vegetais que com suas raízes desintegram as rochas.

Agentes externos relacionados com a erosão

Nos relevos em geral podem acontecer erosões do relevo por vários fatores. Os tipos de relevo do Brasil se devem a ações de alguns desses fatores. Neste sentido, a erosão pode ser pluvial quando o agente causador são as águas da chuva, fluvial, quando for a águas dos rios.

Contudo, ainda existe a erosão marítima que forma as praias e falésias, e a erosão eólica (ventos) que formam as dunas. Porém, quando a ação da erosão é humana dá-se o nome de erosão antrópica.

Formação dos tipos de relevo

A diversidade de formas e estruturas de relevo no território brasileiro é muito grande. Contudo, as estruturas e as formações litológicas (rochas) são antigas.

Porém, as formações do relevo são mais recentes, pois o relevo está sempre mudando de forma por causa de desgastes erosivos por ações de fenômenos naturais (ações climáticas) e ações humanas.

Tipos de Relevos do Brasil - classificação, agentes e composição do solo
Pinterest

As origens das transformações do relevo se dividem em duas:

  • Arranjos estruturais antigos: formações litológicas (rochas).
  • Processos mais recentes: movimentação das placas tectônicas, desgaste erosivo dos climas anteriores e atuais.

Classificação dos principais tipos de relevo do Brasil

De acordo com Jurandyr Ross (1989) o relevo brasileiro é dividido predominantemente em planaltos, planícies e depressão. Portanto, segundo esse autor o Brasil possui 28 unidades de relevo.

Vale lembrar que antes da classificação feita por Jurandyr Ross houve duas outras classificações de grande importância para a história da geografia brasileira.

Neste sentido, a primeira classificação foi feita por Haroldo Azevedo (1910-1974) em 1949. No entanto, nesta classificação, o Brasil era dividido em 8 unidades de relevos e somente participava dessa classificação os planaltos e  planícies.

Posteriormente, a classificação de Azevedo se realizou com o estudo de Aziz Nacib Ab’Saber (1924-2012). Portanto, esse autor classificava como principais relevos, a planície e os planaltos. Além disso, o seu eixo de estudo era focado na erosão e sedimentação.

Principais tipos de relevo do Brasil

  • Depressão: Relevo aplainado e rebaixado em relação ao seu entorno. São decorrentes de erosão e circundam os planaltos. Dentre os tipos de relevo do Brasil são encontradas 11 unidades de depressão.
  • Planalto: Relevos residuais que se configuram como estruturas mais resistentes à erosão, predominantemente rochas. No total de relevos brasileiros são 11 os planaltos existentes.
  • Planícies: bacias de sedimentação recentes. O pantanal mato-grossense é um exemplo de planície.

Nesse sentido, o planalto é uma superfície irregular com 300 metros. A planície é uma área plana formada pelo acúmulo recente de sedimentos e a depressão com superfície de 100 a 500 metros de altitude, é formada pelo processo de erosão.

Constituição do relevo brasileiro

Em sua constituição os tipos de relevo do Brasil são formados por 64% de rochas sedimentares com ocorrência de combustíveis fósseis e 36% de escudos cristalinos (rochas metamórficas e magmáticas) nesses estudos podem ser encontradas as jazidas de minérios.

The Guardian

Outros relevos encontrados no Brasil

  • Escarpa: declive acentuado que geralmente aparece nas bordas dos planaltos. Assim, a escarpa da Cuesta de Botucatu é um exemplo desse relevo.
  • Chapada: Tipo de planalto com o topo aplainado e encostas escarpadas. A Chapada dos Guimarães representa esse tipo de relevo
  • Morro: pequena elevação do terreno. No estado de São Paulo, na região de Cunha existe uma variedade de morros.
  • Serra: Basicamente, a serra designa um conjunto variados de relevos como dobramentos antigos e recentes, escarpas de planaltos e cuestas. Um exemplo dessa formação é a serra do Imeri onde está o pico da Bandeira.
  • Inselberg: este relevo se caracteriza por uma saliência e é encontrado nas regiões de clima árido e semiárido. Contudo, vale lembrar, que sua estrutura rochosa possui grande resistência pelo fato de não ser desgastado pela erosão que aconteceu em seu entorno. Tem como exemplo, o inselberg de Itaberaba (BA).

As planícies brasileiras

Basicamente, dentre os tipos de relevo do Brasil, as planícies são sedimentações mais recentes com pouca ou nenhuma variação de altitude.

No entanto, quanto aos agentes de sedimentação, se dividem em três tipos: planícies costeiras, quando o agente de sedimentação é o mar; planície fluvial, quando o rio é o responsável pela sua formação; e planícies de origem lacustre quando esse agente é um lago.

Contudo, a maior planície do Brasil é a Planície Amazônica, formada por depósitos quaternários (recentes), está localizada na parte norte do país.

A propósito, esta planície está dividida em várzea, terras firmes e igapó. Por outro lado, existem também, as planícies Pantanal no centro-oeste e a planície litorânea localizada na porção oriental do país.

Planaltos brasileiros

Basicamente, os planaltos brasileiros foram formados por antigos fluxos de lava basáltica. Contudo, comparados aos tipos de relevos do Brasil, é uma formação muito antiga. Neste sentido, a sua atividade sísmica ou vulcânica se realizou no passado.

Dessa forma, a constituição do relevo brasileiro se dá por duas formas: sedimentar e cristalina. Porém, vale lembrar que nos escudos cristalinos existem reservas minerais metálicas e não metálicas.

Povo Vitória

Além disso, o planalto brasileiro se estende pelo Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.  Portanto, de acordo com Aroldo de Azevedo (1949), o planalto brasileiro é subdividido em cinco unidades:

Planaltos:

  • Central
  • Meridional
  • Planalto do meio-Norte
  • Planalto Nordestino

Serras e planaltos:

  • Serras e planaltos do leste e sudeste

As depressões brasileiras

Primeiramente, quando comparadas, aos tipos de relevo do Brasil, as depressões são originadas por processos erosivos nas bordas das bacias sedimentares. 

Contudo, essa forma de relevo só foi aparecer na classificação do geógrafo Aziz N. Ab’. Assim, podemos classificar as depressões quanto a sua localização:

  • Periférica: área de contato entre bacias sedimentares e núcleos cristalinos
  • Marginais: áreas de origem sedimentar
  • Interplanálticas: localizam-se em terrenos de baixa altitude em relação aos planaltos

Gostou da matéria? Se gostou, leia também, Relevo brasileiro: Quais são os Principais tipos do Brasil?

Fontes: Memória ebc, Toda Matéria, Escola Kids

Imagens: Olhar Digital, Geografia Relevo, Cruzeiro do Sul, Pinterest, The Guardian, Povo Vitória

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.