Língua Portuguesa

Vícios de linguagem: classificação e exemplos

Os vícios de linguagem são desvios não intencionais que vão contra a norma culta. O problema desses vícios, é que eles podem atrapalhar a comunicação.

Continue lendo após a publicidade

Os vícios de linguagem são desvios não intencionais que vão contra a norma culta da Língua Portuguesa. O problema desses vícios é que eles podem atrapalhar a comunicação.

O que são vícios de linguagem

Em resumo, os vícios de linguagem são conceituados como desvios não intencionais da norma-padrão do idioma. Ou seja, eles são construções linguísticas inadequadas.

Os vícios de linguagem devem ser evitados em certas situações, uma vez que geram ruídos na comunicação.

Com isso, a mensagem pode não ser entendida. Sendo assim, os vícios de linguagem devem ser evitados, sobretudo, em situações formais.

Continue lendo após a publicidade

Classificação dos vícios de linguagem

Os principais vícios de linguagem são:

1- Solecismo

Este vício de linguagem consiste no desvio que envolve erros de sintaxe na construção de um trecho ou ainda na combinação de palavras.

Ele pode ser um erro de concordância, de regência, de colocação ou de má estruturação. Enfim, alguns exemplos são:

  1. Concordância.O motorista disse que só falta três passageiros”. O certo seria: “O motorista disse que só faltam três passageiros”.
  2. Regência. “Cheguei na sua casa”. Neste caso, o certo seria falar: “Cheguei à sua casa.”
  3. Colocação. “Meus pais preocuparão-se comigo se eu não ligar agora para eles”. O correto seria: “meus pais preocupar-se-ão comigo se eu não ligar agora para eles”.

2- Arcaísmo

O arcaísmo é o uso de vocábulos ou construções arcaicas que não são mais usadas e não são válidas hoje em dia. Por exemplo:

Continue lendo após a publicidade
  • Todas podem, outrossim, prestar uma queixa formal. (Outrossim = também)

3- Vício de linguagem: barbarismo

Neste caso, o vício de linguagem está ligado ao uso errado de uma palavra. Sendo assim, ele pode ser o erro na pronúncia, ortografia ou significado. Por exemplo:

  1. Pronúncia. Falar “probrema” ao invés de “problema”.
  2. Ortografia. Escrever “ancioso” em vez de “ansioso”.
  3. Sentido. “Eu assumi que o evento já tivesse acabado” ao invés de “Eu supus que o evento já tivesse acabado.”

4- Paraquema

A paraquema é a aproximação de sons idênticos ou parecidos entre sílabas de duas palavras. Por exemplo:

  • Quando eu terminar esta tarefa, vou brincar com o Augusto.

5- Estrangeirismo

Em síntese, o estrangeirismo é o uso de palavras, expressões ou construções típicas de idiomas estrangeiros como se eles fizessem parte da língua portuguesa.

É normal que a gente use certas expressões e palavras estrangeiras no nosso dia a dia. No entanto, isso é tido como um vício de linguagem. Por exemplo:

Continue lendo após a publicidade
  1. Dizem que Jorge é um gentleman.
  2. Esse filme, apesar de vintage, é muito trash.
  3. Fiquei chocada quando a vi em um outdoor.

6- Vício de linguagem: hiato

O hiato consiste na repetição de vogais idênticas. Por exemplo:

  • Hoje voolhar filho do Osvaldo.

7- Colisão

A colisão é a repetição de consoantes idênticas ou semelhantes. Tome cuidado para não confundir hiato com colisão.

Afinal de contas, o hiato é a repetição de vogais idênticas, ao passo em que a colisão é a repetição de consoantes idênticas ou parecidas. Enfim, um exemplo de colisão é:

  • Não quero que você queira quem não te quer.

8- Pleonasmo vicioso

É o uso de termos redundantes de forma não intencional. Isso é um vício de linguagem, pois causa uma repetição desnecessária de uma ideia. Alguns exemplos de pleonasmo vicioso bem comuns são:

Continue lendo após a publicidade
  1. Entrar para dentro
  2. Subir para cima
  3. Descer para baixo
  4. Sair para fora

9- Plebeísmo

O plebeísmo consiste no uso de expressões populares ou gírias. Por exemplo:

  • Esse cara chegou aqui ontem e já acha que pode opinar sobre o funcionamento do armazém.

10- Vício de linguagem: ambiguidade

Em síntese, a ambiguidade ocorre quando é possível entender mais de um sentido em um enunciado. Ou seja, é o duplo sentido de forma não intencional. Por exemplo:

  1. Lucinda, vi a Joana no shopping com sua irmã.
  2. Preciso que você confirme se ele pode ir com a sua mãe.

11- Cacofonia

Este vício de linguagem ocorre quando a aproximação entre palavras resulta em um som desagradável. Pode ser também quando um vocábulo tem um sentido ridículo ou obsceno. Por exemplo:

  • Ué, a Júlia estava aqui perto de mim! Cadê ela, gente! (Cadê ela = cadela)

12- Preciosismo

Em resumo, o preciosismo é o uso de uma linguagem rebuscada, artificial e afetada. Por exemplo:

Continue lendo após a publicidade
  • Tais acontecimentos pretéritos não impediram que o colóquio entre os amantes fosse perpetrado.

13- Eco

Por fim, o eco ocorre quando ocorre uma repetição não intencional de sons, o que gera rimas que atrapalham o discurso. Por exemplo:

  • Sem descanso, avanço descalço.

Enfim, gostou de aprender sobre os vícios de linguagem? Então não deixe de conferir também o que é coerência textual e Variação Linguística – Definição, tipos e importância

Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments