Batalha de Waterloo: o que foi, como ocorreu, consequências

A batalha de Waterloo foi um confronto decisivo entre forças francesas, britânicas, russas, prussianas e austríacas em Waterloo, a atual Bélgica. Foi nessa batalha que Napoleão Bonaparte foi vendido.

A Batalha de Waterloo foi um confronto decisivo entre forças francesas, britânicas, russas, prussianas e austríacas em Waterloo, atual Bélgica.

O conflito teve início em 18 de junho de 1815 e marcou a derrota definitiva de Bonaparte, que abdicou do trono e foi enviado para um exílio na distante ilha de Santa Helena.

Apesar de ter marcado a derrocada definitiva de Napoleão Bonaparte, o fato é que a decadência de Bonaparte já estava se arrastando há anos.

Anteriormente, Napoleão havia invadido a Rússia e perdido. Com isso, ele foi exilado na ilha de Elba, no Mar Mediterrâneo.

No entanto, ele fugiu do exílio para tentar reconquistar o que havia perdido. Como as nações inimigas se uniram para derrotar a França, Napoleão reuniu um exército e atacou.

Resumo da batalha de Waterloo

  • Em 1812, Bonaparte invadiu a Rússia. No entanto, ele perdeu, abdicou o trono e foi exilado na ilha de Elba, no Mar Mediterrâneo.

  • Napoleão Bonaparte fugiu do exílio em Alba no dia 26 de fevereiro de 1815.

  • Uma coalizão foi formada por ingleses, austríacos, prussianos e russos, para derrotar a França.

  • Napoleão, formou um exército com 125 mil soldados e partiu ao ataque antes que seus adversários ficassem fortes demais.

  • A Batalha de Waterloo foi um confronto decisivo entre forças francesas, britânicas, russas, prussianas e austríacas em Waterloo, atual Bélgica.

  • Por fim, a Batalha de Waterloo marcou a derrota definitiva de Bonaparte.

Antecedentes e contexto histórico da Batalha de Waterloo

A Batalha de Waterloo representou a derrota definitiva de Napoleão Bonaparte. Mas o general francês já estava em decadência há alguns anos.

Tudo começou com a Campanha da Rússia, em 1812. Em resumo, na campanha, a Rússia foi invadida, pois os russos decidiram furar o Bloqueio Continental.

No entanto, invadir a Rússia foi uma péssima decisão de Bonaparte. Um dos motivos para isso, é porque o exército tinha um serviço de suprimento muito ruim.

Para completar, os russos destruíram os campos, então o exército de Bonaparte não tinha como saquear nada. Com isso, o exército ficou em uma situação bem delicada.

Além disso, o rigoroso inverno não ajudava em nada as tropas napoleônicas. Desse modo, a falta de suprimentos e o inverno rigoroso, aliados aos ataques russos, fizeram com que os franceses recuassem.

Para você ter uma ideia, dos 500 mil soldados do exército de Napoleão, menos de 50 mil retornaram para a França. Essa derrota teve um grande impacto em Napoleão.

Se aproveitando da situação, uma coalizão foi formada por tropas austríacas, prussianas, russas, inglesas, portuguesas, suecas, espanholas e germânicas.

Dessa forma, eles conseguiram derrotar Napoleão, que abdicou de sua posição e a monarquia foi restaurada na França.

Fuga de Napoleão do exílio

O trono foi entregue a Luís XVIII, e Napoleão foi enviado para a ilha de Elba, no Mar Mediterrâneo, para lá permanecer em exílio.

No entanto, Napoleão Bonaparte fugiu do exílio em Alba no dia 26 de fevereiro de 1815.

As nações inimigas de Napoleão declararam que ele era um fora da lei. Mas pouco depois, no dia 20 de março de 1815, ele reapareceu em Paris.

Sendo que ele foi recebido com honrarias e foi ovacionado pela população parisiense. Bonaparte então passou a tentar recuperar o que tinha perdido.

Este período ficou conhecido como Os Cem Dias de Napoleão. Com o intuito de derrotar a França, uma coalizão foi formada por ingleses, austríacos, prussianos e russos.

Napoleão, por sua vez, formou um exército com 125 mil soldados e partiu ao ataque antes que seus adversários ficassem fortes demais.

Batalha de Ligny

Napoleão invadiu a Bélgica, em 15 de junho de 1815. O seu alvo principal eram as tropas lideradas por Arthur Wellesley, o Duque de Wellington. 

Dessa forma, Bonaparte dividiu suas tropas com dois de seus comandantes. O flanco direito ficou com Emanuel de Grouchy e o flanco esquerdo a Michel Ney.

Sendo que os franceses tinham que lidar com duas tropas na Bélgica: uma liderada pelo Duque de Wellington e outra liderada por Gebhard von Blücher.

Sendo assim, Bonaparte ordenou que Michel Ney e mais 24 homens ficassem na retaguarda francesa, protegendo-os.

Em contrapartida, ele e Grouchy atacariam as tropas prussianas que estavam na Bélgica e eram lideradas por Blücher.

Portanto, Michel Ney iria repelir as tropas de Wellington e impedir que elas se unissem a Blücher. Enquanto isso, Napoleão e Grouchy iriam destruir as tropas prussianas.

Essa batalha ficou conhecida como Batalha de Ligny. Nela, Napoleão Bonaparte derrotou os prussianos, forçando Blücher a decretar o recuo de suas tropas.

Batalha de Waterloo

Com o recuo das tropas de Blücher, Bonaparte ordenou que Grouchy perseguisse os prussianos, para evitar que eles se unissem a Wellington.

Bonaparte então se juntou às tropas de Michel Ney e atacar as tropas de Wellington. Aproveitando da forte chuva, o comandante inglês se estabeleceu em um local conhecido como Monte Saint Jean.

Wellington assumiu uma posição defensiva e posicionou suas tropas com o intuito de resistir aos ataques de Napoleão.

Isso porque o intuito era ganhar tempo até que as tropas de Blücher chegassem para dar suporte. A luta durou cerca de 15 horas e as tropas de Wellington conseguiam resistir aos ataques franceses.

Por fim, as tropas prussianas lideradas por Blücher foram avistadas e marchavam em direção à batalha para unir esforços a Wellington.

Desse modo, Napoleão ordenou que o general Lobau e mais dois batalhões assumissem posições defensivas no flanco direito, com o intuito de barrar o avanço das tropas de Blücher.

Enquanto isso, Michel Ney tomou uma decisão ruim e ordenou que sua cavalaria realizasse um ataque frontal contra as tropas de Wellington. Mas o ataque não teve sucesso e milhares morreram.

No fim da tarde, Ney percebeu uma oportunidade de fazer um ataque fulminante para acabar com as defesas de Wellington e pediu reforços, mas Napoleão não tinha mais tropas para enviar.

Grouchy teria sido crucial nesse momento, no entanto, ele não retornou e foi criticado durante toda a sua vida por causa disso.

Desfecho e consequências

Entre o final da tarde e o começo da noite, as tropas de Bonaparte passaram a ceder espaço no campo de batalha. No fim das contas, Napoleão abandonou o campo de batalha.

Dessa forma, no fim da noite, Wellington e Blücher se uniram e declararam sua vitória. Sendo que eles perderam cerca de 20 mil soldados.

Em contrapartida, o exército de Napoleão perdeu 25 mil soldados, além de prisioneiros e desertores. Apesar da derrota, Bonaparte voltou para Paris para formar um novo exército.

No entanto, a derrota fez com que ele perdesse apoio político e popular. Com isso, no dia 24 de junho de 1815, ele decidiu abdicar do trono pela segunda vez.

Por fim, Napoleão Bonaparte foi preso e enviado para um exílio, na ilha de Santa Helena, localizada no Atlântico Sul. Foi neste local que Bonaparte morreu em 1821.

LEIA MAIS

Guerras Napoleônicas – Contexto histórico, fases e queda de Bonaparte

Guerra Civil Inglesa: como ocorreu, motivação e consequências

O que foi a Guerra do Vietnã, o conflito mais emblemático da Guerra Fria?

Guerra da Crimeia – Origem, contexto e consequências do conflito

O que foi a Guerra Fria? Início, características, acontecimentos e fim

Guerra dos trinta anos – Contexto histórico, fases e consequências

Fontes: Só História, Info Escola, Brasil escola e, por fim, DW

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.