História

Arte rupestre: Oque é, história, características e particularidades

A arte rupestre ainda é um mistério para a humanidade, porém causa admiração e também nos conta como era o cotidiano no mundo pré-histórico.

Continue lendo após a publicidade

Arte rupestre é o nome dado às criações artísticas da Pré-História e, possivelmente, datadas de 40.000 a.C. Do latim, ars rupes, o termo significa “arte sobre rocha”. Também denominada pintura ou gravura rupestre, essa manifestação artística contempla um amplo conjunto de desenhos, pinturas e inscrições. Além disso, não possui um ponto de origem exato devido a imprecisão da datação por carbono.

No entanto, apesar do mistério em torno de seu ponto inicial, não faltam resquícios da arte rupestre preservados em diversos sítios arqueológicos. Sendo assim, pode-se encontrar a arte pré-histórica em todos os continentes da Terra. Aliás, no Brasil há numerosas pinturas rupestres conservadas.

A arte rupestre prova que, por volta dos 30 e 40 mil anos, o homem já havia evoluído intelectualmente. Com isso ele ganhou a capacidade de se expressar através de manifestações artísticas. Isso propiciou conhecer seus hábitos, os animais que viviam na época e até sua organização de caçada. Além de ser o tipo de registro que antecedeu a escrita.

Características da arte rupestre

Arte rupestre: o que é, quando, onde e por quem foi feita?

Continue lendo após a publicidade

Embora preconcepções possam sugerir o contrário, as pinturas rupestres diferenciam-se entre si, quer pelo tema escolhido, quer pelo material utilizado. Umas são gravadas em baixo-relevo e outras na superfície lisa das rochas. Ademais, outra distinção que deve ser feita é quanto ao ambiente, que pode ser ao ar livre ou parietal – encontrada em cavernas.

No geral o tema escolhido é o mesmo, posto que refletia a realidade em comum da época. Logo, retratavam as caçadas, o dia-a-dia, os animais da região ou simples abstrações. Contudo, vale pontuar que as representações podem variar de acordo com sua localidade, então não devemos generalizá-las. Dessa forma, existem múltiplos significados para os símbolos retratados.

Ademais, a arte rupestre dividia-se em dois tipo: gravura e pintura. Enquanto a gravura rupestre trata-se de imagens feitas com incisões na própria pedra, a pintura, como o próprio nome sugere, é feita através da aplicação de pigmentos nas paredes e em outros espaços.

Matéria prima da pintura

Levando em consideração o período característico da arte rupestre, é de se imaginar que toda e qualquer matéria-prima encontrada na natureza servia de pigmento. Logo, apesar de não haver nenhuma sofisticação, também não existiam limitações.

Continue lendo após a publicidade

Isso significa que o indivíduo pré-histórico empregava a argila misturada com algum mineral ou então carvão moído para fixar a a tinta. Além desses minerais, recursos de origem animal também se destacavam, como clara de ovo, sangue e gordura de animais, fezes de morcegos, além de ceras e resinas vegetais.

Particularidades da arte rupestre

Arte rupestre: o que é, quando, onde e por quem foi feita?

Na análise das técnicas empregadas na arte rupestre, é possível notar desde riscos simples até traços mais sofisticados. Em alguns locais chegou-se ao elaborado emprego do claro-escuro e da técnica policrômica.

O tema escolhido são cenas do dia a dia, além de caçadas e da luta pela sobrevivência. Muitos animais são encontrados nesses desenhos, em especial bisões, cervos e felinos. Já foram catalogados contornos de mãos e também simples riscos sem maior significado.

Continue lendo após a publicidade

De qualquer forma, essa manifestação artística é uma ancestral dos meios de comunicação que temos hoje. Ao passo que o indivíduo da Idade da Pedra sentiu-se seguro para manifestar seus pensamentos através dos desenhos nas paredes, possibilitou também processos de comunicação mais complexos, como a palavra e a arte.

Embora seja comum escutar afirmações sobre a arte rupestre visar registrar o cotidiano, não devemos limitá-la à isso. De acordo com estudos recentes, essa manifestação artística tinham uma função nos rituais funerários e religiosos da pré-história.

Os sítios mundo afora

Arte rupestre: o que é, quando, onde e por quem foi feita?

Foi há aproximadamente um século e meio que o mundo tomou conhecimento da arte rupestre. Os desenhos nas cavernas de Altamira, na Espanha, foram as primeiras que se fizeram conhecer. Todavia, no início, a arte rupestre teve sua veracidade questionada. Depois foram descobertas outras na Alemanha, Itália, Portugal, Espanha e França.

Continue lendo após a publicidade

Na França, nas Caverna de Les Trois-Frères há muitos exemplares do Paleolítico Superior. E os sítios de Lascaux se tornaram Patrimônio Mundial da UNESCO.

O Brasil também tem muitos exemplares de arte rupestre, principalmente a parietal. Podemos citar, por exemplo, as do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí. Mas tem também a de Cariris Velhos, na Paraíba, e em Lagoa Santa, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Por fim, vale apontar uma curiosidade: a arte rupestre encontra-se em todos os continentes, com exceção da Antártida.

E então, achou legal conhecer um pouco mais sobre a arte rupestre? Pois bem, aproveite para ler também sobre a Era Cenozoica: contexto histórico, geográfico e modificações.

Continue lendo após a publicidade

Fonte: Portal da Arte, Wikipédia, Info Escola, Cultura Mix, Toda Matéria, Acrilex, Colégio Web, Mega Curioso, Sua Pesquisa, Último Segundo, Sputnik, Veja, Brasil Escola, Educa Mais Brasil, arte ref.

Bibliografia:

  • MARTIN, Gabriela. “Arte Rupestre e Registro Arqueológico no Nordeste do Brasil”. In: Clio – Série Arqueológica, 1993 (9).
  • PEREIRA, Thiago. “Panorama da arte rupestre brasileira: o debate interdisciplinar”. In: Revista de História da Arte e Arqueologia, 2011; (16):21-38.
  • GASPAR, Madu. A Arte Rupestre no Brasil. Zahar, 2006, 2ª ed.
  • GOMBRICH, E.H. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 2013.
  • PROUS, Andre; JORGE, Marcos; RIBEIRO, Loredana. Brasil Rupestre: arte pré-histórica brasileira. [S.L.]: Zencrane, 2007. 272 p.

Fonte das imagens: Acredite ou não, Wikipédia, ConceitosRed Cántabra.

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments