Tecnologia

Caleidoscópio: Origem e etapas para construí-lo

Você sabe o que é um caleidoscópio? Então conheça o que é a história desse instrumento ótico, muito usado no passado e que faz sucesso até hoje.

Continue lendo após a publicidade

O caleidoscópio é um dispositivo ótico em formato cilíndrico, feito de cartão ou metal, com um fundo de vidro opaco. O seu interior é repleto de fragmentos de vidro colorido e três espelhos inclinados em formato de triângulo. Assim, quando bate a luz exterior, e gira-se o tubo do instrumento, os reflexos dos espelhos formam desenhos simétricos únicos.

Criado pelo cientista escocês David Brewster, em 1817, na Inglaterra, o caleidoscópio logo tornou-se uma sensação ao redor do mundo, justamente por criar imagens coloridas deslumbrantes. Assim, esse instrumento foi muito utilizado no século XIX, e serviu como parâmetro para o padrão da indústria têxtil da época. Além de contribuir também com a construção dos enormes vitrais usados nas igrejas antigas.

Portanto, hoje iremos conhecer um pouco mais sobre a história do caleidoscópio, e aprender como fazer um em casa. Vamos lá.

O que é o caleidoscópio e como funciona?

Como já mencionado anteriormente, o caleidoscópio é um objeto cilíndrico, que pode ser feito de metal ou cartão, com fundo opaco, que guarda diversos pedaços de vidros coloridos, e tem três espelhos formando um prisma. O nome caleidoscópio é originário de três palavras gregas: “kalos”, que significo belo ou bonito, “eidos”, imagem ou figura e “scopeo”, olhar ou observar. Assim, ficaria algo como “vejo belas imagens”.

Continue lendo após a publicidade

E é justamente isso que encanta nesse instrumento, a possibilidade de observar imagens únicas. Assim, ao posicionar o dispositivo diante da luz, e girar o tubo, é possível apreciar diversos efeitos visuais. Desse modo, de acordo com cada movimento, os vidros formam combinações distintas, originando diversos desenhos simétricos, onde nenhum é igual a outro.

Isso se dá, devido ao reflexo da luz exterior, que quando em contato com os espelhos inclinados, se multiplicam e mudam de lugar, resultando em um novo jogo de imagens.

No entanto, é importante lembrar que as imagens são formadas por meio de três espelhos associados. Assim, quando eu modifico o ângulo entre os espelhos, pela rotação do tubo, acontecem modificações no padrão das imagens. Neste sentido, quanto menor for o ângulo entre os espelhos maior será o número de imagens formadas.

Relação de ângulo entre os espelhos e quantidade de imagens formadas:

Continue lendo após a publicidade
  • 45° – Cada espelho forma 8 imagens
  • 60° – 6 imagens
  • 90° – 4 imagens
Tipo de imagem que o caleidoscópio pode proporcionar.
Fonte: Epoch Times

Origem do caleidoscópio

O caleidoscópio foi inventado na Inglaterra, pelo físico escocês David Brewster. O dispositivo feito de tubo e pequenos pedaços de vido coloridos, em um ano já era um brinquedo conhecido em vários lugares do mundo, se tornando um verdadeiro sucesso.

O seu diferencial era os três espelhos posicionados no interior do tubo, que formavam um ângulo de 45 a 60 graus entre si. Sendo assim, os pedaços de vidro eram refletidos nos espelhos, criando desenhos simétricos deslumbrantes.

Fonte: DHGate.com

Já o caleidoscópio usado nos dias de hoje, é constituído por um tubo de cartão, onde o fundo é repleto de pedaços de vidro coloridos, e os tradicionais espelhos posicionados em formato de prisma. E funciona da mesma forma que o primeiro dispositivo inventando, ao girar o tubo, é possível observar diversos arranjos simétricos coloridos.

Contudo, o que muda é a disposição dos espelhos e quantidade de desenhos. Assim, quando colocados em 45°, cada um dos espelhos originam 8 imagens duplicadas; em 60° resulta em seis imagens, e a 90° quatro imagens.

Continue lendo após a publicidade

Atualmente também existem versões digitais desse instrumento, onde através de programas de computadores é possível formar figuras parecidas as obtidas no caleidoscópio tradicional.

Inicialmente, esse instrumento foi criado para servir a fins científicos, mas por muito tempo foi utilizado apenas como um brinquedo. Hoje em dia, o caleidoscópio é muito usado como parâmetro para padrões de desenhos geométricos.

Como fazer um caleidoscópio?

Então, como vimos, esse dispositivo oferece uma enorme variedade de possibilidades de imagens. E o mais legal é que você pode fazer o seu próprio caleidoscópio em casa e apreciar diversas imagens deslumbrantes. Para isso você irá precisar dos seguintes materiais:

  • Um tubo circular de papelão, plástico ou metal;
  • Papel para forrar o tubo, ou tinta (papel de presente, papel brilhante…);
  • 3 ou 4 retângulos para formar um prisma (cortar os retângulos do tamanho adequado de acordo com o diâmetro e comprimento do rolo escolhido);
  • Pedras coloridas (miçangas, paetês, vidrilhos, canutilhos, lantejoulas, acrílico ou vidro colorido);
  • Uma caixinha transparente maior do que o diâmetro do tubo para colocar as pedras coloridas escolhidas;
  • 1 folha de papel transparente para servir de retroprojetor;
  • Tampa de garrafa (pode ser de refrigerante, água, suco e etc).
Materiais necessários para montar um caleidoscópio em casa.
Fonte: Agencema

Agora, o passo a passo de como montar o seu caleidoscópio caseiro:

Continue lendo após a publicidade
  • Com as placas cortadas, monte o prisma, recomenda-se que não tenha espaço entre as placas, pois caso isso ocorra, os desenhos pode conter falhas;
  • Revista ou pinte o tubo, e decore do jeito que achar melhor;
  • Coloque o prisma dentro do tubo;
  • Recorte na folha do retroprojetor, um círculo do tamanho do diâmetro do tubo;
  • Recorte o fundo da tampinha escolhida;
  • Coloque o círculo recortado no tubo, e prenda-o com a tampinha cortada;
  • Do outro lado, grude a caixinha no tubo.

Feito isso, agora você já tem o seu próprio caleidoscópio e pode apreciar as diversas de imagens que o instrumento oferece.

Resultado final de como ficaria um caleidoscópio.
Fonte: Catalogo da China

Enfim, o que você achou dessa matéria? Aliás, aproveite para aprender também sobre as formas geométricas.

Fontes: Explicatorium, Estudo Prático, InfoEscola

Fonte Imagem Destaque: Verdade Seminua

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments