Conheça a história do comércio

Iniciado com uma simples troca de mercadorias, o comércio se aperfeiçoou com o tempo e atingiu uma influência de proporções inimagináveis.

Em suma, o comércio pode ser conceituado como a troca espontânea de produtos. Ao passo que essa transação econômica pode ser realizada entre duas ou mais pessoas, o comércio pode ser bilateral ou multilateral. No entanto, muito além de sua definição, é importante conhecer a história e o impacto comercial no mundo.

Pois bem, muitas guerras já foram travadas pela conquista de importantes rotas comerciais. Por exemplo, entre 264 e 146 a.C., Roma e Cartago protagonizaram as Guerras Púnicas, uma disputa pela preponderância econômica e política do Mar Mediterrâneo.

Além disso, foi por conta dessas rotas que iniciaram-se as Grandes Navegações, responsáveis por culminar na colonização da América e do resto do mundo. Sendo assim, embora pareça estritamente monetário, vale lembrar que o dinheiro move o mundo. Logo, o comércio e a economia motivam e impulsionam guerras.

Desde o Bloqueio Continental imposto por Napoleão aos ingleses, até a divisão do mundo em dois blocos econômicos durante a Guerra Fria, o comércio sempre esteve ligado às mudanças que marcaram a história da humanidade. Pois bem, sendo assim, é válido saber como a influência da comercialização começou, onde chegou e o que pode alcançar.

Contexto Histórico

Assim como mencionamos acima, o comércio faz parte da história da humanidade. Só para ilustrar, desde o tempo das cavernas, o homem primitivo barganhava suas caças. Em seguida, quando a agricultura foi criada, animais foram domesticados e o nomadismo deixou de ser uma necessidade, estabeleceu-se a base de uma sociedade.

Junto com as primeiras civilizações, o comércio floresceu. Embora na Idade dos Metais tenham surgido as primeiras moedas, o dinheiro em si só começou a ser utilizado com a ascensão da burguesia no fim da Idade Média. Dessa forma, ao longo dos anos foram aperfeiçoando a arte da troca de mercadorias.

Na crescente fértil era intensa a negociação comercial, tanto que foi preciso criar um método de registro. Assim, a escrita cuneiforme surgiu como uma forma de auxiliar as transações comerciais e a matemática também avançou a partir do momento que fez-se necessário o cálculo.

Comércio: conceito, onde surgiu, como se desenvolveu e atualidades
Fonte: Cultura Mix

Já no século XI, as feiras medievais impulsionaram o comércio europeu. Ao passo que reuniam mercadores de todas as partes do mundo, esses eventos incentivaram o uso de moedas e até mesmo a criação do empréstimo à juros. Em seguida, esse acumulo de capital possibilitou o surgimento da classe burguesa, que patrocinou as Grandes Navegações.

A partir desse momento, os navegadores estabeleceram rotas comerciais para outros lugares do mundo. Além de comprar especiarias, perfumes raros e joias fabulosas na Ásia, eles também comercializavam matéria-prima das colônias americanas.

Aliás, buscando aumentar os lucros comerciais com a exploração das colônias, aprimorar seu processo produtivo e ultrapassar os países concorrentes, as nações europeias organizaram também as Companhias de Comércio.

O aperfeiçoamento do comércio

A partir do momento em que a população europeia cresceu demais para se restringir aos feudos, a Idade Média foi abalada. Afinal, a falta de espaço nas vilas interioranas resultou em um êxodo rural. Dessa forma, as pessoas migraram em massa para as cidades, que eram chamadas de burgos.

Ali haviam pequenos mercados, onde comerciantes expunham e trocavam produtos. Com o passar do tempo, esses barganhadores prosperaram, enriqueceram, surgindo aí a burguesia e avançando rumo à Idade Moderna. Curiosamente, de forma paralela ao renascimento cultural, houve o renascimento comercial.

Fonte: YouTube

Essa mesma burguesia financiou não só a expansão comercial marítima, como também a Revolução Industrial inglesa. Sendo assim, no século XVIII, o mercado se abriu para novos produtores e consumidores, pois nasceu a indústria. Isso significa que a manufatura deu lugar à produção em larga escala.

Em suma, precisou-se vender as mercadorias produzidas em série e, para isso, criaram um novo sistema de comercialização. Aliás, essa fome inglesa por mais consumidores mudou a história, visto que incentivou até mesmo a abolição da escravatura para aumentar o público consumidor.

As formas comerciais mais modernas

A base do comércio é a troca espontânea de mercadorias, do contrário haveria o confisco, ou um crime e por aí vai. Na troca direta, os comerciantes exaltam as qualidades dos próprios produtos e, após uma apresentação de propostas, chega-se a um consenso comum.

Essas trocas podem ser: bilaterais – mais simples – ou multilaterais – responsáveis por envolver várias pessoas – que inclusive podem ser internacionais. Enfim, para o comércio, o importante é fazer circular as mercadorias, fomentar o intercâmbio cultural e gerar riquezas.

Comércio: conceito, onde surgiu, como se desenvolveu e atualidades
Fonte: Hora do Povo

O contrário a isso era a Idade Média, onde ficava-se limitado por um feudo ou castelo e pouco praticava-se o comércio, já que quase tudo pertencia ao senhor feudal ou ao rei. Todavia, com o crescimento das cidades, um novo mundo de oportunidades surgiu.

A simples troca de mercadorias se chama escambo, forma comercial que dominou boa parte da história da humanidade. No século VII a.C., no entanto, surgiram as primeiras moedas, que eram rudimentares, mas que ajudaram na evolução do comércio.

O crescimento do uso das moedas

O Estado passou a cunhar moedas em grande quantidade e a supervisionar o comércio, diminuindo assim o escambo. Com o tempo, o dinheiro ganhou tanta importância que fomentou crimes, invasões e guerras. A partir desse momento, o comércio nunca mais foi o mesmo.

Fonte: Eurodicas

Os comerciantes então passaram a trocar indiretamente seus produtos, já que o dinheiro passou a integrar essa negociação. Às mercadorias deu-se um valor monetário, fato que regulou toda a sistemática do sistema comercial vigente.

A negociação de produtos tem que beneficiar os negociadores, já que, do contrário, um deles não participa do acordo. Embora uma das partes possa ser explorada em prejuízo de suas finanças, isso não compõe a livre negociação.

Uma mercadoria pode ter um custo de produção diferente, dependendo do local onde é cultivada, extraída ou fabricada. Daí vem a importância de estabelecer um preço fixo para os produtos, assim como pagá-lo com moedas.

O comércio nas relações internacionais

Quando o comércio aperfeiçoou-se e ganhou contornos internacionais, grandes mercadores decidiram negociar seus tesouros. Reunidos na casa de Van der Burse, em Bugres, na Bélgica, em 1487 decidiram comprar e vender moedas, metais preciosos etc. Nasceu ali a bolsa de valores. Só que apenas no século XIX começou o comércio de valores imobiliários, ou títulos financeiros.

Comércio: conceito, onde surgiu, como se desenvolveu e atualidades
Fonte: YouTube

Em 1º de janeiro de 1995, criaram a Organização Mundial do Comércio (OMC), com a finalidade assistir e orientar as práticas comerciais internacionais. A OMC ajuda na dissolução de muitas demandas envolvendo grandes potências. Acabou tornando-se uma corte arbitral a quem os países membros recorrem para redimir pendências.

O comércio como arma de guerra

Vale ressaltar também as uso dos embargos econômicos, comerciais e financeiros como arma de guerra. Os Estados Unidos, por exemplo, já utilizaram isso contra Cuba, Irã, Coreia do Norte e, mais recentemente, Venezuela. Infelizmente, quando afetam a economia do país, quem primeiro padece é a população mais carente.

Fonte: Slideplayer

Merece menção também a união de países em blocos econômicos, como o Mercosul e a União Europeia. A queda de fronteiras alfandegárias tem o intuito de fortalecer a união entre países membros, já que o mundo está cada vez mais globalizado.

E então, o que achou dessa matéria? Se você gostou desse artigo, vai gostar também de ler sobre o Mercosul, o que é, como funciona e o que significa para a economia?

Fontes: Brasil Escola, Estudo Prático, Brasil Escola, Hora da Escola, Conceitos, Trabalhos Feitos, Mega Curioso, GSPP, InfoEscola, História do Mundo.

Bibliografia:

  • ESCOLA, Equipe Brasil. “Comércio”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/economia/comercio.htm. Acesso em 29 de maio de 2019.
  • SOUSA, Rainer Gonçalves. “História do Comércio”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historia/historia-do-comercio.htm. Acesso em 29 de maio de 2019.
  • The Industry Handbook: The Retailing Industry. Disponível em: <http://www.investopedia.com/features/industryhandbook/retail.asp#axzz1X0SplUfT>. Acesso em 29 de maio de 2019.

Imagem destacada: Sebrae

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.