Cora Coralina: biografia, obras, prêmios e poemas

Cora Coralina foi uma poetisa e contista brasileira. O tema mais explorado em suas obras, foi o cotidiano. No entanto, ela também escreveu contos e histórias infantis.

Cora Coralina foi uma poetisa e contista brasileira. O tema mais explorado em suas obras, foi o cotidiano. No entanto, ela também escreveu contos e histórias infantis.

Além disso, a poetisa é considerada como uma das mais importantes escritoras do Brasil.

Apesar de escrever durante boa parte da sua vida, Cora Coralina só conseguiu publicar seu primeiro livro quando tinha 76 anos de idade.

Contudo, ela se tornou uma das vozes femininas mais relevantes da literatura nacional.

Juventude e casamento

Ana Lins dos Guimarães Peixoto, mais conhecida como Cora Coralina, nasceu no dia 20 de agosto de 1889, na Cidade de Goiás, no Estado de Goiás.

Tendo como mãe Jacinta Luísa do Couto Brandão e como pai Francisco de Paula Lins dos Guimarães Peixoto, desembargador, nomeado por Dom Pedro II.

Sendo que quando Cora tinha apenas um mês de vida, o seu pai morreu. Em relação aos estudos, Cora estudou apenas até a terceira série do curso primário.

Em 1900, ela se mudou com sua família para a cidade de Mossâmedes. Na adolescência, Cora começou a escrever e a participar de ciclos literários.

Além disso, nessa época ela se uniu às suas amigas Leodegária de Jesus, Rosa Godinho e Alice Santana e criou o jornal de poemas femininos “A Rosa”.

Desse modo, foi a partir daí que a poetisa passou a usar o pseudônimo Cora Coralina. No entanto, foi só com 76 anos de idade que ela conseguiu publicar o seu primeiro livro: “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais”.

Sendo assim, apesar de escrever durante quase toda a sua vida, Cora não obteve reconhecimento como escritora. Ao invés disso, ela trabalhou como doceira.

Por fim, Cora Coralina se casou em 1910 com o advogado Cantídio Tolentino de Figueiredo Bretas, com quem teve seis filhos. Posteriormente, em 1934 Cora se torna viúva.

Carreira literária

Em síntese, durante o período em que morou em Andradina, depois da morte do marido, Cora passou a escrever para o jornal da cidade. Além disso, ela foi candidata a vereadora em 1951.

Cora Coralina retornou à Cidade de Goiás em 1956. Já em 1970, ela tomou posse da cadeira número 5 da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás.

Posteriormente, em 1981, Cora recebeu o Troféu Jaburu através do Conselho Estadual de Cultura de Goiás.

No ano de 1982, ela recebeu o Prêmio de Poesia em São Paulo. Além disso, ela foi agraciada com o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade de Goiás.

No ano de 1984, ela recebeu o Troféu Juca Pato, sendo a primeira escritora do país a receber esse troféu. No mesmo ano ela ingressou na Academia Goiana de Letras, ocupando a cadeira número 38.

Por fim, em 1985, aos 95 anos de idade, Cora Coralina faleceu em Goiânia, vítima de pneumonia.

Obras de Cora Coralina

Em resumo, as obras de Cora Coralina falam, sobretudo, sobre o cotidiano. Além disso, ela também escreveu contos e literatura infantil. Enfim, algumas das principais obras de Cora Coralina são:

  • Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais (1965)

  • Meu Livro de Cordel (1976)

  • Vintém de Cobre – Meias confissões de Aninha (1983)

  • Estórias da Casa Velha da Ponte (1985)

  • Meninos Verdes (1986)

  • Tesouro da Casa Velha (1996)

  • A Moeda de Ouro que o Pato Engoliu (1999)

  • Vila Boa de Goiás (2001)

  • O Prato Azul-Pombinho (2002)

Poemas de Cora Coralina

Confira abaixo dois poemas de Cora Coralina:

Meu destino

Nas palmas de tuas mãos
leio as linhas da minha vida.
Linhas cruzadas, sinuosas,
interferindo no teu destino.
Não te procurei, não me procurastes –
íamos sozinhos por estradas diferentes.
Indiferentes, cruzamos
Passavas com o fardo da vida…
Corri ao teu encontro.
Sorri. Falamos.
Esse dia foi marcado
com a pedra branca
da cabeça de um peixe.
E, desde então, caminhamos
juntos pela vida…

Considerações de Aninha

Melhor do que a criatura,
fez o criador a criação.
A criatura é limitada.
O tempo, o espaço,
normas e costumes.
Erros e acertos.
A criação é ilimitada.
Excede o tempo e o meio.
Projeta-se no Cosmos.

Frases de Cora Coralina

Em resumo, algumas frases marcantes da poetisa são:

  • Recria tua vida, sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.”

  • Estamos todos matriculados na escola da vida, onde o mestre é o tempo.”

  • O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.”

  • Fiz a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores.”

  • Nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.”

  • Por fim, “O saber se aprende com os mestres. A sabedoria, só com o corriqueiro da vida.”

Prêmios

Por fim, por sua obra, Cora Coralina recebeu vários prêmios. Sendo assim, alguns deles foram:

  • Título de Doutora Honoris Causa da UFG (Universidade Federal de Goiás) em 1983.

  • Eleita intelectual do ano e contemplada com o Prêmio Juca Pato da União Brasileira dos Escritores, em 1983.

  • A principal obra de Cora Coralina, Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais, foi aclamada através de um seleto júri organizado pelo jornal O Popular, de Goiânia, uma das 20 obras mais importantes do século XX.

  • Por fim, recebeu a condecoração de Ordem do Mérito Cultural, em 2006.

LEIA MAIS

Clarice Lispector, quem foi? Biografia, influência e principais obras

Chica da Silva, quem foi? Origens, alforria e morte

Lima Barreto: biografia, obras, características, frases

Margareth Thatcher, quem foi? Biografia, política e posicionamento

Dandara dos Palmares, quem foi? História de vida e importância social

Dilma Rousseff, quem é? Biografia, carreira política e impeachment

Fontes: Toda matéria e E-biografia.

Bibliografia

  • Diana, Daniela. Cora Coralina. Toda matéria. Acesso em 21 de outubro de 2022.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.