Principal » História » Dadaísmo – O que é, história, fim e principais artistas

Dadaísmo – O que é, história, fim e principais artistas

O dadaísmo ou movimento dadá foi um movimento artístico da chamada vanguarda artística moderna iniciado em Zurique, em 1916.

Dadaísmo -

A princípio, o Dadaísmo foi um movimento europeu do século XX, que serviu de inspiração para o Surrealismo. O protesto é umas das suas características mais fortes, porque veio para quebrar a lógica tradicional artística. O mais curioso é o nome do movimento dessa vanguarda.

Antes de tudo, a palavra Dada é vinda de Dadaísmo e possui, portanto, vários significados, mas no fim, não tem significado algum. Sim, essa é a sensação trazida nesse período de modernização da arte no mundo, porque há muita revolta envolvida, o contexto histórico desse momento estava cheio de conflitos e transformações.

Nesse intuito, o estilo artístico não traz, contudo, um rompimento, propriamente dito, com outros movimentos, mas sim uma forma de expressão pura que não apoia, sobretudo, outros conceitos pré concebidos e estruturados. Portanto, partindo desse ponto de vista, a arte dadá chocou, e muito, a sociedade conservadora da época.

O dadaísmo

Dadaísmo -
Fonte: Guia do estudante

A princípio, o Dadaísmo veio no final de um dos piores conflitos da história da humanidade, a Primeira Guerra Mundial. A partir dessa desordem, o mundo estava completamente em desavença e, por consequência, surgiu o movimento artístico dadá, afirmando que “destruir também é criar”.

O movimento, no entanto, não veio pra criticar antigos modelos, ou, ainda por cima, defender os novos movimentos, porque ele se opõe a qualquer tipo de pensamento artístico pré-definido. Em outras palavras, o foco não é o rompimento em si, mas, sobretudo, a expressão máxima em estado puro.

O movimento foi, portanto, criado por jovens franceses e alemães que fugiram de seus países para Zurique, em 1916, porque estavam listados para o exército militar. A fuga, no entanto, não o salvaram da realidade do mundo. Ao se juntarem para discutir a situação do planeta formaram, contudo, um dos movimentos mais conhecidos do período.

Tendo como base o sentimento de repulsa e revolta dos fundadores, os poetas fundaram um grupo literário para escrever, sobretudo, suas decepções em relação as outras áreas de conhecimento. Contudo, estando frustrados com o não impedimento das guerras, e com a destruição da Europa, se lançaram para fundar o novo movimento.

O caráter de protesto, contudo, trouxe a tona para o Dadaísmo a negação evidente. Sobretudo, em relação a continuidade da guerra. Nada do que a revolta explosiva dentro do coração de um jovem, sobretudo em momentos tão delicados de muita sensibilidade para criar um movimento tão oportuno.

O que significa Dadaísmo?

A princípio, Hugo Ball, poeta, filósofo, romancista junto com Tzara Tristan, poeta romeno, judeu e francês encontram a palavra Dadaísmo ao folhear o dicionário. Vinda do francês, o termo significa, no entanto, “cavalo de madeira”, mas, ao contrário do que se pensa, o mesmo nome tem outros significados em outras idiomas.

Em alemão, esse termo, portanto, significa “não me chateies”, “faz favor”, “adeus”, “até a próxima” e, em contrapartida, no romeno, significa “certamente”, “claro”, “tem toda razão” e outro sinônimos. Se buscarmos alguma lógica, acredite, não encontraremos, porque os criadores afirmaram ter sido completamente aleatória a escolha.

Obras do Dadaísmo

Dadaísmo -

A princípio, as montagens fotográficas satirizadas, completamente nonsense e improvisadas, eram obras criadas no estilo. Nesse sentido, nas obras a seguir, é possível notar, sobretudo, o radicalismo impresso nesse período. É difícil, portanto, encontrar lógica, porque, seja como for, o objetivo é o caos e a desordem.

No entanto, agressividade está mais do que presente, já que a crítica social é o ponta pé para a inspiração dos jovens artistas. Todavia, a aversão a guerra, as classes altas burguesas, a rejeição aos sentimento nacionalista, e as outras coisas relacionadas a estruturada guerra, se tornou a raiva e a indignação artística.

Cabaret Voltaire

Dadaísmo -

Todavia, para realizar as loucuras Dadaístas os fundadores criaram um espaço batizado como Cabaret Voltaire. Com o intuito de acolher os artistas e promover protestos políticos, as pessoas participantes eram, normalmente, anarquistas. O espaço existe até hoje na Suíça e completou, em 2016, 100 anos de fundação.

Dadaísmo no Brasil

O Dadaísmo ganhou espaço no Brasil, porque os movimentos modernistas já estavam em andamento no país. Muitos dos que se aderiram ao movimento experimentaram a arte dadaísta.

Por fim, dois grandes nomes podem representar esse período no Brasil, entre eles: Manuel Bandeira e Mário de Andrade. Abaixo um poema que expressa muito bem a revolta e, sobretudo, a postura contra a burguesia da época. Mas, com certeza, não são os únicos contribuintes.

Ode ao Burguês

Eu insulto o burguês! O burguês-níquel,

o burguês-burguês!

A digestão bem feita de São Paulo!

O homem-curva! o homem-nádegas!

O homem que sendo francês, brasileiro, italiano,

é sempre um cauteloso pouco-a-pouco!

Eu insulto as aristocracias cautelosas!

Os barões lampeões! os condes Joões! os duques zurros!

que vivem dentro de muros sem pulos;

e gemem sangues de alguns milreis fracos

para dizerem que as filhas da senhora falam o francês

e tocam o “Printemps” com as unhas!

Eu insulto o burguês-funesto!

O indigesto feijão com toucinho, dono das tradições!

Fora os que algarismam os amanhãs!

Olha a vida dos nossos setembros!

Fará Sol? Choverá? Arlequinal!

Mas à chuva dos rosais

o êxtase fará sempre Sol!

Morte à gordura!

Morte às adiposidades cerebrais!

Morte ao burguês-mensal!

ao burguês-cinema! ao burguês-tílburi!

Padaria Suissa! Morte viva ao Adriano!

“– Ai, filha, que te darei pelos teus anos?

– Um colar… – Conto e quinhentos!!!

Mas nós morremos de fome!”

………………….

Come! Come-te a ti mesmo, oh! gelatina pasma!

Oh! purée de batatas morais!

Oh! cabelos nas ventas! oh! carecas!

Ódio aos temperamentos regulares!

Ódio aos relógios musculares! Morte e infâmia!

Ódio à soma! Ódio aos secos e molhados!

Ódio aos sem desfalecimentos nem arrependimentos,

sempiternamente as mesmices convencionais!

De mãos nas costas! Marco eu o compasso! Eia!

Dois a dois! Primeira posição! Marcha!

Todos para a Central do meu rancor inebriante!

Ódio e insulto! Ódio e raiva! Ódio e mais ódio!

Morte ao burguês de giôlhos

cheirando religião e que não crê em Deus!

Ódio vermelho! Ódio fecundo! Ódio cíclico!

Ódio fundamento, sem perdão!

Fora! Fú! Fora o bom burguês!…

Outros artistas dadás

Por fim, além da Literatura, outro campo artístico que surgiu com as características Dadaístas foi, sobretudo, as artes plásticas. No entanto, o pintor Flávio de Carvalho teve o privilégio de conhecer e conviver com os precursores do Dadaísmo e se tornou também um nome importante para o movimento no Brasil.

O fim do Dadaísmo

O fim do Dadá é datado em 1922, porque os próprios fundadores, ainda com o sentimento de frustração, vendo que não havia surtido efeito sobre a guerra, afirmaram, por fim, que como tudo o Dadaísmo foi inútil. Mas, em 1924, o Surrealismo surgiu com algumas características do movimento trazendo, portanto, uma luz no fim do túnel.

Por fim, antes de tudo, o sentimento de esperança e recomeço estava atrelado ao novo movimento, ao contrário do Dadá que, apesar de trazer protestos e revoltas, não tinha o foco na reconstrução do pensamento e do homem.

Leia também sobre o Futurismo – O que é, origem, referências e principais artistas

Fonte: História das artes, Brasil Escola, Toda matéria, Infoescola. Dododadaísmo, O Globo, Educa Mais Brasil, Mundo e Educação, Enciclopédia Itaú, Português.

Imagem de destaque: Toda matéria

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.