Biologia

Deuterostômios: O que são, fases embrionárias e tipos de animais

Os Deuterostômios são um grupo de animais ligados por diversos aspectos embrionários peculiares, como por exemplo, a forma de clivagem.

Continue lendo após a publicidade

Os chamados deuterostômios, são um grupo de animais bastante peculiares. Dentro desse grupo, estão presentes vários tipos de filos que compreendem diversos aspectos embrionários parecidos. Tais como a forma de clivagem, a forma de suas larvas, o desenvolvimento de celoma, e até as aberturas embrionárias que formam órgãos, como a boca e o ânus.

Essa nomenclatura, deuterostômios é derivado da palavra deuterostomia, que vem do grego, deuteros, que significa posterior, e stoma, que significa boca. Entre os filos que compõem esse grupo de animais, está o Echinodermata, que engloba a estrela-do-mar, o ouriço-do-mar e o pepino-do-mar, por exemplo.

No entanto, para entender exatamente o que são os deuterostômios, é preciso conhecer mais sobre o desenvolvimento embrionário desses seres. Portanto, vamos lá.

Desenvolvimento embrionário dos deuterostômios

Para entender esse processo, precisamos estar ciente da clivagem, que é a divisão inicial do zigoto, e das células resultantes disso, as chamadas blastômero. Sabendo disso, as mitoses dos blastômeros acontecem rapidamente, o que origina uma massa multicelular compacta, que chamamos de mórula. Em seguida, origina-se a blástula, e então ocorre a gastrulação e a organogênese.

Continue lendo após a publicidade

Só então, que os animais podem ser classificados entre protostômios ou deuterostômios. Portanto, vamos vamos entender melhor como acontece cada estágio embrionário desses seres.

Fase de mórula e fase de blástula

Quando ocorre de a quantidade de vitelo nos ovos ser pouca, a clivagem separa os ovos totalmente, o que resulta em uma clivagem completa. Desse modo, nos ovos que apresentam muito vitelo, a clivagem acontece apenas na região do núcleo, a chamada cicatrícula. Então, nesse caso a clivagem é considerada incompleta.

Sendo assim, após a mórula, as células se separam e formam uma cavidade interna repleta de líquido. E assim, esse conjunto de células formado, constituí a blástula.

Processo da mórula para a blástula.
Fonte: MoBio

Fase de gástrula

Já no processo de gastrulação, é quando ocorre o aumento das células e do volume total do embrião, originando a gástrula. Nessa fase, ocorrem outros dois processos importantes:

Continue lendo após a publicidade
  • Surge uma cavidade chamada arquênteron, ou intestino primitivo, que vai dar origem à cavidade digestória do animal. Essa cavidade se comunica com o exterior por meio de um orifício chamado blastóporo, esse que originará a boca e/ou ao ânus.
  • Logo depois do blastóporo, ocorre a formação dos folhetos embrionários, que darão origem aos tecidos do ser.
Folhetos embrionários que darão origem aos tecidos do indivíduo na fase de nêurula.
Fonte: Emaze

Sabendo disso, veremos como se da a formação tanto dos protostômios quanto dos deuterostômios:

  • Quando o blastóporo dá origem a boca ou a boca/ânus, os animais são chamados protostômios (proto= primeiro; stoma = orifício). São protostômios os platelmintos, nematódeos, anelídeos, moluscos e artrópodes.
  • Quando o blastóporo dá origem apenas ao ânus, sendo a boca uma nova formação, os animais são chamados de deuterostômios.

Fase de nêurula ou organogênese

Por fim, a fase de organogênese, que é caracteriza pela diferenciação dos órgãos ainda na fase embrionária que são formados na fase de gastrulação. Assim, a primeira fase da organogênese é a neurulação. Então, a partir disso, os folhetos embrionários continuam seu processo de diferenciação, onde se forma os tecidos especializados do adulto:

  • O ectoderma diferencia-se o tubo neural, que apresenta no seu interior o canal neural.
  • O endoderma dá origem ao tubo digestório.
  • O mesoderma dá origem aos somitos e à notocorda. Os somitos são blocos celulares dispostos lateralmente no dorso do embrião, e a notocorda é uma estrutura maciça localizada logo abaixo do tubo neural, que serve de eixo de sustentação para o embrião. Além disso, o mesoderma delimita também as cavidades denominadas celomas.
Os folhetos embrionários continuam a se diferenciar, originando os tecidos especializados do adulto.
Fonte: Cola da Web

Animais deuterostômios

Portanto, os animais que compõem o conjunto de deuterostômios, são formados por dois grupos: os cordados e os equinodermos.

Vejamos os filos que compreendem esses animais:

Continue lendo após a publicidade
  • Filo Chordata: que compreende os vertebrados, anfioxos e tunicados;
  • Filo Echinodermata: que compreende a estrela-do-mar, ouriço-do-mar e pepino-do-mar;
  • Filo Hemichordata: que compreende os balanoglossos e pteurobrnânquios;
  • Filo Xenoturbellida: que compreende duas espécies vermiformes do Mar Báltico.
Ouriço-do-mar, animal equinodermo compreendido na classificação de deuterostômios.
Fonte: Flickr

Enfim, agora que você já sabe o que são os deuterostômios, que tal conhecer também os cnidários?

Fontes: InfoEscola, Só Biologia, Estudo Prático

Fonte Imagem Destaque: GCN

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments