Principal » Língua Portuguesa » Função emotiva – O que é, características e exemplos

Função emotiva – O que é, características e exemplos

A função emotiva da linguagem pode ser encontrada em diferentes tipos e gêneros textuais. Nela, a mensagem está centrada no próprio emissor.

Função emotiva - funções da linguagem

A função emotiva faz parte das seis funções que compõem o processo de transmissão de uma mensagem. Também chamada de expressiva, a função da linguagem de hoje é usada para passar sentimentos e emoções do emissor para o receptor.

Como se trata de sentimentos, a predominância do subjetivo caracteriza a função. E, para alcançar o objetivo, é, sobretudo, usada em primeira pessoa. Ou seja, a opinião pessoal é passada através de um discurso mais emotivo, de forma que o emissor se encontra no centro da mensagem.

Características função emotiva

Função emotiva - funções da linguagem
Fonte: Apoio escola

Primeiramente, a comoção é o foco dessa mensagem, e a construção do texto é carregado de reticências, interjeições, exclamações. A primeira pessoa pode ser empregada no singular, ou no plural, desde que esteja em evidência o emissor da mensagem.

Por isso, o lugar mais usado é na poesia, porque é uma produção feita para transmitir sentimentos. Ou seja, trabalha muito com o imaginário.

Mas, não é só esse gênero que usa da função de linguagem emotiva. Outros tipos de textos são: cartas, depoimentos, entrevistas, memórias, autobiografias e a música.

Alguns exemplos

Poesia

Função emotiva - funções da linguagem
Fonte: Português para comunicação

Música

Como não se emocionar com uma obra prima cantada e interpretada por Tom Jobim e Elis Regina, por exemplo?! Na música abaixo, aliás, é possível notar como sua letra traz uma sensação de morbidez e de tristeza. Se quiser, então, sentir melhor, é só dar uma procurada no youtube para ver o quanto a figura de linguagem está presente na canção.

Em seguida, você confere a letra de Inútil Paisagem:

Mas pra que

Pra que tanto céu

Pra que tanto mar

Pra que

De que serve esta onda que quebra

E o vento da tarde

De que serve a tarde

Inútil paisagem

Pode ser

Que não venhas mais

Que não voltes nunca mais

De que servem as flores que nascem

Pelo caminho

Se o meu caminho

Sozinho é nada

É nada

É nada

(Inútil Paisagem – Tom Jobim e Elis Regina)

Carta

Em suma, como exemplificado acima, as cartas escritas no diário de Annelies Marie Frank fazem parte da função emotiva. Porque relatam memórias e experiências pessoais vividas durante o Holocausto. É impossível, portanto, não se comover com sua história nesse período.

Abaixo, veja um trecho de um dos seus escritos publicado no livro Diário de Anne Frank:

“Eu passo cada minuto do meu tempo livre no rinque de patinação. (…) Às terças e sextas eu também tenho lição de casa e, para patinar, só me sobram os sábados e os domingos. Às segundas, quartas e quintas tenho francês e chego a casa só quase às seis.”

(Carta de 13 de janeiro de 1941 a Alice Frank e a família Elias na Basileia)

Entrevista

Assim como os outros gêneros acima, a entrevista se encaixa na função, porque traz a opinião própria a respeito de assuntos definidos em pauta. O “eu”, portanto, é muito perceptível no decorrer do período a seguir. Por isso, está também em nossa lista de exemplos.

Evailza Pantoja: O que é ser um colunista social pra você?

Naldo Rodrigues: Ser colunista social para mim é algo que causa muito prazer e alegria. Mas eu sei da responsabilidade que essa função me traz.

E. P: Quando você decidiu seguir a carreira de colunista social?

N. R: Aconteceu por acaso, sem planejamento, comecei no ano de 2000, no Informativo Circuito Jovem, direcionado a classe estudantil.

E. P: Como é sua rotina de colunista?

N. R: A minha rotina de colunista social varia muito. Tem semanas que quase não tenho eventos para comparecer, já em outras fico com a agenda lotada.

(Entrevista dada por Naldo Rodrigues ao blog Jornalistando)

A função poética

Função emotiva - funções da linguagem
Fonte: Brainly

Primeiramente, a função poética utiliza-se, e muito, da função emotiva, porque se preocupa muito mais com a estrutura. Além disso, visa a estética da mensagem. Ou seja, é uma linguagem encontrada em obras literárias e possui liberdade na construção dos textos.

Por fim, para não confundir a linguagem expressiva com a poética, basta imaginar que a os estudos de hoje são focados no emissor da mensagem, com o “eu” como foco, no centro do texto. Enquanto isso, a poesia se preocupa com a mensagem em si.

Por fim, leia nossa matéria sobre o que é ambiguidade – Conceito, tipos, exemplos

Fonte: Toda matéria, Português, Dom Total, Jornalistando, O Globo, Norma Culta, Educa Mais BrasilStoodi.

Imagem de destaque: AICTV

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.