Hieróglifos, o que são? História, definição, tipos e principais funções

Hieróglifo é como foram chamados cada um dos caracteres usados como escrita no Egito Antigo. As escritas também se denominam “hieróglifos”.

Os hieróglifos referem-se aos caracteres utilizados pelos egípcios no Egito Antigo. Assim, era uma forma de escrita desenvolvida e executada apenas por sacerdotes, membros da realeza e escribas. Ou seja, apenas pessoas com certo tipo de poder na hierarquia podiam fazer uso do hierógrafo.

Sendo assim, o hierógrafo é considerada uma das formas mais antigas de escrita. Isso porque, foi desenvolvida ainda no Egito Antigo e era utilizada, principalmente, para marcações em túmulos e templos. Nesse sentido, os egípcios usaram esse método de escrita, mais ou menos, no ano 3500. Assim, desenvolveram a forma de escrita da língua egípcia. Além disso, um dos primeiros textos escrito utilizando a técnica hieroglífica foi a Pedra de Roseta.

Todavia, a escrita hieroglífica possuía aproximadamente 6900 sinais. Dessa forma, os sinais utilizados anteriormente seriam o que hoje usamos como o alfabeto. Entretanto, uma das causas que fizeram esse tipo de escrita entrar em desuso foi justamente a quantidade de caracteres que possuía. Afinal, ficava quase impossível decifrar tantos códigos de escrita.

Evolução dos hieróglifos

Uma junção de duas palavras gregas: hierós, que significa “sagrado” e glýphein, que quer dizer “escrita”, hieróglifo significa escrita sagrada. Embora fosse enigmática e de difícil compreensão, a escrita hieroglífica passou por uma evolução, tornando-se mais simples e didática. Nesse sentido, dividiu-se de duas maneiras, sendo elas:

  • Hierático: as mesmas bases dos hieróglifos, só que se podiam escrever (pintar) em papiros ou até mesmo em placas de barros.
  • Demótico: nessa evolução os hieróglifos se tornaram mais cursivos e começaram a ficar mais bonitos. Isso foi possível com a adaptação de sinais gregos aos hieróglifos.
Hieróglifos, o que são? História, definição, tipos e principais funções
O Hieróglifo, constituem o sistema de escrita mais antigo do mundo. Fonte: descobrir egipto

A escrita hieroglífica só pôde ser entendida a partir do primeiro texto decodificado, a Pedra de Roseta. Em 1822, um especialista francês chamado Jean-François Champollion estudou a escrita feita no bloco de granito que foi descoberto por Napoleão Bonaparte ao invadir o Egito em 1799.

Entretanto, a escrita foi desaparecendo quando começou a se misturar com a escrita desenvolvida pelos egípcios. Assim, a forma de escrita e a língua sofreram mudanças visíveis. Logo, pelos registros históricos, as últimas pessoas a utilizarem esse tipo de escrita foram sacerdotes egípcios da era cristã.

Atualmente, considera-se a escrita hieroglífica morta. Porém, ainda é possível encontrar vestígios dessa forma de escrita em alguns artesanatos.

Outras definições

Hieróglifos, o que são? História, definição, tipos e principais funções
Quando os gregos e os Romanos chegaram ao Egito, os escribas e sacerdotes do país lidavam, de modo inteligente, com a escrita hieroglífica. Fonte: descobrir egipto

A escrita hieroglífica era, ainda, dividida pelos egípcios de três formas que buscavam classificar sua utilização. Dessa forma, acreditavam que os hieróglifos dividiam-se em:

  • Escrita pictográfica – tinha o intuito de produzir caracteres que formam imagens de objetos, pessoas, animais etc;
  • Ideogramas – os símbolos pictográficos passam a ideia que deve ser traduzida de acordo com o contexto dos outros símbolos a ele associados;
  • Fonograma – cada hieróglifo também tem a ele associado um som diferente.

Curiosidades sobre os hieróglifos

Embora seja comumente associada aos egípcios, a escrita hieroglífica transcendeu civilizações. Por exemplo, outros povos, como os maias e astecas, utilizaram sistemas de escrita semelhantes a esse.

A Pedra Roseta apresentava três tipos de escrita: hieroglífica, demótica e grega. Dessa forma, visto que sabia grego, Champollion conseguiu decifrar o que significavam os hieróglifos escritos ali. Desde então, o tradutor passou a ser considerado o “pai da egiptologia”.

Além de ser chamada de “escrita sagrada”, os egípcios também conheciam os hieróglifos como medju-netjer, que significa “palavras dos deuses”. Ademais, segundo a mitologia egípcia, a deusa Seshat foi a responsável por criar os hieróglifos e o deus da sabedoria Thoth foi quem ensinou essa mesma linguagem aos egípcios.

E então, o que achou da matéria? Muito interessante descobrir as origens das palavras e como elas se formavam, não é? Então, aproveita e corre pra ler esse outro texto sobre os povos Sumérios.

Fontes: Info Escola, Brasil Escola, Brittanica, Significados.

Bibliografia:

  • FERNANDES, Cláudio. “Hieróglifos egípcios”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/hieroglifos-egipcios.htm. Acesso em 9 de dezembro de 2019.
  • FONTOURA JR., Antonio. Hieróglifos Egípcios: um Curso de Introdução à Leitura e Decifração de Textos do Antigo Egito. Curitiba: PatolaLivros, 2010
  • PARKINSON, Richard. O Guia dos Hieróglifos Egípcios. Editora Madras.
  • Hieróglifo. In Britannica Escola. Web, 2021. Disponível em:
    <https://escola.britannica.com.br/artigo/hieróglifo/481495>. Acesso em: 13 de julho de 2021.
  • OLIVEIRA, Francis Lousada Rubiini de. A Escrita Sagrada do Egito Antigo. Dicionário Hieróglifo-Português. Ed. autor, 2008.

Imagem destacada: Aventuras na História

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.