Principal » História » Povos pré-colombianos – Diferenças, semelhanças e colonização

Povos pré-colombianos – Diferenças, semelhanças e colonização

Povos pré-colombianos é a denominação dada aos astecas, maias e incas, civilizações que habitaram a América antes da chegada de Colombo.

Povos pré-colombianos - Diferenças, semelhanças e colonização

Durante as grandes navegações, a descoberta das Américas foi seguida por sua colonização. Como resultado disso, diversos reinos europeus migraram para o “Novo Mundo” com o intuito de explorá-lo. Assim, portugueses e espanhóis dizimaram os nativos da América Latina, provocando um apagamento dos povos pré-colombianos.

Pré-colombianos é a denominação recebida pelos indígenas que viviam na América antes da chegada de Cristóvão Colombo. Aliás, para os nativos do Brasil usa-se o termo “pre-cabralino”. Embora as colonizações espanhola e portuguesa tenham sido um marcante processo, já existiam muitas histórias nas Américas antes de sua chegada.

Entre a vastidão cultural dos povos pré-colombianos, três civilizações se destacam: astecas, maias e incas. Contrariando os pré-conceitos europeus, que os caracterizavam como selvagens, bárbaros ou bestiais, esses povos apresentavam uma estrutura organizacional urbana muito complexa e, talvez, superior às metrópoles da Europa.

Só para ilustrar, muitas dessas sociedades já haviam desenvolvido sua própria escrita, instituições políticas, sistemas matemáticos e marcadores precisos de tempo. No entanto, grande parte desse conhecimento foi perdido através de um violento apagamento histórico e cultural.

Estima-se que a colonização espanhola tenha resultado na morte de mais de 30 milhões de nativos. Logo, esse processo é considerado um dos maiores genocídios já registrados. Hoje, através das escassas informações relacionadas aos povos pré-colombianos, fica notável a inestimável perda da humanidade.

Povos pré-colombianos

Apesar de muito singulares, os povos pré-colombianos partilhavam algumas características, principalmente em relação a sua organização urbana

Assim como mencionado acima, apesar de haverem outros povos pré-colombianos, os mais notáveis são os astecas, maias e incas. De acordo com os registros encontrados, esses povos não eram nômades, tendo se fixado em centros urbanos constituídos por templos, palácios, mercados e casas.

Apesar de contarem com suas respectivas especificidades, essas sociedades partilhavam algumas características. Por exemplo, as mesmas eram marcadas por uma hierarquia social onde o imperador se encontrava no topo, sendo seguido por sacerdotes, chefes militares, guerreiros e camponeses que cultivavam a terra.

Ademais, a base econômica desses povos era a agricultura, principalmente no caso de milho, batata, abóbora e afins. A prática de artesanato também era um fator comum, bem como a preocupação com a vestimenta. Porém, uma característica que chama bastante atenção nos povos pré-colombianos é o politeísmo e seus sacrifícios.

Pois bem, dito isso, também é preciso direcionar o olhar para as singularidades desses povos.

Maias

Povos pré-colombianos - Diferenças, semelhanças e colonização
As ruínas maias hoje servem como ponto turístico

Na América Central, povos como olmecas, toltecas, astecas e maias formaram sociedades distintas. Estes últimos, por sua vez, utilizaram um sistema de servidão coletiva para estabelecer um complexo autônomo de cidades-estados. Como resultado dessa organização, a civilização maia chegou a acumular mais de dois milhões de habitantes.

Em termos geográficos, os maias habitavam a região onde atualmente é o sul do México, Guatemala, Belize e Honduras. Além de serem exímios agricultores de milho, algodão e tabaco, eles desenvolveram um sofisticado sistema numérico e eram excelentes astrônomos. Assim eles criaram calendários bastante precisos.

De acordo com registros, os maias desapareceram antes da chegada dos espanhóis. Portanto, eles não chegaram a ser colonizados. De acordo com historiadores, o motivo da decadência maia está associado à falta de recursos para manter a super pulação, além de desastres naturais, doenças e guerras.

Astecas

Os astecas são considerados um dos mais notáveis povos pré-colombianos

A mais popular civilização ameríndia, os astecas formaram um império que se estendeu do sul da Guatemala até a porção oeste do México. Enquanto os maias contavam com o sistema de servidão coletiva, os astecas possuíam aldeias integradas por diversas famílias que utilizavam as terras férteis de forma coletiva.

Todavia, a sociedade asteca se expandiu, submetendo demais povos. Assim, as populações vizinhas e as aldeias eram obrigadas a pagar impostos para o Estado, cuja capital era Tenochtitlán. Curiosamente, essa cidade era uma referência urbana entre os povos pré-colombianos e impressionou os colonizadores por sua infraestrutura e asseio.

Na agricultura, os astecas cultivavam amendoim, milho, tomate, feijão, abóbora, pimenta, melão, abacate e cacau – com o qual faziam chocolate. Ademais, esse povo aproveitava as guerras para capturar bravos guerreiros e oferecê-los como sacrifícios aos deuses.

Incas

Povos pré-colombianos - Diferenças, semelhanças e colonização
Além de grandes agricultores, os incas domesticaram lhamas

Visto que a parte central da América era habitada por diversos povos, incluindo astecas e maias, os incas se estabeleceram na Cordilheira dos Andes. Inicialmente esse território serviu como palco para civilizações como chimu, tiahuanaco e huari. Quinhentos anos mais tarde, a união desses povos resultou no grande Império Inca.

Administrado na cidade de Cuzco, esse império tinha um caráter expansionista. Então, antecedendo a chegada dos espanhóis, os incas se estenderam por regiões que iam do Equador até o Chile. Assim, com o passar do tempo, esse império já acumulava cerca de seis milhões de pessoas.

Assim como astecas, os incas submeteram outros povos e cobravam impostos dos mesmo, chegando a estabelecer uma rede de contribuições de trabalho. Ademais, eles tinham seu sistema de cobrança, plantavam milho, batata e coca e domesticaram animais como a lhama, da qual obtinham leite, carne e transporte.

A colonização dos povos pré-colombianos

Apesar de superarem os espanhóis em número, os povos pré-colombianos acabaram sendo subjugados por dois fatores: armas de fogo e doenças

O processo de colonização nasce do desejo de suprimir uma cultura já existente em busca de implantar um novo sistema de acordo com os objetivos e valores dos colonizadores. Na América espanhola esse processo recebeu o nome de hispanização.

Embora os povos pré-colombianos superassem os colonizadores em números, eles acabaram sendo superados. Dois fatores que possibilitaram o sucesso da investida espanhola foram seu poder bélico e as doenças trazidas por eles. Enquanto os europeus lutavam com armas e montavam cavalos, os nativos não tinham como se defender.

Além disso, os colonizadores trouxeram consigo epidemias de gripe, varíola e sífilis. Visto que os nativos nunca tinham tido contato com doenças parecidas, eles não tinham um sistema imunológico preparado para lidar com as mesmas. Assim, sem defesas físicas e fisiológicas, milhares de ameríndios morreram em poucos dias.

Por fim, outra estratégia utilizada pelos espanhóis foi instigar a rivalidade entre tribos locais. Ao passo que os próprios nativos passaram a se dizimar, aqueles que sobreviveram foram explorados pelos colonizadores.

E então, o que achou da matéria? Se gostou, confira também: Colonização Espanhola – História, dominação e consequências.

Fontes: Toda Matéria, Brasil Escola, Mundo Educação, História do Mundo.

Imagens: Revista Planeta, Cola da Web, Revista Galileu, Infoescola, Blog da Arquitetura, Revista Galileu.

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.