Principal » Língua Portuguesa » Pronome – O que é, função, tipos de pronome e erros comuns

Pronome – O que é, função, tipos de pronome e erros comuns

Você os usa constantemente em suas falas e textos, mas vocês sabe exatamente o que é um pronome e quais os tipos? Aprenda tudo sobre os pronomes.

Pronome – O que é, função, tipos de pronome e erros comuns

Dentro da gramática da língua portuguesa existem dez classes de palavras, uma delas é o pronome. Em suma, elas são um conjunto de palavras que acompanham os substantivos. Sobre estes, aliás, já falamos em outra matéria. Contudo, o tema hoje são os pronomes: palavras que podem substituir, modificar ou se referir aos substantivos em uma sentença.

Sendo assim, essa classe gramatical é dividida em vários tipos, sendo eles:

  • Pronomes Pessoais
  • Pronomes Possessivos
  • Pronomes Demonstrativos
  • Pronomes de Tratamento
  • Pronomes Interrogativos
  • Pronomes Relativos
  • Pronomes Indefinidos

Portanto, vamos aprender tudo sobre eles, o que são, e principalmente como e quando usá-los. Vamos lá.

O que são pronomes?

Então, como já adiantamos, os pronomes são palavras usadas para substituir o nome, referir-se a ele ou até os acompanhando. Ele também pode atribuir qualificação à alguém ou algo.

E isso fica especificado pelo próprio termo. Porque “pro”, significa “em função de”. Sendo assim, podemos entender a palavra “pronome” como sinônimo de algo que está “em função do nome”.

Portanto, vejamos alguns exemplos para deixar isso ainda mais claro:

  • Pronome substituindo um nome: A mulher era muito bonita. Ela morava nos meus sonhos!
  • Pronome dando referência ao nome: A mulher que morava nos meus sonhos era muito bonita!
  • Pronome qualificando um nome: Essa mulher morava nos meus sonhos!
Fonte: Português

Funções gramaticais dos pronomes

Contudo, a maioria dos pronomes não têm significado fixo. Ou seja, essas palavras só adquirem significação dentro de um contexto, que é variável. Assim, permite dar referência exata àquilo que está sendo colocado por meio dos pronomes dentro da comunicação.

Porém, isso não acontece com os pronomes interrogativos e indefinidos.

Desse modo, o restante dos pronomes tem como função primordial se referir às pessoas do discurso ou se relacionar com elas, indicando a sua situação no tempo ou espaço dentro do contexto apresentado. Ou seja, os pronomes se apresentam em uma forma específica para cada sujeito do discurso.

Como nesse exemplo:

“Marta é minha irmã. Ela dança muito bem.”

No exemplo apresentado, os pronomes que atuam como substituto do substantivo (ela). Ou seja, neste caso, é conhecido como pronome substantivo. Já o pronome que acompanha a classe “minha”, a qualifica ou a específica; portanto, é um pronome possessivo.

Contudo, existem muitas outras determinações que caracterizam os tipos de pronomes existentes da língua portuguesa. Por isso, vamos conhecer cada um deles.

Tipos de pronome

Pronomes Pessoais

Os pronomes pessoais são aqueles que se referem às três pessoas do discurso (eu, tu, ele, nós, vós, eles). Sendo assim:

  • O locutor (ou quem fala): 1ª pessoa, que seria “eu” (singular) ou “nós” (plural);
  • O interlocutor (com quem se fala): 2ª pessoa, que seria “tu/você” (singular) ou “vós/vocês” (plural);
  • O assunto (de quem ou do que se fala): 3ª pessoa, que seria “ela/ele” (singular) ou “elas/eles” (plural).

Assim, os pronomes pessoais são classificados ainda em dois tipos:

  • Pronomes Pessoais do Caso Reto: exercem a função de sujeito, por exemplo: Eu gosto muito de pamonha.
  • Pronomes Pessoais do Caso Oblíquo: substituem os substantivos e complementam os verbos, por exemplo: Está comigo seu lápis.

Em suma, para todo pronome reto, há um correspondente no caso oblíquo. Confira:

  • Eu → mim, me, comigo;
  • Tu → te, ti, contigo;
  • Ele → se, o, a, lhe, si, consigo;
  • Nós → nos, conosco;
  • Vós → vos, convosco;
  • Eles → si, os, as, lhes, se, consigo.
Fonte: Bem Explicado

Pronomes Possessivos

Os pronomes possessivos, afinal, são aqueles usados para indicar posse. Assim, são usados para falar de alguma coisa que você ou outros possuem. Desse modo, pode ser um objeto, um sentimento, uma relação, um espaço entre outros.

Veja a relação de cada pessoa do discurso de acordo com os pronomes possessivos:

  • Eu → meu, minha, meus, minhas.
  • Tu → teu, tua, teus, tuas.
  • Ele → seu, seus sua, suas.
  • Nós → nosso, nossos, nossa, nossas.
  • Vós → vossa, vosso, vossos, vossas.
  • Eles → seu, sua, seus, suas.

Pronomes Demonstrativos

Como o próprio nome sugere, os pronomes demonstrativos são usados para demonstrar ou indicar algo. Contudo, é importante notar que os pronomes demonstrativos são usados de acordo com a posição da pessoa diante de algum elemento, seja ele no discurso, no tempo ou no espaço.

Desse modo, quando o tema do assunto está localizado próximo ao locutor ou interlocutor, os pronomes demonstrativos cabíveis podem ser:

  • 1ª pessoa → isto, este, esta, estes, estas.
  • 2ª pessoa → isso, esse, essa, esses, essas.

No entanto, no caso do assunto ou objeto estar distante do locutor ou interlocutor, pode-se usar os seguintes pronomes:

  • 3ª pessoa → aquilo, aquele, aquela, aqueles, aquelas.

Pronomes de Tratamento

Já os pronomes de tratamento são termos empregados normalmente em situações formais, devido ao seu tom respeitoso.  Portanto tempos:

  • Você: pronome de tratamento utilizado em situações informais;
  • Senhor e Senhora: tratamento formal e respeitoso usado para pessoas mais velhas;
  • Vossa Excelência: usados para pessoas com alta autoridade, como por exemplo: Presidente da República, Senadores, Deputados, Embaixadores;
  • Vossa Magnificência: usados para os reitores das Universidades;
  • Vossa Senhoria: empregado nas correspondências e textos escritos;
  • Vossa Majestade: utilizado para Reis e Rainhas;
  • Vossa Alteza: utilizado para príncipes, princesas, duques;
  • Vossa Santidade: utilizado para o Papa;
  • Vossa Eminência: usado para Cardeais;
  • Vossa Reverendíssima: utilizado para sacerdotes e religiosos em geral.
Fonte: ProEnem

Pronomes Interrogativos

Os pronomes interrogativos, afinal, são palavras variáveis e invariáveis, usadas para formular perguntas diretas e indiretas. Sendo assim, temos:

  • Variáveis: qual, quais, quanto, quantos, quanta, quantas;
  • Invariáveis: quem, que.

Exemplos:

  • Quanto custa a entrada?
  • Quais colares você vai levar?
  • Quem estava com Mariana na festa?

Pronomes Relativos

Os pronomes relativos, em síntese, são aqueles que se referem a um substantivo já dito anteriormente na oração. Ou seja, são termos específicos, usados para que o texto não fique tão repetitivo e mais direto.

Desse modo, eles retomam substantivos, fazendo sua substituição esporádica na oração seguinte. Eles são usados constantemente, em todos os textos que você lê e escreve.

São eles:

  • Variáveis: o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas;
  • Invariáveis: quem, que, onde.

Exemplos:

  • O remédio que preciso custa caro.
  • Esta é a menina de quem te falei.
  • A casa onde ela mora é muito pequena.
Fonte: Blog Flávia Rita

Pronomes Indefinidos

Os pronomes indefinidos, a propósito, são empregados na 3ª pessoa do discurso. E, como o próprio nome já sugerem, são palavras que substituem ou acompanham o substantivo de maneira indefinida, vaga, ou imprecisa. Ou seja, são usadas para se referir a algo ou alguém sem dizer de forma direta quem ou o que é.

Portanto, também podem ser variáveis e invariáveis:

  • Variáveis: algum, nenhum, todo, outro, muito, pouco, certo, vários, tanto, quanto, qualquer, demais;
  • Invariáveis: quem, alguém, ninguém, tudo, nada, outrem, algo, cada.

Exemplos:

  • Certas pessoas só dão valor depois da perda;
  • Algumas meninas veem defeito em tudo, menos nelas mesmas;
  • Tantos comentários ruins na Internet;
  • É cada pessoa querendo aparecer…

Além disso, os pronomes indefinidos também podem aparecer na forma de locuções (cada um, cada qual, qualquer um, seja qual for, seja quem for, todo aquele que, etc).

Ambiguidades com Pronomes Possessivos

Contudo, algumas formas flexionadas de pronomes possessivos podem deixar a frase ambígua e o leitor confuso. Como nos exemplos a seguir:

  • Encontrei minha irmã perto da sua casa ontem (a casa do interlocutor ou da irmã?)
  • Falei com a mãe da noiva que se acidentou (quem se acidentou? A noiva ou a mãe dela?)

Desse modo, afim de evitar estas ambiguidades, há a possibilidade de se usar outras variações do mesmo tipo de pronome para deixar a mensagem mais clara. Poderia ser, então:

  • “Encontrei minha irmã perto da casa dela ontem.”
Fonte: Revisão Para Quê?

Eu x mim

Então, como vimos até aqui, o pronome pessoal “eu” desempenha a função de sujeito. Portanto, é diferente de “mim”, que tem a função de objeto indireto.

Desse modo, o pronome “eu” é quase sempre usado seguido de uma ação. “Mim”, por outro lado é sempre acompanhado de uma preposição.

Exemplos:

  • Eu devo sair às seis horas.
  • Esse tênis é um presente para mim.

Portanto, nunca use a palavra “mim” para acompanhar verbos. Isso porque apenas “eu”, “tu”, “ele/ela”, “nós”, “vós” e “eles” que conjugam verbos. Por exemplo, não devem ser usados “para mim fazer”, “para mim comer” e assim por diante.

Fonte: Canal InteligentePor fim, agora que você já aprendeu tudo sobre os pronomes, que tal aprender também sobre os substantivos coletivos?

Fontes: Comunidade Rockcontent, Só Português, Toda Matéria

Fonte Imagem Destaque: Canal Descomplica

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.