Biologia

Recombinação gênica: o que é, resumo, tipos e evolução

A recombinação gênica (ou genética) é a mistura de genes derivados de indivíduos diferentes. Isso ocorre por meio da reprodução sexuada.

Continue lendo após a publicidade

No texto de hoje eu vou te ensinar o que é recombinação gênica. Em síntese, essa é uma forma de mescla de genes.

O que é recombinação gênica?

A recombinação gênica (ou genética) é a mistura de genes de indivíduos. Sendo que isso ocorre por meio da reprodução sexuada.

Sendo assim, é por meio da recombinação gênica que ocorre a mistura entre os genes. Ou seja, é por meio dela que genes de indivíduos se misturam.

Várias combinações podem ser formadas com a mistura de dois tipos de genes. Vamos pegar como exemplo, a mistura de cromossomos de uma mãe e de um pai.

Continue lendo após a publicidade

Talvez você pense que com os genes de uma mãe e de um pai, existe apenas uma opção de tipo de gene para o filho. Mas o fato é que, o número de opções é enorme! O cálculo é feito com a expressão 2n.

O n é o número de pares de cromossomos de um indivíduo. O ser humano tem 2²³. Dessa forma, no total, são 8.388.608 combinações entre os cromossomos de uma mãe e de um pai. São muitas opções, não é mesmo?

Tipos

Existem 2 tipos de recombinação:

1- Homóloga. Ocorre entre sequências de DNA iguais ou quase iguais. Isto é, entre sequências homólogas.

Continue lendo após a publicidade

2- Não-homóloga. Neste caso, a recombinação ocorre entre sequências de DNA que não têm similaridade entre si.

Bactérias

As bactérias têm um grande poder de se reproduzir. De fato, elas podem se reproduzir em poucos minutos.

A formação de novos indivíduos ocorre sobretudo por meio da reprodução assexuada. As bactérias têm dois mecanismos de variabilidade genética. São eles:

  1. Mutação;
  2. Recombinação gênica.

Enfim, a recombinação gênica ocorre por meio da:

Continue lendo após a publicidade

1- Transformação

Consiste na incorporação de DNA pela célula bacteriana. Desse modo, ocorre a absorção de partes de DNA que estão no ambiente. Eles são partes de outras bactérias mortas e decompostas.

A incorporação ao DNA ocorre por meio da permuta de bases entre o DNA original e o fragmento absorvido.

Se essa troca for compatível, o fragmento passa a fazer parte do material genético da bactéria. Sendo assim, ele será duplicado e será passado na reprodução binária. 

2- Conjuração

É o processo de transferência de DNA de uma bactéria para outra. Sendo que isso envolve o contato entre as duas células. O processo ocorre assim:

Continue lendo após a publicidade

1º lugar. Ocorre a união entre doador-receptor.

2º lugar. Depois da união, ocorre a preparação para a transferência do DNA.

3º lugar. Por fim, forma-se um plasmídeo funcional replicativo no receptor.

A bactéria que irá doar o seu material genético não passa por mudança. Mas a bactéria que irá receber é modificada. Na ligação, a doadora transfere uma parte de DNA chamada de plasmídio F.

Continue lendo após a publicidade

Ele se recombina com o material genético da receptora e as mudanças são feitas. Enfim, é este tipo de recombinação que leva ao surgimento de bactérias resistentes a vários tipos de antibióticos.

3- Transdução

Por fim, temos a recombinação gênica bacteriana por meio do mecanismo de transdução. Ela consiste na transferência de material genético. Isso por meio da ação de vírus bacteriófagos.

Para que isso ocorra, é preciso que partes do DNA bacteriano sejam incorporadas no material genético viral. Isso na hora em que novos bacteriófagos são formados.

Recombinação gênica versus mutação

É muito importante que você não confunda o que é recombinação gênica e o que é mutação. Os dois processos estão envolvidos com a variabilidade genética. No entanto, os dois são bem diferentes.

Continue lendo após a publicidade

No caso da mutação, ocorrem alterações hereditárias na sequência do DNA. Sendo que essa é a fonte primária de variabilidade.

Por outro lado, a recombinação gênica é a mistura de genes entre indivíduos de uma mesma espécie. Isso aumenta a variabilidade primeiramente causada pela mutação.

Sendo assim, a mutação e a recombinação agem juntas. Afinal, enquanto a mutação altera o DNA, a recombinação proporciona a mistura entre os genes modificados entre os dois indivíduos.

Recombinação gênica e evolução

O neodarwinismo, isto é, a teoria moderna da evolução, diz que 3 fatores são essenciais no processo  de evolução:

Continue lendo após a publicidade

A mutação e a recombinação são as responsáveis pela variabilidade genética. Desse modo, elas garantem que cada geração seja geneticamente diferente.

Isso indica que sem os processos de variabilidade, a evolução seria bem lenta. Afinal de contas, não haveria formas de reunir as mutações dos indivíduos.

Portanto, é por meio da variabilidade que ocorre a evolução. É por meio dela também que ocorre a adaptação dos organismos ao meio ambiente.

Enfim, aprendeu o que é recombinação gênica? Então não deixe de conferir também; o que é RNA; o que é plasma; quais são os tipos de sangue; e, por fim; O que é coluna vertebral? Tudo o que você precisa saber

Continue lendo após a publicidade
Próxima página »

Comentários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments