Principal » História » União Ibérica – Contexto histórico, vantagens e consequências

União Ibérica – Contexto histórico, vantagens e consequências

A União Ibérica existiu entre 1580 e 1640, sendo a junção do trono português e espanhol, logo após a morte de Dom Sebastião, rei de Portugal.

união ibérica

Antes de mais nada, a União Ibérica foi a unificação dos tronos português e espanhol e aconteceu durante a segunda metade do século XVI e a primeira metade do século XVII, durante 1580 e 1640. Essa união só aconteceu devido ao desaparecimento de D. Sebastião na batalha de Alcácer-Quibir, no Marrocos.

Como D. Sebastião não havia deixado herdeiros, Portugal passou por uma crise e tentava, em vão, ocupar o trono. Surgiram nomes fortes e importantes, que pleiteavam seu lugar na corte portuguesa, como Dona Catarina, duquesa de Bragança e Felipe II, rei da Espanha.

A tentativa de restabelecer a ordem no país, e também nas colônias americanas, acabou por escolher a unificação dos dois reinos como solução. Nesse sentido, o destino de um grande império da Europa estava nas mãos dos espanhóis, que governaram por 40 anos.

Contexto por trás da União Ibérica

Após a morte de D. Sebastião na batalha de Alcácer-Quibir (1578), no Marrocos, Portugal enfrentou uma crise dinástica como nunca antes tinha experimentado. Sem ter deixado herdeiros, D. Henrique assumiu o trono como regente até o ano de 1580, ano em que faleceu e a dinastia de Avis teve seu fim.

d sebastião
Após o desaparecimento de D. Sebastião, Portugal unificou os reinos com a Espanha.

Posteriormente, o trono português passou a ser cobiçado por outras dinastias, até que o então rei da Espanha, Felipe II, reivindicou o trono. Por ser neto de Dom Manuel, tio de Dom Sebastião, Felipe alegou ligação parental (como primo de D. Sebastião) e decidiu invadir Portugal em 1580.

Nesse sentido, Felipe II passou a ser o rei dos dois países, dando origem à União Ibérica, localizada na península de mesmo nome. Dentro de sua gestão, Felipe II manteve os portugueses nas esferas administrativas, o que deu a ele uma certa calma para governar sem se indispor com seus novos súditos.

Todavia, Felipe II também impôs algumas mudanças dentro da nova configuração administrativa que tomava a União Ibérica. As colônias portuguesas, sobretudo o Brasil, também viram essas mudanças acontecerem. Por aqui, o Brasil foi dividido em duas partes: ao lado oeste ficaria a colônia do Maranhão e, do lado leste, a colônia do Brasil, com sede em Salvador.

Vantagens e desvantagens da União Ibérica

Governados por um espanhol, a União Ibérica trouxe vantagens para Portugal, como o livre trânsito de portugueses em terras espanholas. No Brasil, esta unificação permitiu o avanço das terras para além do meridiano de Tordesilhas sem nenhuma repressão por parte dos espanhóis.

O Rei Felipe II

Entretanto, o governo espanhol resolveu monopolizar o comércio com as colônias americanas. Essa severa medida política fora criada para evitar o desvio de metais preciosos extraídos pelos espanhóis em sua porção territorial das colônias americanas.

A União Ibérica conferiu muito poder a Felipe II, uma vez que, além dos domínios espanhóis, ele também respondia como dono dos domínios portugueses. Esse acúmulo de poder levou o rei e seus herdeiros a entrarem em conflitos com a Inglaterra, a França e a Holanda.

Em 1583, por exemplo, os franceses invadiram as cidades de Santos e Rio de Janeiro em uma tentativa de colocar os colonos contra os espanhóis. Já em 1594, invadiram a Paraíba e o Rio Grande do Norte e, em 1612, tentaram fundar a França Equinocial no Maranhão. Por sua vez, os ingleses atacaram Salvador (1587) e Santos (1591).

Invasões holandesas ou Nova Holanda

Em 1630, os holandeses ocuparam Pernambuco, além de uma grande porção de terra no nordeste brasileiro, indo dos atuais estados de Alagoas até o Maranhão, empreendimento esse conhecido como Nova Holanda. Com maior êxito em sua invasão, os holandeses acabaram expulsos do Brasil após várias batalhas.

União Ibérica - Contexto histórico, invasões holandesas e consequências
Configuração territorial da Nova Holanda, dentro do nordeste brasileiro.

Consequências da União Ibérica

Primeiramente, a União Ibérica parecia um negócio viável para os dois reinos, sobretudo para a Espanha. No entanto, Portugal enfrentou problemas de ordem econômica, com suas principais atividades comerciais prejudicadas e, também, com a perda de alguns domínios coloniais.

Como colônia na época, o Brasil enfrentou algumas consequências determinantes, como o fechamento de portos ibéricos a navios flamengos, o que resultou na desarticulação do comércio açucareiro, levando às invasões já citadas anteriormente.

brasil
Mapa representando a França Equinocial, no Maranhão.

Todavia, a colônia também sofreu com invasões de corsários ingleses, que saquearam algumas cidades brasileiras. Além disso, os franceses tentaram criar a França Equinocial.

Por outro lado, a União Ibérica possibilitou a expansão territorial brasileira, ao mesmo tempo que interrompeu o tráfico negreiro e estimulou a ação dos Bandeirantes no interior paulista.

Então, o que achou da matéria? Se gostou, leia também: Dom João VI, quem foi? Biografia, reinado e relação com o Brasil.

Fontes: Infopédia, Cola da Web, Uol, Prepara Enem, Aventuras na História

Imagens: Banderas inauditas, Correio da Manhã, VortexMag, Natal das Antigas, Marítimo

Escolhidas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.